Resenha Histórica: Ligeiramente Casados - Os Bedwyn #1

01/11/2014


À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse Custe o que custar!. Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum. 

Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias. Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar. 

Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados... Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página.

O livro é narrado em terceira pessoa, como o habitual em romances desse tipo. Eve é uma personagem bondosa, que pensa nos outros acima dela mesma. Vive em um solar com pessoas que a sociedade normalmente rejeitaria, pessoas com deficiência física e mental, que já foram presas, engravidaram de um homem casado e órfãos. Ela vê o interior e não exterior, e isso também aconteceu com Aidan. Ele é uma casca grossa por cima de um homem honrado com sua família e profissão. Quando se casa com Eve, ele não entende porque ela sacrifica a própria vida por seus 'incapazes', como ele chama as pessoas que vivem com ela, mas no final ele entende. Na verdade Aidan aprende uma valiosa lição com esses 'incapazes'.

As romances históricos geralmente seguem a seguinte linha: o casal protagonista se conhece, não gostam um do outro, mas no fim acabam juntos. Em Ligeiramente Casados esse linha é modificada um pouco. Eve e Aidan se casam antes de se conhecerem e isso faz com que o romance demore a acontecer. Eles se casam e depois vão saber quem é o outro, os gostos, conhecer os familiares, para depois o envolvimento surgir. Os dois como um casal de fato, não só no papel, acontece quase na metade do livro, até lá, o enredo é preenchido com outros acontecimentos envolvendo os dois. Por exemplo, a Eve precisa ir para Londres conhecer a Rainha, então passa um mês lá aprendendo a se portar.

Mas quem disse que não pode se transformar em um casamento por amor? Afinal, você não está apaixonada por outro homem, apesar de todos os meus esforços para lhe encontrar um par durante o ano passado.

O que eu estranhei um pouco nesse livro foi o romance. Ele demorar a acontecer não me incomodou, porque se fosse rápido seria forçado. Dai pode surgir o questionamento: mas eles se casaram sem nem se conhecer, isso sim que é forçar a barra! Só que você lendo não acha isso, porque o casamento seria mera conveniência, eles não ficariam juntos de fato. Quando o primeiro contato entre os dois acontece é sem muito amor, e isso foi o que eu estranhei. Ligeiramente Casados não é fofo como os romances históricos que estou acostumada, ele é um romance mais objetivo e direto; só que nem por isso menos bom do que os outros. Depois o contato dos dois fica mais quente, mas não muito romântico.

Ligeiramente Casados é o nova série de romances históricos que a editora Arqueiro está lançando, a autora é nova por aqui também, pelo menos foi o primeiro livro dela que li. Assim como a maioria dos romances históricos, essa é uma série sobre irmãos. Reparem, ou são irmãos, parentes ou amigos, os círculos geralmente esbarram em algum parentesco. Esse mundo literário pequeno... enfim! Os Bedwyns, essa série que se inicia com Ligeiramente Casados, terá ao total 6 livros, um sobre cada irmão. Ainda não pesquisei para saber se existem contos ou pequenos textos entre os livros. Neste já fomos apresentados, mesmo que superficialmente, ao irmão do próximo livro, Ralf.

Romance histórico sempre tem uma cena ou outra de sexo e a Mary Balogh foi bem contida nas suas. Assim como o livro todo, ela foi objetiva sim, mas procurou palavras mais amenas para descrever essas cenas. Eu gostei de como elas ficaram, não da primeira porque se encaixa na falta de amor como disse no paragrafo acima, mas as outras foram tranquilas. A cena final ficou muito romântica e me fez perceber o crescimento do amor e dos personagens ao logo do enredo. É como se ela quisesse que acompanhássemos o amor acontecendo no tempo dele, sem atropelamentos, e foi assim que aconteceu. Foi uma leitura muito boa e envolvente, e eu estou louca para ler as continuações. A Arqueiro acertou ter apostado nessa autora. Gostei!

Fizera tudo como se estivesse em um sonho. Mas a terra se movera durante aqueles poucos minutos. Algo grandioso, irrevogável e irresistível acontecera. Os dois estavam casados. Até que a morte os separasse.

Ligeiramente Casados - Os Bedwyn - Livro 01
Mary Balogh
Editora Arqueiro: Twitter/Facebook

3 comentários:

  1. Eu não acho que esse livro vai conseguir alcançar meus queridinhos da Julia Quinn ahahahah, mas estou muito curiosa por essa nova série. Adorei a resenha e gostei de saber que não posso esperar açúcar em excesso.
    Beijos,K.
    Girl Spoiled
    http://girlspoiled.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá tudo bem???

    Somente percebi que esse livro não era de Julia Queen por causa de sua resenha... porque sempre observo a capa direito após ler... nesse eu passei os olhos rapidamente e achei que fosse... talvez por ser da mesma editora pode ser parecido... isso me incomoda um pouco, porque deveria diferenciar mais. A sua resenha chamou muito minha atenção... só quero comprar séries novas no ano que vem pelo fato de terminar ainda algumas nesse ano... Eu gostei da premissa... e o fato de eles se casarem primeiro só remete como naquela época as mulheres tinham que se sujeitar a esse tipo de papel. Vou colocar na minha listinha... Xero!!!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Estou convencida! Vou ler Ligeiramente Casados mesmo que ele não seja tão fofo haha adoro livros fofos, mas eu adorei a forma como você falou do livro e como o amor deles é construído.

    Beijos
    Passaporte Literário

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.