Parabéns Charlotte Brontë!!

20/04/2014

Sim, eu sei que o aniversário da Charlotte Brontë é só amanhã, mas resolvi fazer minha homenagem a essa grande escritora hoje para passar o dia de amanhã comemorando. Acredito que a maioria que segue o site saiba do meu amor pelas Irmãs Brontë, mais precisamente pela Charlotte, e nada mais justo do que fazer um post com um pouco da sua vida e obra.


O meu primeiro contato com as Irmãs Brontë é recente, a pouco mais de dois anos, e foi num momento que eu estava preocupada com o tema da minha monografia para a conclusão do curso de Letras. Eu estava angustiada e pedindo uma luz para algo do meu interesse quando tive que fazer um trabalho sobre Jane Eyre, escrito pela Charlotte. Isso acabou coincidindo com a minha leitura para o blog de Miss Brontë da Larousse (resenha), que é uma biografia um pouco ficcional e realista, com uma linguagem muito atrativa e que mexeu comigo completamente. Eu fiquei encantada com esse livro e muito, muito emocionada mesmo e quando juntei Miss Brontë com Jane Eyre eu soube que tinha encontrado algo maravilhoso e que mudaria tudo para mim. Vale ressaltar que O morro dos ventos Uivantes eu já tinha lido, mas não sabia das outras irmãs e nem dos seus livros, então a surpresa foi imensa.


Infelizmente eu não consegui fazer a minha monografia do curso de Letras na área de Literatura Inglesa e sobre as irmãs, mas agora no curso de Tradução eu vou ter outra oportunidade. Inclusive estou trabalhando em um projeto de extensão que consiste na tradução do livro The Brontës, um levantamento sobre a vida e obra das irmãs feita pela autora Patricia Ingham. Não pretendo parar por aí, como esta na minha descrição de perfil, me tornar uma especialista nessas autoras é um sonho e como tal, eu não sei se vou realizar, mas vou continuar sonhando e tentando. Costumo dizer que a Charlotte Brontë é a minha alma literária, aquela que se você um dia se eu fosse ser, seria ela. Sem contar que de muitos escritores, apenas ela consegue tocar meu coração de uma forma tão intensa como acontece quando estou lendo seu livro ou estudando sua vida. Deixa eu parar de falar sobre a minha relação com as Brontës e colocar abaixo alguns dados interessantes sobre a vida da Charlotte Brontë.

***Vida e Obra***

Desde muito jovens os Brontës possuíam inclinações literárias, isso porque a vida simples e sem muita coisa para fazer era entediante. Dos irmãos a Charlotte e o Branwell começaram a escrever estórias fantásticas sobre um país chamado Angria, enquanto Emily e Anne faziam a mesma coisa só que com um país chamado Gondal. Esses escritos, feitos na infância e adolescência, são o que os estudiosos chamam de Juvenília e a Cia das Letras anunciou que lançará a da Charlotte junto com a de Jane Austen. Quem estudar as duas escritoras vai descobrir que elas nunca se bicaram, por assim dizer, e as comparações entre elas sempre irritaram um pouco a Charlotte. Comparações essas que sempre geraram uma escolha besta, isso é o que eu penso pelo menos, entre os fãs das duas sobre quem seria a melhor escritora. Embora a Charlotte seja a minha favorita, a Jane mora no meu coração igualmente. Elas são boas demais para eu me privar dos escritos de alguma.

Voltando as publicações. A Charlotte escreveu além das estórias sobre a Angria, poemas e novelas que traduzidas para o português são muito difíceis de encontrar, isso se tiverem sido publicadas por aqui. A Pedrazul editora, que eu sempre divulgo para vocês, tem a intenção de trazer a obra completa das irmãs e não só seus livros, mas todos os escritos, então se alguma novidade sobre isso surgir aviso vocês. Em 1846 a Charlotte, com as irmãs, começou a publicar seus poemas com o pseudônimo Currer Bell. Em 1847 publicou sua obra mais conhecida Jane Eyre (resenha) e devido ao sucesso do livro seu editor achou por bem que ela revelasse a identidade, e assim a Charlotte viveu seu sucesso, coisa muito difícil para os escritores daquela época. Jane Eyre é considerado o percursor do feminismo na literatura, pois a protagonista, que dá nome ao livro, é uma mulher forte e a frente de sua época.


