Resenha: A evolução de Calpúrnia Tate

01/12/2014

Resenha feita pela Mayara Veiga.


Calpúrnia Virginia Tate tem 11 anos em 1899, quando pergunta o porquê de os gafanhotos amarelos em seu quintal serem tão maiores do que os verdes... Com uma pequena ajuda de seu notoriamente mal-humorado avô, um ávido naturalista, ela descobre que os gafanhotos verdes são mais fáceis de ser vistos contra a grama amarela e, por isso, são mortos antes que possam ficar maiores. Por gostar de explorar a natureza ao seu redor, Callie acaba criando um relacionamento próximo com seu avô enquanto enfrenta os desafios de viver com seis irmãos e se depara com as dificuldades de ser uma garota na virada do século. Em seu livro de estreia, Jacqueline Kelly habilmente traz Callie e sua família para a vida, capturando o crescimento de uma jovem com sensibilidade e humor.

O livro se passa no Texas em 1889 e conta a história de Calpúrnia Tate, mais conhecida como Callie Vee, uma menina de 11 anos que vive em um sitio com seus pais, seus avô e seus seis outros irmãos (todos meninos), em uma época nada fácil para mulheres. Callie tem o espírito livre e quer passar seu tempo brincando na natureza, e não tendo as aulas que toda garota de sua época deveria ter. Sua curiosidade e amor pela natureza faz com que ela desenvolva um relacionamento de cumplicidade com seu avô naturalista. O livro é narrado pela personagem principal e logo no começo da narrativa, percebemos que Callie Vee, é uma garota a frente do seu tempo. Calpúrnia não tem o dom de costurar, não sabe cozinhar, mas tem a vontade de aprender/estudar coisas diferentes e trabalhar. Ela não acha que as mulheres tem apenas que crescer, casar e cuidar da casa, do marido e dos filhos. Para ela, as mulheres podem muito mais que isso. Ela é pequena mas com uma mente grande e revolucionária.

A personagem é um pouco solitária, até a amizade dela com uma menina da escola é peculiar. Tudo que ela tem são os outros 6 irmãos, que ela ama de paixão. Conforme a história vai desenrolando, por causa da ciência, ela se aproxima do seu avô, e essa relação passa a mudar a forma de viver, pensar e agir de Calpúrnia; ela passa a viver de ciência com seu querido avô. Eles fazem disso a prioridade da vida deles. Apesar do livro ter muitas palavras e frases biológicas, não é um livro difícil de ler. A autora soube usar as palavras, não deixou nada maçante. É interessante que cada capitulo se inicia com uma frase científica, e a partir daquela frase, ela desenvolve o conteúdo do capitulo, que tem a ver com a frase. Estes não são grandes, o que faz a história fluir bem. O livro tem momentos históricos também, como o surgimento do telefone e da coca-cola. A autora soube usar dados históricos e científicos na ficção, mesmo que estes tenham sido alterados para caber melhor a história que ela contava.

A Evolução de Calpúrnia Tate, é um livro bem escrito, mas faltou clímax, faltou algo mais. O livro passa, nada acontece, nada te faz pensar, "nossa que livro ótimo". As vezes, para dizer a verdade, eu fiquei até entediada. A menina gostava de estudar os bichos e suas relações, e no final das contas o livro é isso, mesmo tendo elementos de tratamento diferente que os filhos sendo meninos recebiam dos pais, elementos de romance da época, e históricos/científicos. Achei que o avô podia ter melhorado sua relação com a família; os outros netos queriam mais dele, mas basicamente ele vivia no seu mundo.

A autora te faz visualizar tudo que ela escreve; com essa leitura também percebemos como algumas coisas mudam e como outras coisas nunca mudam. Não sei se seria um livro para criança, apesar de ser um livro narrado por uma, acho que é mais para o público adulto, por isso senti falta de mais conflitos. Teria sido mais interessante se a menina fosse mais velha, e tivesse sido explorado outras coisas além de o se tornar cientista, de uma personagem que deveria se tornar esposa de alguém. Enfim, o livro apesar da falta de conflitos, não é ruim. Vale a pena pela escrita, e para quem curte ciência e relações humanas em outra época. Vale a pena por fazer você perceber mais o mundo a sua volta, perceber a importância que cada ser vivo tem no mundo e como é bom ter a liberdade de escolher o que estudar e o que aprender.

A Evolução de Calpúrnia Tate
Jacqueline Kelly
Editora Única: Twitter/Facebook

4 comentários:

  1. A capa do livro é linda e o título é bem interessante. É uma pena que não seja tão bom. Gostei da sua ideia: se ela fosse mais velha, talvez fosse mais legal. Com certeza haveria um conflito, mas talvez fosse dif[icil para o autor lidar. Mas que ia trazer um brilho a mais pra estória, com certeza traria.

    Clara
    @clarabsantos
    clarabeatrizsantos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Pensei que o livro seria mais empolgante. Uma pena.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  3. Nossa!! Sério?
    Eu li outras resenha e todas super positivas... E a capa é tão fofa né? rsrs
    Vou ler e depois te conto minhas impressões. Sabe que sou boba e gosto de tudo né? Até receita médica me diverte. Enfim, vou ler!!

    Adorei a resenha!!! Agora que fiquei mais curiosa e com mais vontade de ler, só pra debater contigo.

    Bjksssssssss


    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.