Resenha: Eve & Adam

17/11/2014


Filha única da poderosa e fria geneticista Terra Spiker, Eve fica entre a vida e a morte depois de sofrer um acidente de carro. O processo de cura no misterioso laboratório Spiker transcorre com uma rapidez impressionante, o que desperta a curiosidade da menina. Antes que Eve estreite os laços com Solo, um rapaz que compartilha segredos com a corporação, a Dra. Spiker lhe propõe um desafio: Eve terá a chance de testar, em primeira mão, um software desenvolvido para manipular gens humanos. Ela poderá criar um namorado sob medida! Mas brincar de Deus tem consequências, e agora Eve vai descobrir até que ponto existe perfeição. 

Vamos ser francas, quem aqui não gostaria de criar o cara perfeito? Ou de pelo menos saber que ele existe? A Eve teve uma dessas oportunidade, a de criar o que seria o homem ideal para ela. Em uma época um pouco a frente da nossa, pelo menos a princípio, um software é criado pela empresa de genética Spiker, da mãe de Eve, que é capaz de juntar várias partes de um corpo e criar um ser. Sabe quebra-cabeça? Mais ou menos isso. Testar esse software foi incumbida a Eve, que vê nele a oportunidade de misturar tudo o que ela espera em um homem perfeito. Porém, o que seria o sonho de muitas se torna um problema para ela, já que questões maiores do que apenas o sonho de uma menina são colocados em cheque.

O livro é narrado em primeira pessoa por três personagens: Eve, Solo e um personagem surpresa. A Eve é uma garota estranha. Ao mesmo tempo que ela tem atitudes imaturas, em algumas situações ela se mostra com pensamentos e ações de uma idade mais avançada. O senso de proteção dela é aguçado, ou seja, se você tem alguma relação com ela, familiar ou de amizade por exemplo, ela vai estar ao seu lado para o que der e vir. O mistério do livro fica por conta de Solo, que te dá pistas dúbias o tempo todo. No começo eu achava que ele era diferente, geneticamente falando, e depois não, por fim sim e fiquei nessa alternância o livro todo. Ele é engraçado e com um toque de humor negro. Se eu falar sobre o personagem surpresa vocês vão sacar a jogada do livro, então ficamos por aqui de personagens.

A relação da Eve com a mãe é complicada. A Terra é uma figura conhecida, imponente e importante nesse meio genético, mas a sua relação com a filha é fria até certo ponto. As duas não se entendem bem por causa da dedicação, quase total, da mãe a empresa. E isso é uma pontinha das brigas que rolam no livro. Falando sobre criar o namorado, que eu acho que é o que todo mundo está louco para ler. Assim, tem a explicação do porquê ele vai ser criado,  falo sobre isso no próximo paragrafo, só que vale lembrar a quem o público se destina. O livro é juvenil, então a Eve fica deslumbrada pela possibilidade de criar um homem perfeito, deixando um pouco de lado as partes importantes como a ética por exemplo. Coisa que talvez, escrevi talvez, um adulto levasse mais em consideração do que uma adolescente.


Eu estava esperando algo completamente diferente do que me foi apresentado no livro. Isso acontece às vezes, mas não deixa de ser decepcionante, pelo menos um pouco. Os autores preferiram ir pelo caminho mais simples e superficial, quando eu esperava que eles fosse tratar com seriedade o tema genética, criação de humanos na verdade. Existem questionamentos muito legais e importantes para discutir, ainda mais que estamos avançando nesse caminho cada dia mais. Só que ao invés de se posicionarem nesses assuntos, eles jogaram as perguntas e não responderam. Sim, eles podem ter passado isso para os leitores, mas seria interessante saber o que eles pensam sobre isso. Brincar de Deus é uma analogia que cabe aqui e que poderia ser melhor argumentado.

O livro ficou com várias coisas em aberto e quando fui colocar no skoob que tinha lido e tal, tomei um susto por saber que tinha continuação. Só que pensando melhor, realmente, se o livro não tivesse uma sequência seria uma estória incompleta. O que dá para perceber é que os autores colocaram todas as cartas na mesa e deixaram para explicar os porquês depois. Eve & Adam é um livro com uma cadencia muito boa, você lê rápido mesmo achando um pouco no sense em algumas partes. Ainda não sei se lerei a continuação, talvez eu leia para saber o que os autores vão fazer com o personagem surpresa. Foi uma leitura até boa, mas que poderia ser melhor se os autores se posicionassem na questão da genética e não deixassem isso só para os leitores.

Eve & Adam - Livro 1
Michael Grant, Katherine Applagate
Editora Novo Conceit: Twitter/Facebook

3 comentários:

  1. Oieee!
    Não me interessei pela história deste livro, ainda não me despertou aquela vontade de ler, mas gostei da sua resenha e tb não sabia que tinha continuação!
    Bjos!!

    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir
  2. Não sabia que tinha continuação. Eu não li ainda, e estou encantada com esta capa. Agora que sei um pouco mais do enredo, vou querer ler.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Eu fiquei super curiosa por esse livro desde a primeira vez que vi a capa, desde então estou aguardando uma resenha e, finalmente, eis uma. rs Eu também não imaginava que a autora fosse seguir esse rumo na narrativa, uma pena... não sei se continuo tão curiosa por ele. :/

    Beijos,

    Samantha Monteiro
    http://www.wordinmybag.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.