Resenha: Partials

07/07/2014



A raça humana está quase extinta após a guerra com os Partials – seres criados em laboratório, idênticos aos humanos. Eles liberaram o vírus RM, ao qual apenas uma pequena parte da população é imune. Os sobreviventes da América do Norte se reuniram em Long Island ao mesmo tempo que os Partials se retiraram da guerra misteriosamente. 

Kira é uma médica em treinamento que vê, dia após dia, todos os bebês morrerem, pouco tempo após o nascimento. Há mais de uma década nenhum nasce imune ao RM. O tempo está se esgotando e, com ele, a esperança. 

Decidida a encontrar a cura, Kira descobrirá que a sobrevivência dos humanos tem muito mais a ver com as ligações entre eles e os Partials do que se imagina. Ligações das quais a humanidade se esqueceu, ou simplesmente não sabia que existiam... 

Num futuro próximo, os humanos criaram clones chamados Partials para fazerem os trabalhos que eles não queriam fazer, mas por algum motivo eles se rebelaram e lutaram contra os humanos por liberdade. Em retalhação, liberaram um vírus que matou quase a população inteira do Planeta, deixando apenas poucos imunes. As coisas não seriam tão ruins se as crianças também não sobrevivessem ao vírus. Há onze anos uma criança não consegue sobreviver e os que ficaram, lutam para reverter isso e a possibilidade de extinção dos humanos. É nesse cenário que a médica, e jovem, Kira vai tentar encontrar a cura para o vírus mortal. Só que uma ideia do que pode curar as crianças pode acabar com a paz que existe entre os humanos e Partials há onze anos.

O livro tem vários personagens, mas acompanha de perto somente a Kira. Ela é uma das poucas jovens nesse mundo onde as crianças não exitem e mesmo tendo apenas 16 anos, Kira é médica e tem as responsabilidades de uma adulta. A Kira é muito coração e eu achei isso ótimo, mesmo que o mundo devastado em que ela vive force as pessoas a serem somente razão. Não gosto muito de personagens sem humanidade, acho isso importante demais para se perder em qualquer mundo. O livro tem alguns personagens masculinos que sugerem um romance, só que isso é bem segundo plano como vou explicar mais para frente. De todos os masculinos, o Marcus é o principal, pelo menos para mim, por ser o amigo que esta sempre por perto quando a Kira precisa.

Assim que eu comecei a ler o livro, estranhei o fato da Kira ter 16 anos e já ser uma médica. Com o decorrer das primeiras páginas entendemos que o mundo acabou e que as pessoas só envelhecem, não nascem crianças, então as que sobreviveram ao ataque Partial são treinadas para aprender o que é básico para a sobrevivência dos que ficaram. Eles são médicos, arquitetos, administradores, cozinheiros e outras profissões essenciais. Quando eu consegui entender, e de certa forma visualizar, o que seria um mundo sem crianças, a estória desse livro se tornou completamente aceitável para mim. Esses jovens que sobreviveram deixaram de ser crianças nesse momento para se tornarem adultas, ao mesmo tempo que sentem o peso de serem as últimas crianças que restaram.

Quarenta mil pessoas deixadas no planeta e nenhuma criança. E nenhuma perspectiva de que algum dias elas ressurgiriam. 

Partial, como disse ali encima, são clones e eu sou uma leitora nova nesse tipo de assunto. Coincidência, o outro livro que li sobre isso também era da iD e eu gostei muito, assim como esse. Acaba que a gente consegue trazer isso para a nossa realidade. Quem aqui nunca pensou nas maquinas se rebelando contra os humanos? No caso de Partials é isso o que acontece e o autor dar informações mais detalhadas, sentimentais, dele mexe com o leitor. Não tem como você imaginar um clone, que é igual aos humanos, e não ter empatia por eles. No caso, eu comecei a pensar neles não só como maquinas, mas como maquinas que pensam por si e que acabaram tendo sentimentos e todo o resto. O livro chega até mais ou menos nesse ponto. É dito que eles rebelam e passam a lutar contra os humanos e lendo o livro entendemos porquê.

O livro praticamente corre entre dois paralelos, o da Kira e do resto. A Kira tem os seus problemas para enfrentar enquanto o mundo tem outros. Sobre a Kira, a gente tem uma revelação para o fim do livro que é o gancho para o segundo e que sério, eu quase cai do sofá quando li. Não esperava, mesmo, que o autor fosse fazer isso. As possibilidades de um enredo melhor ainda aumentaram, já que ele agora tem que desenrolar uma revelação grave em relação a protagonista. Os problemas do mundo envolvem a cura do RM e não só isso, nesse núcleo em especial, dá para visualizar um pouco de distopia, já que o mundo acabou e o governo que assumiu é totalitário, sem dar voz a população. Eu diria que esse livro esta com uma perna inteira na ficção cientifica e o outro pé na distopia.

Mais de 400 pgs correram livremente quando o enredo me pegou e foi no exato instante em que a Kira começou a pensar além do que o governo queria. Ao invés de seguir o caminho mais fácil, ela foi pelo mais arriscado e se importou apenas com salvar a humanidade e não em manter as coisas como estão por serem mais tranquilas. Ele tem um toque de romance, mas isso não é o foco, aliás, quase não existe contato nos envolvimentos. Agora, ação a gente tem muita e um pouco de mistério também, porque muita coisa é revelada. Esse primeiro livro não é só uma introdução do que são os Partials, o mundo sem crianças e a vida dos sobreviventes, ele te dá mais do que isso e também te intiga a ler os outros livros pelo vislumbre da continuação que temos aqui. Lerei com certeza e mal posso esperar para saber o que vai acontecer.

Sou mais forte que minhas provações. Posso usar as provações a meu favor; posso fazê-las servir aos meus propósitos. Não diga 'Nunca farei isso', diga 'Como posso virar o jogo ao meu favor?'.

Partials - Partials Sequence - Livro 01
Dan Wells
Editora iD: Twitter/Facebook

2 comentários:

  1. Para ser sincera não fiquei muito empolgada para ler o livro, mas como nunca li nada sobre clones vou pesquisar um pouco sobre a série.

    *bye*
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá =).
    Quero muito ler esse livro, além de parecer ser super bacana a premissa me conquistou e a capa é linda. Sem falar que amo livros em que a leitura flui <3
    Beijos.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.