Resenha: O Resgate

16/01/2015


Confrontado com situações de extremo perigo, Taylor McAden, bombeiro voluntário, expõe-se até ao limiar do perigo. Denise é uma jovem mãe solteira, cujo filho de cinco anos sofre de um inexplicável atraso de desenvolvimento e a quem ela devota a sua vida numa tentativa de o ajudar. Mas o caso vai aproximar estes seres. Numa noite de tremendo temporal, Denise sofre um acidente de automóvel e é Taylor quem vem socorrê-la. Embora muito ferida, a jovem depressa toma consciência de que o filho já não se encontra na sua cadeirinha do banco traseiro. 

Taylor irá até ao fim de uma angustiante noite de buscas para o encontrar. Foram tecidas as primeiras malhas que os irão unir - o pequeno Kyle desabrocha ao calor da ternura daquele homem. Denise abandona-se à alegria de um amor nascente. Mas Taylor tem em si cicatrizes antigas, que o não deixam manter compromissos de longa duração. Nicholas Sparks, esse talentoso contador de histórias, intervém com a sua magia redentora e a sua inigualável capacidade de aprofundar a complexidade das relações e dos afetos.


O livro é narrado em terceira pessoa e acompanha o casal Denise e Taylor. A Denise é uma mulher independente, forte e batalhadora (ai como é estranho falar de uma personagem que tem o seu nome). Ela enfrenta sozinha a luta que é criar um filho especial, filho esse que se chama Kyle e é um amor de criança. Vou explicar melhor o que ele têm mais para frente, mas basta dizer que ele é um garotinho encantador. O Tayler é um cara complicado, ele tem um problema em relação a morte do pai que o impede de se prender a alguém. A coisa é um pouco mais tensa do que isso, mas não quero contar muito. Por não se prender ele é bem é liso, evasivo às vezes e isso é irritante. Algumas cenas me fizeram querer entrar no livro e dar um sacode nele, mas entender o que está por trás disso faz toda a diferença na forma em como eu o via.

Ah que saudade de ler algo do Nicholas e esse era um dos que eu mais queria ler, porque todos comentam o final feliz e a falta de morte no livro. Quem conhece o autor sabe que ele é mestre em matar personagem e acabar com o final feliz de todo mundo, por isso a empolgação. Já aviso que uma dessas opções está errada e eu acho que vocês vão descobrir qual até o fim da resenha. Não comentarei nada, mas claro que vocês vão perceber. Sobre isso digo apenas que murchei como balão em fim festa. Estava animada, já querendo comentar com vocês que pela primeira vez um livro feliz do Nicholas tinha sido lançado e mais, queria mandar uma mensagem para o autor dizer, 'viu, seu lindo, como dá para fazer um livro onde todo mundo termina vivo e ele ser maravilhoso', mas isso não aconteceu. Não a parte do vivo.


O livro tem um tom triste por conta da Denise. Ela e seu filho se mudam para ? e não conhecem ninguém, na verdade ela não tem ninguém, nem família ou amigos. O pai de ? não assumiu a responsabilidade pela criança e tendo que largar tudo para se dedicar ao Kyle, ela fica sem emprego e se vê obrigada a ir morar na antiga casa da mãe, nessa cidadezinha. A narrativa dele é triste, pois se imaginem no lugar de uma mulher sem apoio tendo que lidar com filho especial? Os pensamentos dela giram no amor do filho, mas ela também questiona a razão de Deus ter colocado Kyle na vida dela. É uma narrativa que no começo é angustiante e que eu me peguei desejando muito que ela encontrasse apoio em alguém. Passar por isso sozinha acontece, mas não deixa de ser injusto.

Todos os livros do Nicholas que eu já li são focados no romance. Ele estrutura a estória envolta disso, então O Resgate foi uma surpresa, porque o foco aqui não é o romance, é no Kyle. O Kyle tem uma dificuldade em entender o que as pessoas falam e responde-las. Para chegar a esse entendimento o menino passou por vários diagnósticos e nenhum tratamento a curto prazo parece dar certo, por isso que a Denise, professora, decide largar tudo para ensinar o filho. Só que é um aprendizado lento, feito através da repetição e que exige paciência de todos que estão ao redor dele. Quando o Taylor começa a se envolver com o garotinho, porque ele tem mais contato com ele no começo, a Denise percebe que ele pode ser o cara certo. Ele trata Kyle como qualquer outro garoto e tenta entende-lo. É onde o romance começa a acontecer.

Apesar do livro não ser tão feliz assim, ele é ótimo e um dos melhores no autor que já li e não é só porque a protagonista tem o meu nome. Sério gente, isso nunca tinha acontecido, me deixar ser besta um pouco. Foi a primeira vez que o autor trouxe um tema tão pessoal para um livro e foi a primeira vez também que eu tive raiva do protagonista. Ele está tão fechado em si mesmo que magoa as mulheres que poderiam faze-lo feliz, então teve momentos que eu queria que a Denise ficasse com outro cara, mas dai ele acabava se explicando e as duas Denise engolindo. O livro tem um ritmo muito bom, que vai crescendo ao longo das páginas, quando você menos espera a morte aparece e como sempre nos livros do Nicholas, chorei. Recomendo fortemente que quem nunca leu nada do autor comece por esse e se você já é um leitor dele, se surpreenda com esse romance diferente do que ele já escreveu.

O Resgate
Nicholas Sparks
Editora Arqueiro: Twitter/Facebook

2 comentários:

  1. Oiee

    Já li este livro do tio Nick mas não gostei tanto como você , achei a história um pouco fraca e o que valeu mais na leitura foi o depoimento do autor no final do livro que de fato é muito emocionante.

    Beijos
    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Denise, também me emocionei muito neste livro, e foi uma surpresa e tanto no final saber do problema semelhante com o filho do Tio Nick. Foi tocante.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.