Resenha: Mentirosos

18/01/2015


Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano o patriarca, suas três filhas e seus respectivos filhos passam as férias de verão em sua ilha particular. Cadence - neta primogênita e principal herdeira -, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos. 

Cadence Sinclair sofreu um grave acidente quando passava as férias do meio do ano na ilha particular da família. Isso é um habito, todos os anos a mãe, tias e primos se reúnem para passar um tempo juntos. Tudo é em meio ao luxo e a mentira. Por baixo de tanta riqueza existem filhas que querem derrubar uma a outra, um pai que se importa mais com as aparências do que com qualquer outra coisa e primos que mentem. Depois que Cadence sofre esse acidente a vida dela muda, ela passa dois anos afastada da ilha e dos Mentirosos, como ela e seus primeiros se autodenominam. Mas está na hora de voltar e finalmente saber o que aconteceu quando ela tinha 15 anos.

O livro é narrado pela Cadence, e no começo eu achei ela muito submissa, sem uma personalidade definida. Ela aceita, sem questionar inicialmente, o que impõem a ela. E quando ela começa a questionar, isso não é suficiente para faze-la ter voz. Foi complicado porque estamos dentro da cabeça dela e ao mesmo tempo que eu queria que ela fizesse as coisas por ela mesma, entendia a razão de não fazer. O Johnny e a Mirren não aparecem tanto e do pouco que aparecem dá para tirar que eles aceitam mais a família que têm e como tudo está se desenrolando, só que mais para o fim uma vontade de mudar se faz presente. Quem têm a voz da verdade nesse grupo é o Gat, ele meio que puxa os outros para a realidade, avisando que existe um mundo bem diferente fora da ilha exclusiva.

Alguém fez algo comigo que é horrível demais para lembrar.


O livro é narrado em dois tempos, o que a Cadence está, com quase 18 anos e as férias do acidente com 15. Não vou entrar em detalhes sobre o acidente, porque isso é a graça do livro, mas as consequências dele refletem a maior parte da narrativa dela. Depois do acontecido a vida dela mudou d'água para o vinho. A Cadence agora tem sérios problemas de memória, de relacionamento, tanto com os pais quanto com outras pessoas, não sente mais vontade de sair e vê muito longe a perspectiva de conseguir entrar na faculdade. É natural que a narrativa dela seja dramática e angustiante, ela passa o livro todo tentando lembrar de uma coisa que todos sabem, mas ela não.

A forma como a autora escolheu narrar esse livro foi o que mais me prendeu e impactou. Essa questão das famílias ricas que têm coisas escondidas debaixo do tapete é até comum, principalmente em filmes, mas ela ter feito um livro jovem adulto tão cru e direto chama a atenção. Em nenhum momento ela esconde que a família é problemática e finge ter a aparência perfeita, isso desde muito antes da Cadence. Logo nas primeiras frases a protagonista coloca as cartas na mesa, como se para nos preparar. A descrição da cena do acidente é muito realista porque a autora foi direto na dor, na imagem, então a cena vai se formando enquanto você está lendo. E é uma cena horrível.

Não pode ser verdade que nunca mais ficaremos juntos, não quando nosso amor é tão real. A história devia ter um final feliz. Mas não.


Fora ele ser cru, acredito que algumas pessoas vão achar ele confuso. No começo eu achei também, ela indo e vindo no tempo, mas no fim tudo faz sentido. Como a Cadence perdeu a memória, ela tem dificuldade em entender o que aconteceu. Ela tenta o livro todo remontar o dia do acidente, quando ela tinha 15 anos. É um enorme quebra-cabeça e como ela tem poucas peças, demora um pouco para montar. Quando tudo fica pronto e é revelado para o leitor, é um choque. Sério, eu não esperava e a autora não dá uma pista sequer. Ela meio que te engana e eu fiquei horas pensando que não estava certo. Chorei, me desesperei e fiquei muito angustiada com tudo, e essa cara foi o resultado.

Quando as pessoas diziam que esse era um dos melhores livros que elas já tinham lido eu ficava curiosa e imaginando se quando eu lesse também seria assim comigo. Comentei com vocês que eu tive a oportunidade de ler a prova de Mentirosos em agosto, mas acabei deixando passar por não me interessar muito na época. Depois que eu comecei a ler os comentários me arrependi de não ter lido. Ainda bem que tive a oportunidade de ler agora e minha gente, eu amei ele, completa e totalmente. Meu coração foi partido em mil pedaços com essa leitura e mesmo assim estou feliz por ter tido a oportunidade de lê-lo. Mentirosos realmente é o tipo de livro que te marca, daqueles que não se esquece o enredo e sempre que vê em algum lugar, lembra com alegria e tristeza.

Essa ilha é nossa. Aqui, de certo modo, somos jovens para sempre.

Mentirosos
E. Lockhart
Editora Seguinte: Twitter/Facebook

5 comentários:

  1. Ai Denise!!!!
    Que loucura essa resenha. Só não largo o livro que eu tô lendo agora e pulo pra esse porque o que estou lendo está maravilhoso, mas juro que vou me jogar em Mentirosos em breve.
    Assim como você, eu também fiquei meio com receio por causa do falatório envolvendo este livro, mas tá irresistível. Ainda mais depois dessa resenha, até porque confio na sua opinião.

    Quando eu ler eu te grito pra te contar!! rsrs


    Bjkssssssss

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. É um livro que me deixou chocado, chocado mesmo que não consegui ler nada depois por um bom tempo!
    Todos tem de ler e se forçar a ir até o final!

    Beijos

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?
    Menina do céu, que livro surpreendente e perturbador. Eu também chorei, arranquei os cabelos, queria mandar um e-mail pra autora imediatamente pra ela mudar aquele final, sério. Reli pra ter certeza de que eu não estava viajando. Sempre recomendo a leitura desse livro pra todos *-* Que bom que você gostou.
    Super beijos <3
    http://livros-cores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Denise, mais uma que aprovou o livro, que bom. É engraçado, eu não sei explicar, mas não tive muita empatia por este livro, e não tenho muito interesse, pelo menos no momento, para ler.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  5. Nossa!! Eu não colocava tanta fé assim nesse livro não... ainda mais por ser em forma de prosa. Mas pelo o que vc falou parece bom. Não é romance né?! Tipo um YA de mistério?
    Acho que vou ver se leio... pelo menos pareceu diferente.

    Bjos
    lapiselivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.