Resenha: Ladrões de Sonhos - A saga dos Corvos #2

08/12/2014


Ladrões de sonhos, o segundo volume da Saga dos Corvos, traz de volta a imaginação selvagem e as reviravoltas eletrizantes que somente uma autora original como Maggie Stiefvater é capaz de criar. Ao lado de Blue, os garotos corvos — o privilegiado Gansey, o torturado Adam, o espectral Noah e o sombrio e perigoso Ronan — continuam sua busca pelo lendário rei galês Glendower. Mas suas explorações enfrentam um duro contratempo conforme segredos, sonhos e pesadelos começam a enfraquecer a linha ley — um canal invisível de energia que conecta lugares sagrados e que pode levá-los até o rei. 

Será por isso que a floresta mística de Cabeswater sumiu inexplicavelmente? Quem é o misterioso Homem Cinzento e por que ele está procurando o Greywaren, uma relíquia que permite tirar objetos de sonhos? E o que isso tem a ver com o indecifrável Ronan? Conforme Blue e os garotos corvos procuram respostas a essas e outras questões, o perigo que os envolve se torna cada vez mais real, e será preciso apostar todas as fichas nessa aventura enigmática. 

Eu disse na resenha de Os garotos corvos que aquele livro era uma apresentação dos personagens e do enredo e em Ladrões de sonhos isso se confirma, já que ele foca mais no Ronan, um dos garotos corvos. A narrativa continua sendo em terceira pessoa e o que muda é que são mais capítulos focados nele, mas os outros personagens também possuem voz no livro. O Ronan é um personagem problemático. Eu não diria que ele é um bad boy, porque isso para mim está ligado a mulheres, o que não é o caso. Ele é explosivo, sente numa proporção exagerada e reflete isso nos outros. Sabe aquele tipo de pessoa que faz o que tem que fazer, e o que quer fazer, sem se preocupar com os outros? Então, o Ronan segue a mesma linha. Eu não tenho um garoto corvo preferido, eu gosto dos quatro, mas o Ronan é o que menos me causa empatia.

Nesse livro eu senti com mais firmeza a afirmação de que cada livro dessa série será uma peça de um quebra-cabeça maior. O Ronan é a peça da aventura desse segundo livro, e esse segundo livro é a peça do conflito maior, que é encontrar o rei. Eu não comentei sobre o rei com vocês na primeira resenha porque eu queria que o mistério fosse mantido, mas na sinopse desse isso já é comentado. O que é importante entender é que a série toda será a busca desses garotos, mais a Blue, pelo rei e que cada livro será uma parte dessa busca. Com esse segundo eles estão mais perto do rei, só que isso não significa um foco apenas na busca, significa que outras coisas, tão interessantes e importante quanto, vão acontecer também.

Naquele momento, Blue estava um pouco apaixonada por todos eles. Pela magia deles. Pela busca deles. Pela veracidade e pela estranheza deles. Seus garotos corvos.



Assim como no primeiro livro, nesse também temos um vilão. Só que não é um vilão no sentido fantástico da coisa, é mais uma pessoa ruim. O que aconteceu nesse foi que a autora brincou com a gente, no começo eu fiquei com raiva dele e depois passei a torcer por ele. Ele se envolve com uma personagem e eu achei que eles poderiam ficar juntos, mas outras coisas acontecem e o desfecho é diferente. Sobre a Blue e o seu verdadeiro amor. Aqui ela fica dividida entre dois garotos corvos, na verdade no primeiro essa sugestão já estava no ar e no começo desse isso se acentua, mas depois ela se decide. Não chega a ser um triângulo amoroso e não chega a ser um romance, porque não há contato, não há muitas palavras, só sentimentos nas entrelinhas.

Ladrões de sonhos... o título tem tudo a ver com o livro e acho difícil vocês ligarem as coisas. Foi tão bem amarrado com o Ronan e com a situação da busca do rei, que quando eu li fiquei 'gente, que coisa incrível'. O que tenho achado mais legal nessa série é que o sobrenatural dela é tão normal, não é algo que você pense que nunca vai acontecer. Tá mais para você ficar prestando atenção nas quedas de energia e nas florestas para ver se alguma linha ley se faz presente. O enredo pode parecer meio louco, e eu já tinha dito isso, mas quando você para pra pensar percebe que no contexto do enredo faz sentido. Não dá para esquecer dos corvos nessa série, eles tomam uma proporção estranha nesse e ligado ao Ronan.

-Eu convidaria você para sair, se estivesse vivo.
-Eu aceitaria.


Quanto as informações, esse livro também está cheio delas. Novamente, li no tempo do livro, sem pressa e assimilando tudo. São vários conceitos, nomes e detalhes que se somam para criar esse mundo onde reis antigos podem ser encontrados e conceder um desejo e mortos podem conversar com os vivos. E uma coisa que eu até postei no site, é que os direitos da série foram comprados para o cinema e isso me preocupa um pouco. Com todas essas informações seria interessante se ela virasse série e tudo fosse contado e explicado com calma. Nas duas horas de um longa muita coisa pode ficar de fora, e para um enredo tão interessante como esse, seria uma tristeza só. Infelizmente não está nas minhas mãos, mas fica a observação sobre o assunto.

A leitura do primeiro em relação a esse não caiu. Os dois livros se complementaram, porque enquanto um nos apresentou a estória, o outro nos possibilitou conhecer melhor um personagem. Como o terceiro tem o nome da Blue no título, acredito que será focado nela, mas para o meu desespero ele só será lançado por aqui no segundo semestre do ano que vem. Não quero me repetir e vou dizer isso com outras palavras. O que a Meggie criou nessa série é algo que eu acho difícil encontrar em outros livros. O equilíbrio entre o sobrenatural e a realidade me fez questionar o que era verdade ou não. Eu termino o livro, ou às vezes nem isso, e vou correndo pesquisar o que é ficção e o que não é. Fora os personagens bem construidos e que se parecem com uma ou outra pessoa que eu conheço. Por isso afirmo, foi maravilhoso do começo ao fim e vocês deveriam conhecer.

Enquanto eu estiver fora, sonhe o mundo para mim. Algo novo a cada noite.

Ladrões de Sonhos
Maggie Stiefvater
Verus Editora: Twitter/Facebook

Um comentário:

  1. Oi! A Verus está publicando vários livros legais, não é mesmo? Já estava com o primeiro na lista, mas ainda não o comprei. Espero poder lê-lo em breve! Ótima resenha :)

    Beijos,
    Caroline, do criticandoporai.blogspot.com

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.