Resenha: O que aconteceu com o adeus

25/09/2014


Desde o amargo divórcio de seus pais, McLean e seu pai, um consultor de restaurante, se mudaram para quatro cidades em dois anos. Separada de sua mãe e da nova família de sua mãe, McLean seguiu com seu pai para deixar o passado infeliz para trás. E cada novo lugar dava-lhe a chance de experimentar uma nova personalidade: de líder de torcida a diva do drama. 

Mas agora, pela primeira vez, McLean descobre um desejo de ficar em um lugar e apenas ser ela mesma, quem quer que ela seja. Talvez Dave, o cara da porta ao lado, possa ajudá-la a descobrir. Combinando a marca registrada da escrita graciosa de Sarah Dessen, ótimos personagens, e a atraente história, What Happened to Goodbye é uma leitura irresistível.

O que aconteceu com o adeus é narrado pela protagonista McLean, uma jovem que decidiu ficar com o pai, ao invés da mãe, após a separação dos dois. O trabalho dele permite que ela more em uma cidade diferente a cada curto período de tempo, então ela é uma menina sem raízes, já que as mudanças acontecem antes dela se adaptar totalmente. Ao contrário de muitos, que poderiam achar ruim, a McLean gosta dessas mudanças, pois ela tem a chance de ser uma pessoa diferente em cada cidade. Tudo indicava que em Lakeview seria assim, só que a convivência com seu vizinho Dave, e os amigos dele, fará com que McLean repense isso e queira ficar na cidade por mais do que apenas alguns meses.

A McLean por fora é uma garota normal, que mora com o pai e está se preparando para escolher uma faculdade e carreira, só que por dentro ela está machucada com a separação dos pais. E ela lida com isso de uma forma bem estranha, criando personalidades diferentes nas cidades que mora. Numa cidade ela é a popular, na outra a tímida, depois a que ajuda todo mundo e por ai vai. Cada um vai analisar isso de uma maneira diferente, e para mim é uma forma de não lidar com a realidade da separação. Ser pessoas diferentes dá a ela a possibilidade de reescrever sua estória, de contar porquê ela só mora com pai e tem problemas com a mãe. Ela não é uma má pessoa ou leviana, só encontrou um jeito que quase ninguém vai entender de lidar com a sua vida neste momento.

Lar não era uma casa montada, ou apenas uma cidade no mapa. Era qualquer lugar onde as pessoas que te amam estão, sempre que vocês estão juntos. Não um lugar, mas um momento e depois outro, construídos sobre o outro como tijolos para criar um abrigo sólido que você leva consigo a sua vida inteira, onde quer que esteja.

Os outros personagens que fazem parte do enredo, além da protagonista e os pais, são os amigos que ela faz na cidade em que o livro se passa, outros que trabalham no restaurante que o pai trabalha e o Dave. A autora não deu muitos detalhes sobre o Dave, porque o romance não é o foco do livro. O foco dele é mostrar uma filha lidando com a separação dos pais. Apesar disso, o par romântico dela também ajuda nesse processo, então ela começa a mostrar para ele a verdadeira Mclean e não inventar uma personagem. O Dave não poderia ser menos o cara ideal, ou melhor, ele é sim, porque é normal. Não é o mais popular e nem o mais bonito, mas consegue aflorar o lado verdadeiro da McLean, e isso é o que ela mais precisa.

Separação é um tema recorrente nos livros da Sarah, pelo menos os dois que eu já li, contando com este, falam sobre como o divórcio afeta a vida dos filhos. O mérito da autora é ser coerente, deixando que os dois lados argumentem e depois entrando em um consenso. Num tema como esse não existe certo ou errado, existem pais e filhos tendo que se adaptar a essa nova realidade. O fato da mãe da McLean ter se separado no meio de um escândalo faz a situação piorar, porque ela faz algo desleal e não entende a razão do afastamento da filha, que sempre foi muito apegada ao pai. A relação das duas é atribulada e no fim a autora não deu um final feliz para elas, coisa que eu detestaria se acontecesse, pois não caberia num enredo tão realista como esse. Ela colocou como se as duas tivessem que superar isso continuamente, um dia após o outro.

Eu leio os livros da Sarah Dessen para depois ficar com aquela sensação boa de que tudo vai ficar bem, tudo vai seguir o seu caminho não importando o que aconteça. Ela consegue pegar uma estória simples, temas corriqueiros, e te envolver com personagens bem construídos e reais; é como se eu fosse amiga da McLean e participasse do enredo em alguns momentos. A Sarah é aquele tipo de autora que eu estou aprendendo a ler sem medo e em momentos que eu preciso de algo que eu sei que vou gostar, que vai aliviar a minha cabeça ao mesmo tempo que me fará refletir sobre alguma coisa importante que deixei passar. As 400 pgs passaram voando e eu não poderia terminar uma leitura mais triste, e feliz, por isso.


Seu passado é sempre seu passado. Mesmo que o esqueça, ele se lembra de você.

O Que Aconteceu Com o Adeus
Sarah Dessen
Editora iD: Twitter/Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.