Resenha Nacional: Banshee - Os Guardiões

27/08/2014

Resenha feita pela Mayara Veiga.


Aos vinte e seis anos, tudo o que Brianna Namara queria era encontrar a cura para a sua esquizofrenia e o paradeiro de sua família. Ao descobrir-se herdeira do trono, no distante planeta Banshee, sua vida vira de pernas para o ar. Em seu novo mundo, que, para sua surpresa ainda vive na Idade Média, a jovem será treinada para lutar à frente do Exército Real, assumir o governo do continente e reunificar seu reino, para tentar vencer os guerreiros da irmandade de magia negra Maleficus Animus.

Com humor, um quê de ironia, medo de fadas e crises de abstinência, Brianna tenta, em meio a muitas aventuras, brigas com o Conselho Real e segredos mágicos, tornar-se a rainha que o seu reino precisa que seja, tendo sempre a seu lado seu cavalo alado e falante Pégasus. Com seu arrogante e charmoso capitão Lugh, e seu mais novo amigo de infância, o belo tenente Cahan, ela acaba por envolver-se em um triângulo amoroso que traz consigo discórdia e um mistério incompreensível. E na luta para salvar o Amor do Universo, Brianna sentirá na pele as dores causadas por uma guerra divina, que os Deuses deixaram nas mãos de mortais sem preocuparem-se com as consequências.

Brianna é uma jovem que vive na Irlanda, tem uma vida quase normal, como todos os outros jovens de sua idade: sai, viaja, namora; até que um dia descobre que vivia em um mundo de mentiras e tem que partir para sua nova vida, sua vida de verdade, em outro planeta. Lá ela irá descobrir sua nova identidade e sua verdadeira história: é rainha de um lugar que ainda vive na Idade Média, um mundo magico, de criaturas fantásticas, onde quase tudo que ela imaginava ser lenda, existe, e ainda tentar salvar junto com o Exercito Real e os Guardiões, seu povo, sua terra e a Mãe Amor, de Murtagh seguidor de Saneran e dos Deuses das Sombras. Se não bastassem todas as novas informações de seu mundo novo, Brianna ainda tem que lidar com a paixão, carinho, que sente por dois homens desse mundo, Lugh e Cahan, de maneira diferente.

A protagonista é forte, astuta, do tipo que não leva desaforo para casa. É difícil não gostar de uma personagem assim. É difícil como mulher não se identificar com alguns comportamentos dela; Mesmo em momentos que ela está mais frágil, ela dá seu máximo para manter-se na linha, afinal é a futura rainha de Banshee. Lugh, misterioso, valente, leal, o melhor capitão do reino de Banshee: um pouco esnobe, cabeça dura, desejado pelas mulheres. Senti que conforme a história ia desenrolando ele era o personagem mais julgado pelos outros, mas ao mesmo tempo o personagem que você quer ver bem, quer que as coisas aconteçam. Ele tem um sexto sentido incrível e eu gostei disso. Provavelmente, ele é meu personagem favorito do livro. Cahan, tenente, bonito, verdadeiro e encantador. Brianna e ele se tornam amigos de graça. Ilsa, a mais engraçada de todas, tem tiradas ótimas e conselhos melhores ainda. É um pouco mãe de todo mundo, quando vai dar conselhos. Sério, tem momentos ótimos com ela no livro. Tem cenas dela com Gwydion que são incríveis.

Gwydion foi uma surpresa também, entra na história depois do meio e desenvolve um papel muito importante. Ishtar tem o poder da dança, foi enfeitiçada, vive com medo, e para mim ainda vai desenvolver um papel importante nos próximos livros, para o bem e ou para o mal. Enfim, não dá para falar de todos personagens em uma resenha pois ainda tem as amazonas, os tigres, o Niall ( irmão ganancioso da mãe de Brianna), a clã Murtagh, os tigres, os unicórnios, os cavalos voadores e falantes, os monstrengos Xians, Eamoon( conselheiro de Brianna), etc. Ou seja, muitos personagens que vão aparecendo e desenvolvendo seu papel durante a historia.

Por ser o primeiro livro da trilogia, pode ser lento e às vezes rápido demais, senti que é um aquecimento, a autora te apresenta a um mundo novo, vai te dando informações e aos poucos as coisas vão acontecendo. Achei que faltou mais ação, mas talvez ela esteja guardando para os próximos livros. A história tem muito potencial para ser melhor nos próximos livros. O livro é uma fantasia; Tem alguns momentos de ação, tem romance, tem humor, tem cultura mitológica. Os momentos divertidos são no ponto, nada forçado. O romance não é direto e cru, do tipo, “Ai, gostei dele, nos apaixonamos e chegamos aqui”, mas um romance indireto, que vai se desenvolvendo com a história e que você acaba torcendo e quer ver acontecer. Não posso falar muito, mas acredite a relação que existe entre Brianna e um dospersonagens irá te prender. Essa relação foi o que mais me chamou a atenção e me prendeu no livro, mas não foi à única coisa que me fez gostar do livro. Esse livro foi uma grande surpresa para mim. Li a sinopse e pensei: Hm deve ser interessante, afinal cresci com Harry Potter, gosto Senhor dos Anéis, e apesar de não saber muito sobre mitologia, lendas, acho bem interessante.

No começo achei que a história não engrenava, mas só porque estava me adaptando ao conteúdo do livro. Depois, o livro flui melhor; Muita coisa, criaturas fantásticas, que aparece no livro, eu nunca tinha lido e ou ouvido falar, então até você se acostumar e lembrar os nomes leva um tempo. O importante é ter paciência e não ter preconceitos com o mundo que ela criou. Existem elementos de Harry Potter, Senhor dos anéis, e talvez de vários outros livros de fantasia e de romance por aí, mas apesar de tudo, o livro consegue ser original. A autora soube te prender na narrativa. Ela consegue te passar sentimento nos diálogos. Ela soube criar personagens que te encantam, que te faz sentir raiva, pena ou amor. Personagens que você quer saber que caminhos vão seguir no decorrer da história. Não sei se foi só comigo, mas enquanto eu lia o livro eu via as cenas na minha cabeça, ela conseguiu me levar para o mundo dela.

Outro ponto positivo do livro é que apesar de ser fantasia, tem muita coisa do nosso mundo presente: ganancia, inveja, falta de amor, miséria. Ela mesclou fantasia e realidade, com coerência. Vi por ai que algumas pessoas reclamaram da capa, mas eu gostei. Foi uma das coisas que me chamou atenção para o livro, porém, a edição tem alguns defeitos que não chega a atrapalhar sua leitura, mas as letras são pequenas, tem palavras faltando e tem uma página que repetem a mesma frase. Acho que a editora podia ter sido mais cuidadosa com isso. Para quem gosta de fantasia recomendo e para quem não gosta, pode ser um bom começo. É só ter paciência que vai acabar gostando também. Eu estou ansiosa pela continuação, tem muita coisa aberta ainda. Quero mais Brianna, mais Lugh, mais Gwydion, mais criaturas mágicas, mais mundo Banshee.

Banshee - Os Guardiões
C.A.Saltoris
Editora Selo Jovem: Twitter/Facebook

2 comentários:

  1. A capa desse livro é bem legal. erros de palavras repetidas e frases sem sentido é culpa de quem escreve, editoras se escrevessem o livro não precisaria do autor.

    ResponderExcluir
  2. Olá Denise,

    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, parece interessante, mas não gosto da capa....abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.