Clássico da ficção pós-apocalíptica é reeditado após mais de 20 anos

11/10/2014

Editora Aleph lança nova edição do emblemático "Um cântico para Leibowitz", obra máxima de Walter M. Miller Jr. Detalhes sobre essa nova edição abaixo.

Um cântico para Leibowitz é um dos clássicos mais poderosos da ficção científica.

Considerado por muitos um marco literário da era pós-nuclear – fruto e reflexo de um mundo tomado pelas angústias e incertezas da Guerra Fria –, esse texto brilhante e visionário é comparado a livros como 1984, de George Orwell e Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley.

Após ter sido quase aniquilada por um holocausto nuclear, a Terra mergulha em uma era de trevas. O conhecimento humano, acumulado por séculos, é arrasado pela cólera daqueles que sobreviveram ao Dilúvio de Fogo. Assombrada pela herança atômica, a humanidade contempla o vazio de sua civilização perdida.

Seiscentos anos depois da catástrofe, na aridez do deserto de Utah, o inusitado encontro de um jovem noviço com um velho peregrino guarda uma surpreendente descoberta, um elo frágil com o século 20. Um foco de luz sobre um mundo de sombras.

Ao longo dos séculos, caberá aos monges da Ordem Albertina de São Leibowitz a tarefa de recolher, preservar e interpretar os vestígios de uma cultura remota, salvando o saber humano do completo esquecimento.

A nova edição:

A última edição brasileira de Um cântico para Leibowitz data do final da década de 1980. A fim de suprir essa longa ausência, a Aleph se empenhou em preparar uma edição que fizesse jus à grandeza do original. Além de nova e cuidadosa tradução, foram acrescidos ao livro um glossário cultural e uma lista de termos e expressões em latim não traduzidos pelo autor. Um material extra especialmente elaborado não como mero suporte didático, mas para permitir uma experiência completa ao leitor, ajudando-o a imergir no universo da obra.

Drops Aleph

• Obra máxima de sua carreira, Um cântico para Leibowitz foi o único romance que Walter M. Miller Jr. publicou em vida.

• Lançado em 1959, o livro venceu o prêmio Hugo como melhor romance em 1961.

• Em todos esses anos, a obra jamais deixou de ser editada, tornando-se uma das ficções científicas mais traduzidas no mundo inteiro.

• Em 1955, Miller Jr. já havia ganhado um prêmio Hugo de melhor novela com The Darfsteller.

• Um cântico para Leibowitz surgiu de três contos do autor, publicados na revista The Magazine of Fantasy and Science Fiction em 1955, 1956 e 1957; os textos foram posteriormente reunidos para formar as três partes em que o livro se divide.

• O romance está entre os dez melhores livros pós-apocalípticos eleitos pela revista Time.

• Na opinião de muitos críticos, não há como negar a influência de Um cântico para Leibowitz sobre o premiado A estrada, livro de Cormac McCarthy, vencedor do Pulitzer de melhor ficção em 2007. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.