Resenha: Como viver Eternamente

22/09/2014

Resenha feita pela Mayara Veiga.


Sam ama fatos. Ele é curioso sobre óvnis, filmes de terror, fantasmas, ciências e como é beijar uma garota. Como ele tem leucemia, ele quer saber fatos sobre a morte. Sam precisa de respostas das perguntas que ninguém quer responder. ”Como Viver Eternamente”, é o primeiro romance de uma extraordinária e talentosa jovem autora. Engraçado e honesto, este é um livro poderoso e comovente, que você não pode deixar de ler. A autora tem apenas 23 anos e embora seja seu primeiro livro, ele está sendo lançado em 19 países, dirigido a crianças, adolescentes e adultos.  

O livro conta a história de Sam, um menino de 11 anos de idade que tem leucemia e passa seu tempo estudando em casa com seu melhor amigo Felix, que também tem câncer. Ambos têm auxilio de uma professora tutora e tenta no tempo restante que possui de vida, descobrir perguntas sem respostas, fatos sem uma resposta convincente, fazendo listas de desejos que quer realizar e brincando de fazer ciência.

O narrador do livro é o próprio Sam e conforme ele vai narrando sua história, nós vamos conhecendo mais sobre esse personagem e também sobre sua família, seu melhor amigo, avó, enfermeira e a professora que tanto gosta. A história começa quando a professora, Sra. Willis, tenta captar a atenção de seus alunos. Ela passa em uma de suas aulas a tarefa de escrever algo sobre si mesmo e Felix na hora não gosta muito da ideia, mas Sam adora. Ele começa escrever sobre si e sobre o quer descobrir, e decide escrever um livro sobre seus desejos, suas duvidas, a realidade que vive e como essa realidade afeta à todos em sua volta.

Sam é bem realista e maduro para a idade que têm. Ele possui a mente de um cientista e sabe usar isso nas suas pesquisas. Ele não tem medo das coisas, pois sabe que não tem muito tempo de vida e encarara isso de uma forma inteligente. Ao invés dele e seu melhor amigo ficarem chorando pela enfermidade que possuem, eles aproveitam ao máximo cada dia e as experiências que ainda podem ter enquanto estão vivos. Eles se tornam cientistas aventureiros destemidos, tentando desbravar um mundo de mistérios, quebram pequenas regras para viverem plenamente.
 
A Sra. Willis é uma professora bem talentosa, que instiga os alunos a usarem a imaginação, serem criativos, dinâmicos e curtirem os momentos de estudos que nem sempre são divertidos. Os pais do Sam também tem um papel importante no livro, são bem diferentes em como lidam com a situação que o filho se encontra. A avó do Sam é uma senhora doce, que traz uma positividade de vó para o livro. O Felix, melhor amigo, é quem ajuda o Sam a realizar muitos de seus desejos, é quem traz ao Sam um jeito diferente de viver. Ele possui uma leveza e ousadia necessária no livro e na vida.

O livro é escrito como um diário em que o Sam vai contando sobre seu dia a dia, as coisas que vão acontecendo e sobre as coisas que chamam sua atenção. No livro têm desenhos, listas, histórias engraçadas e emocionantes. É interessante ver como a família de Sam reage à doença, tanto os pais quanto a irmã, e como ele próprio reage com força a doença. Com esse livro a gente aprende um pouquinho sobre dados históricos e científicos que Felix acha interessante, mas a coisa mais interessante nele, é que percebemos ao final da leitura que temos que fazer de tudo para realizarmos nossos sonhos, não deixar que pequenas, e ou grandes, coisas nos atrapalhem de viver cada momento de uma maneira confiante, sem deixar de ser realista, pois não sabemos até quando estaremos vivendo neste mundo.

Como viver Eternamente, é um livro que dá para ler em poucas horas; os capítulos são curtos, fáceis de ler e bem escritos. O livro é sensível, um pouco triste, mas real. Apesar de ter como tema o câncer, não é um livro pesado. Não tem grandes momentos de drama, apesar de eu ter derramado algumas lagrimas, mas com certeza a história deixa uma mensagem boa e tocante para a vida. Afinal, é sobre um menino que aproveita seus dias da forma que pode. A resposta que cheguei nesse livro foi que para viver eternamente, temos que viver o agora.


Essa é a 4ª edição desse livro e eu achei a arte dentro e na capa deles bonita; a capa também é condizente com a história e com a personalidade de Sam. Só não gostei da orelha, achei muita informação em uma letra pequena. A autora, Sally Nicholls, fez um bom trabalho nesta obra. Não virou meu livro favorito, mas é bom, foi agradável de ler. É bom ressaltar que não é uma autoajuda do tipo que te passa uma fórmula para você viver bem e feliz todos os dias do ano, mas de certa forma, o livro te deixa leve. Para quem curte leitura que mistura ciência, aventura, um pouco de drama, momentos de felicidade e realidade, vale a pena.

Como Viver Eternamente
Sally Nicholls
Geração Editorial: Twitter/Facebook

3 comentários:

  1. Pelo que as fotos mostraram, a arte gráfica está muito bonita mesmo. Gostei. Não tinha muito interesse no livro, mas já li resenha suficientes para mudar de ideia.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?
    Todas as resenhas que já li sobre esse livro falam que ele é super fofo. Além disso a capa e as ilustrações ajudam a pintar essa imagem né?
    O fato de não ser um livro pesado é um diferencial, já que os pesados estão virando modinha, né?
    Super beijos <3
    http://livros-cores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Mayara. Já li esse livro e gostei muito. A narrativa do livro, os personagens, o desenrolar da história, enfim tudo me conquistou.
    Beijos
    All My Life in Books - Aguardo sua visita!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.