Resenha Histórica: O visconde que me amava - Os Bridgertons #2

12/01/2015


A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva. 

Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela. Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele. Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. 

Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.

Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro da série Os Bridgertons, o senso de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis.

Quando um dos solteiros mais cobiçados decide se casar, a sociedade londrina fica em estado de êxtase. Mulheres aparecem de todos os lugares para conseguir fisgar o coração de Anthony Bridgerton, mas a escolhida foi Edwina Sheffield, uma jovem que vem despontado nas festas como uma das mulheres mais lindas da temporada. Anthony já tem um plano todo traçado para desposar a jovem, mas antes ele precisa passar pela aprovação da irmã dela, o que será fácil já que nenhum mulher resiste a ele. Ledo engano de Anthony, pois Kate o quer bem longe de sua irmã. Ela sabe que Anthony é um libertino e quer algo melhor para a irmã, por isso fará de tudo para manter os dois bem longe um do outro, nem que para isso ela precise passar mais tempo com ele.

Assim como o primeiro, e acredito que todos os livros dessa série vão ser assim, ele é narrado em terceira pessoa e acompanha Anthony e Kate. A Kate é uma personagem que eu adorei ler, ela é espirituosa, pra frente e determinada. Mas ela também tem um lado mais triste que a deixou como todas as mulheres. Ela meio que tem um complexo com o fato da irmã ser mais bonita e chamar tanta atenção. O Anthony é engraçado e mesmo que seja o típico mocinho ele é mais normal, sem aquela aparência de inatingível. A fato de ser protetor em relação a família só torna ele mais encantador. Mas olha, ele tem uns rompantes bem tensos com a Kate. A cena que ele chuta a Kate por debaixo da mesa me deixou especialmente irritada.

Era a tal centelha. A infeliz centelha que parecia nunca se apagar entre eles. Aquele comichão irritante que ardia sempre que ela entrava num cômodo, ou suspirava, ou esticava o pé. Aquele sentimento insistente de que ele podia, caso se permitisse, amá-la.

Apenas com esse livro percebi que a autora trouxe de casais e livros famosos inspiração para os seus romances históricos. Se alguém souber sobre qual é o primeiro me avisa, porque com esse segundo eu identifiquei durante a leitura e tive a prova no fim com uma nota dele. Anthony e Kate foram inspirados em Elizabeth e Sr. Darcy, os protagonistas de Orgulho e Preconceito. Vale comentar que é apenas uma inspiração, e não uma cópia. Eles lembram, mas não são os mesmo. Como Lizzie e Darcy não se gostavam em quase o livro todo e ficavam trocando farpas, já dá para ter uma ideia das brigas que o Anthony e Kate tem. Eles brigam por tudo no começo, mas claro que com o decorrer do livro outro sentimento vai aparecendo que não o ódio completo.

O romance dos dois vai sendo construido aos poucos, com essa primeira impressão errada sendo substituída pelo amor. Só que ao contrário do que se passa no clássico de Austen, aqui muito contato e insinuação acontece. O pobre do Anthony não consegue entender como que uma mulher que ele não suporta, pode ser tão perfeita para ele e isso é até engraçado. Aliás, a comédia é um toque que eu gosto muito nos livros da Julia, tem algumas cenas e frases que eu ri sozinha. Quanto as cenas quentes, elas tem sim, mas como no primeiro, elas foram na medida certa, acompanhando o contexto. E eu quase esqueci de comentar que eu ainda não descobri quem é a fofoqueira do livro, quem conhece a série sabe do que estou falando. Espero que no próximo eu resolva esse mistério.

Sou suspeita para falar de todos esses romances históricos que a Arqueiro está lançando. Estou acompanhando todos e amando, claro que uns mais e outros menos, mas são todos ótimos. Os da Julia Quinn em especial estão no meu coração. Os romances são fofos, mas sempre tem algum problema por trás, nesse foi a relação do Anthony com o pai que o impedia de amar. É focado no romance do casal protagonista, mas outros personagens também tem destaque e o casal do primeiro apareceu nesse, então leiam na ordem para não ficar perdido quando eles aparecerem. A leitura é rápida, envolvente e sempre alivia a minha cabeça, por isso recomendo os livros. Estou agora com o terceiro para ler e logo, logo a resenha aparece por aqui.

Ela parecia certa. Tinha o cheiro certo. O gosto certo. E ele sabia que se tirasse a roupa dela e a deitasse no chão do escritório, ela também se encaixaria sob ele, ao redor dele... da maneira certa.

O Visconde Que Me Amava Os Bridgertons - Livro 02
Julia Quinn
Editora Arqueiro: Twitter/Facebook

Essa postagem faz parte do #JuliaQuinnDay em comemoração ao aniversário da autora no dia de hoje!


3 comentários:

  1. Oi, Denise!

    Tenho os três primeiros livros dessa série e estou louca para ler. As histórias parecem ser tão leves, fofas e divertidas - especialmente esse livro, pois o casal deve brigar bastante no começo.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é maravilhoso, a Julia soube dosar muito bem as coisas. Tem romance, sensualidade e cenas hilariantes. Pena que até agora só li os dois primeiros, tenho que compensar isso.

    http://ventoliterario.blogspot.com.br


    ResponderExcluir
  3. Oi Denise tudo bem? primeiramente Feliz niver para o seu blog! Te desejo muito sucesso! Voltei de férias ontem, e quando cheguei aqui já amei seu novo layout! Mudou a muito tempo?

    Eu li apenas o primeiro livro da Julia, e AMEI! Agora estou que nem doida atras deste que contará sobre o querido do Anthony <3

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.