Resenha: Longe Demais

22/11/2014


Tudo o que Meg sempre quis foi fugir. Fugir do colégio. Fugir da sua pacata cidade. Fugir de seus pais, que pareciam determinados a mantê-la presa em uma vida sem futuro. Mas, em uma noite louca envolvendo trilhos de ferrovia proibidos e desafiadores, ela vai longe demais... e quase não consegue voltar. John escolheu ficar. Para impor o cumprimento das leis. Para servir e proteger. Ele desdenha a rebeldia infantil e quer ensinar a Meg uma lição que ela não esquecerá tão cedo. Mas Meg o leva ao limite ao questionar tudo o que ele aprendeu na academia de polícia. E quando ele a pressiona para saber por que ela não se prende a nada, a resposta os levará a um caminho sem volta...

Meg e John são os protagonistas do livro Longe Demais e não poderiam ser mais diferentes. A Meg é um espírito livro numa cidadezinha qualquer, enquanto John é um jovem policial que quer exercer a sua profissão da melhor maneira possível. Quando Meg é pega fazendo algo ilegal, é designada a passar algum tempo ajudando John, algo como uma medida socioeducativa. Passando um tempo juntos, eles descobrem que apesar das diferenças podem sentir atração um pelo outro. Mas a pergunta que fica é: será que John vai conseguir fazer com que a marrenta Meg, a que não vê a hora de ir embora, ficar?

A Jennifer Echols é aquela autora que eu tinha quase todos os livros, mas ler que é bom? Nada! E olha que esse tipo de autor esta sendo uma regra na minha estante, e não uma exceção. Peguei Longe Demais para ler num dia que precisava de algo rápido e previsível, e realmente, a leitura do livro foi rápida. Além de ter poucas páginas o enredo é envolvente, em um dia já tinha concluído o livro. Já no caso de previsível, eu tive algumas surpresas. Achei que seria mais um romance entre um personagem que odeia o outro e no fim ficam juntos e sim, a Meg e o John se estranham o livro todo, mas a tensão entre eles é atração. Ela não acontece logo no começo, fica mais para o meio da narrativa. Eu realmente senti que os dois são opostos e não que a autora quis forçar isso para o leitor.

O romance trata de assuntos dessa idade, 17,18 anos, que é a famosa 'quem eu quero ser e como quero que o mundo me veja'. E como eu comentei com vocês sobre os opostos, na relação dos dois esses aspectos ficam bem aparentes. O John quer passar a imagem de sério, decidido e protetor, enquanto a Meg quer passar a imagem de rebelde, a que não está nem ai para ninguém. O que acontece é que nem sempre a gente é 8 ou 80, eu diria que quase sempre a gente é uma mistura de coisas e não algo 100% definido. O livro gira nisso também, na mudança de imagem, no fato de você se conhecer e perceber que é mais do que uma definição. Claro que isso acontece mais com a Meg, mas o John também cede e muda de atitude às vezes.


Essa questão da mudança de atitude é engraçada porque tem vezes que eu não gosto de um livro exatamente por causa disso, a mudança de personalidade num personagem, só que aqui isso não me incomodou. Não sei por que, mas aqui eu achei legal os personagens terem mudado de atitude e pensamentos em alguns casos, vi isso como amadurecimento. Eles deixaram de ser só uma coisa para se tornarem uma infinidade de possibilidades. Tirei disso que às vezes esta tudo bem mudar de opinião e atitude, perceber que o que você estava fazendo era errado e tentar fazer algo diferente para mudar isso.

Estou aqui falando tão bem do livro que nem parece que dei 4 estrelas para ele né? Mas preciso avisá-los de dois detalhes. A edição que eu li é a reimpressão que a Pandorga fez do livro. Na teoria, o livro tinha que ter sido revisado, só que na prática muita coisa passou e temos erros de gramática, concordância e tradução. Me lembro de comentar com vocês, num vídeo de leituras do mês, que eu tinha estranhado a autora começar uma ideia num parágrafo e sem aviso falar sobre outra coisa no mesmo parágrafo. Passava uma ideia estranha de falta de conexão. Quando fui fazer essa resenha pesquisei para saber se era algo da autora e várias resenhas confirmaram que o erro é de tradução.

Dai vocês podem dizer 'ah, mas erro de tradução é culpa da editora, não da autora', só que assim, eu acho que uma reimpressão merecia um melhor cuidado da editora com a obra, já que não é só a tradução que está com problemas. Em algumas frases a concordância também não está legal e por ai vai. O segundo ponto é o final. Eu adorei o fato do livro ser curto e rápido, mas o final faltou umas duas ou três páginas explicando melhor como o casal terminou. Fora esses dois pontos o livro foi muito bom e superou as minhas expectativas. Fui achando que iria encontrar algo mais comum e me deparei com um enredo que me prendeu, que me fez refletir sobre alguns temas e me fez pensar nele com carinho. No fim eu comecei a ler a Jennifer Echols pelo livro certo.

Pela primeira vez em minha vida estava apaixonada. Por um policial. Que nunca sairia desta cidade. 

Longe Demais
Jennifer Echols
Editora Pandorga: Twitter/Facebook

4 comentários:

  1. Oi Denise. É interessante ver como as opiniões a respeito de um livro podem ser tão diferentes. Li esse livro, acho que em 2012, e lembro que não gostei muito da história, o amadurecimento dos personagens não me convenceu, sei lá, o romance também não me agradou. Mas, que bom que você gostou da história porque é muito ruim quando lemos um livro e nos decepcionamos com a leitura.
    Beijos
    All My Life in Books Aguardo sua visita!

    ResponderExcluir
  2. Confesso que nunca li nada da a autora e não sei se leria exatamente agora. No momento tenho procurado outros tipos de leituras.
    O problema na tradução e na revisão me desanima ainda mais, porque isso me irrita na leitura =/

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de novembro

    ResponderExcluir
  3. Eu adoro livros assim, bem despretensiosos e até clichês pra esses momentos onde a gente só quer relaxar. Esse livro me deu essa impressão.
    Nunca li nada da autora e também não conheço muito o trabalho delas mas a sua resenha me lembrou um pouco o estilo de Nicholas Sparks. Esse estilo/gênero de livro nem é meu preferido mas às vezes agrada.

    Ah, primeira vez que passo aqui e amei a sua descrição ali no ladinho. Super divertida!
    Beijos!

    Blog Coisa e tal
    Facebook | Twitter | Instagram

    ResponderExcluir
  4. Olá Denise,

    Não conhecia o livro e nem o autor e apesar de não gostar da capa sua resenha me despertou interesse...abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.