Cine Cult: Cinquenta tons de Cinza

11/02/2015

Cinquenta Tons de Cinza // Nota: 1 estrela // Estreia Nacional: 12 de fevereiro
Texto por: Ana Marta // Revisão por: Denise Simino 

"Cinquenta Tons de Cinza trouxe-me um certo desprezo no romance chato em volta do sexo sadomasoquista".


A adaptação literária escrita por E. L. James narra a história da estudante de literatura Anastasia Steele (Dakota Johnson), que ao entrevistar o grande milionário Christian Grey (Jamie Dornan), acaba sentindo uma atração forte e os dois começam um relacionamento. Porém, ela vai descobrindo certos desejos intensos do Grey, que ele mesmo tenta esconder.

 Sem preconceitos contra os leitores que gostam de ler os livros, mas sinto que cada vez que vou ao cinema para conferir uma adaptação literária, estou sendo testada para ver se leio ou não os "malditos" livros (me perdoem, mas tem adaptação que não merece nem meu carinho). Enfim, estamos com mais uma adaptação literária com inspiração em Crepúsculo: Cinquenta Tons de Cinza. Já de início, ouvia pessoas dizendo que o livro é horrível em todos os sentidos, mas aí pensei que o filme não poderia ser algo tão terrível. Voilá! Estava certa e ainda fui surpreendida por mais detalhes terríveis que o livro pode trazer ao filme.


A grande bomba é a construção do roteiro, que traz - não é o filme todo - semelhanças com o primeiro filme da saga Crepúsculo. Claro, a escritora do livro se baseou nele para escrever as suas histórias; mas bem que podia fugir um pouco do mundo de Crepúsculo. Enfim, as personalidades dos personagens principais e como são apresentados, as motivações (que são fracas por sinal) e o cenário, não fogem de ser comparado com o outro filme. Pelo menos, temos um homem bonito e rico como uma estudante meio sonsa, ao invés de uma retardada sem expressão e de vampiros brilhantes na trama (cara, pior blasfema que já fizeram nos cinemas sobre os vampiros).

Além disso, teremos uma narrativa com poucos assuntos e que não traz emoção, tornando o filme desde o começo até o clímax, totalmente cansativo. Porque chega uma hora do filme que o assunto acaba e o roteiro insiste no romance decaído para enrolar mais ainda os conflitos dos personagens; e fica repetindo certos pontos da história. Até mesmo a construção dos diálogos e piadas, que sinceramente, é uma tortura para quem vê. Acho que a única cena que da para sair alguma gargalha, ainda resumindo totalmente as próximas cenas do filme é: "EU NÃO FAÇO AMOR! EU FODO!". A melhor frase que se salva depois de tanta mesmice em Cinquenta Tons de Cinza. O próprio ritmo das cenas não tem culpa de sofrer tanto na trama, mas sim o roteiro mal escrito. Não traz nada, não elabora uma expectativa ou suspense, começa com um diálogo e termina de uma forma diferente.


Vem a melhor parte de Cinquenta Tons de Cinza: AS CENAS DE SEXOS! Eu diria para você, meu caro leitor, que baixasse menos a sua expectativa sobre as tais cenas de "sexos sadomasoquistas". Na boa, eu não sei se choro de tristeza ou de vergonha por ver cenas tão sem química e convicção. Não irei entrar com detalhes sobre a submissão da Anastasia Steele (Dakota Johnson) ao seu dominador Christian Grey (Jamie Dornan), mas nenhuma cena trouxe algo que fosse: "Nossa, o que é isso?" Nada que possa trazer um certo choque ou uma expressão de espantando sobre o sexo, apenas desprezo com muita força de Cinquenta Tons de Cinza. Até a questão do Christian Grey falar que não curte "flores e romance", apenas que quer dominar e torturar no sexo. O romance, como um casal normal, que a Anastansia tanto deseja não é decentemente desenvolvido ao ponto de trazer um certo debate sobre gostos sexuais ou apresentar ao mundo do sexo sadomasoquista.

Portanto, Cinquenta Tons de Cinza trouxe a minha pessoa um certo desprezo total por trazer atores sem químicas, mal dirigidos e parecer que estão atuando em peças de teatro do colegial; com um roteiro fraquíssimo.




6 comentários:

  1. Vixe :O Vou assistir hoje a noite e estou empolgadíssima (Não pelo livro - que por sinal demorei só uns 5 meses para terminar rs - mas pelo ator Jamie Dornan, eu curto ver ele desde The Fall e imagino que ele poderia sei lá, fazer o Grey ficar mais tolerável). Gostei de ver sua opinião e espero tirar algo de bom do filme :)

    Beijos
    Passaporte Literário

    ResponderExcluir
  2. Ah meu, sei la.. Vou assistir esse filme por pura curiosidade, mas não acho que seja tão absurdo de ruim como falam. Tem tanto filme ruim por aí, principalmente que envolve sacanagem, que esse não deve estar tão atrás

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "O Cavaleiro Fantasma", vem conferir!

    ResponderExcluir
  3. Não posso concordar contigo sobre a adaptacão pq não vi e nem tenho vontade de ver..
    Obviamente não li o livro mas pelo que sei da história não quero chegar perto (não me da vomtade nenhuma de ler o livro jahaha).
    Enfim,, mais uma adaptação literaria q vai passar batido pra mim..
    Forever a Bookaholic
    Curta a página do blog

    ResponderExcluir
  4. Já li diversas críticas sobre o filme e continuo na dúvida haha.
    Mas duas coisas que tu falou também já li em diversas outras resenhas; primeiro, o roteiro perdido com cenas desconexas e fracas e, segundo, a falta de foco no que é o foco do livro que é o sadomasoquismo.
    Sobre a química do casal já li as duas opiniões.

    Eu li só o primeiro livro e confesso não ter achado ruim. E ainda pretendo conferir a adaptação. Veremos qual a minha opinião.

    Blog Coisa e tal
    Facebook | Twitter | Instagram

    ResponderExcluir
  5. Eu não vou assistir por motivos de: Eu não quero mesmo, rs.
    Assim, quando o livro foi lançado eu não vi nada do Sado. Não achei o moço tão dominador assim.
    As cenas que vi do filme que supostamente 'vazaram', não tem nada de Sado nem de Maso. São cenas de um casal transando, só.
    Se o livro e o filme foram vendidos para o intuito de chocar por cenas bizarras, à mim não conseguiu.
    Bizarrices são coisas que eu gosto de conhecer mesmo.

    Que o diga o blog O Aprendiz Verde, kkkkkkkk.

    Enfim, valeu por ter ido e dado seu pitado. Essa parte eu passo e não será dada no meu bloguito. Porque eu não mereço passar por isso, rsrsrs.

    Texto perfeito!!!!

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. esta história é bem complexo para mim, eu o li como uma história de amor e portanto curti bastante, li tudo bem rapidinho!
    O sexo para mim foi explorado como a libertação do prazer que rompe com preconceitos! espero encontrar isto no filme também
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.