Antes de Jane Eyre, porém, Charlotte escreveu The Professor (considerado seu primeiro livro), no qual colocou suas experiências como professora e sua paixão proibida e não correspondida pelo professor casado Constantin Héger. O livro foi rejeitado antes do sucesso, mas publicado depois, postumamente, com a autorização do marido em 1857. Um ano depois de ter publicado Jane Eyre, Shirley foi lançado e no ano seguinte Villette. Este foi o último livro que a Charlotte escreveu e publicado em 1849. Eu pouco sei sobre Villette, pois ele nunca foi traduzido para o português, infelizmente.


Agora que citei as suas obras vamos a algumas partes interessantes sobre sua vida. Charlotte Brontë nasceu no dia 21 de abril de 1816 em Thornton, Inglaterra. Teve cinco irmãos, mas três deles foram os seus mais apegados. Anne, Emily e Branwell. Durante algum tempo de sua vida foi professora, em Bruxelas, onde lecionava inglês, e também governanta. Após perder seus irmãos, em pouco mais de 2 anos de diferença entre os três, e tendo apenas o pai como família, aceitou a proposta de casamento de Arthur Bell Nicholls e se casou com ele em 1854, com quase 40 anos. Muito se comenta que Charlotte não era apaixonada por Arthur, mas por estar sempre presente em sua vida o casamento foi um passo natural, e embora não existisse paixão entre eles, a felicidade por parte de ambos estava ali.

Sobre sua morte. Gente, vocês já repararam no quão jovem os autores fantásticos morrem? Eu nem vou citar a idade que a Anne e Emily Brontë morreram para não assustar vocês, mas quanto a Charlotte, ela morreu com 38 anos. E assim como vários outros escritores, a sua morte é uma incógnita. O que consta na maioria das biografias é que ela morreu de tuberculose (assim como seus outros cinco irmãos), mas vocês podem encontrar desidratação e subnutrição provocados pelo excesso de vomito e febre tifoide. Para nós é uma pena que ela tenha morrido tão cedo e publicando apenas quatro livros, mas é reconfortante pelo menos poder ler esses quatro. Antes quatro do que nenhum.

*As fotos dos livros são as versões nacionais que temos, somente Villette é estrangeira. São edições muito antigas e difíceis de achar, por isso peço a todos que leram até aqui para pedir as editoras novas traduções dos livros da Charlotte Brontë. Merecemos trabalhos recentes e de qualidade dessa autora incrível.

**Ainda foram publicados aqui no Brasil dois textos da juvenília de Charlotte, O segredo & Lily Hart, e um conto chamando Napoleão e o Espectro no livro O grande livro de histórias de fantasmas da Suma de Letras.


***A editora Pedrazul anunciou o lançamento de Shirley e Villette, e embora as capas tenham sido divulgadas a data de lançamento ainda não foi confirmada.


***Adaptações***

Sendo Jane Eyre sua obra mais famosa, várias adaptações desse livro foram feitas, tanto para tv e cinema, quanto em quadrinhos e outros meios de comunicação. De tudo isso eu só vi duas, a adaptação que a BBC fez em 2006 e o filme de 2011.


A adaptação da BBC eu recomendo fortemente, pois foi muito bem feita e com atores que chegam bem próximos dos descritos no livro. Ruth Wilson e Toby Stephens interpretam Jane e Mr. Rochester respectivamente. Sem contar que o tempo do seriado deu para colocar tudo de importante sem nos cansar ou deixar fatos em aberto. A resenha do seriado vocês conferem aqui. Já o filme é bom e tem um apelo interessante trazendo os atores Mia Wasikowska e Michael Fassbender no casal principal, mas a emoção e os detalhes das partes importantes ficaram de fora nas duas horas de filme.

 ***Museu***

A casa onde as irmãs moraram em Haworth, West Yorkshire na Inglaterra, se transformou no Bronte Parsonage Museum e abriga um pouco da história delas e de sua família. No site do museu é possível ver fotos e encontrar mais informações sobre as Irmãs Brontë. E na minha pesquisa achei esse post de uma brasileira, que conta a sua visita ao museu e também posta várias fotos. Muito lindo, quem sabe um dia não?!




****Nossa, como eu estou cheia de observações. Mas olhem só o visual do Google hoje!!!


Fonte/Fonte/Fonte.

4 comentários:

  1. Confesso que não conhecia
    Mas gostei bastante da homenagem, parabéns

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela homenagem, nunca li nada da autora mas tenho curiosidade
    Brubs
    contodeumlivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olha, as irmãs são incríveis, e suas histórias também, mas meu amor é da Emily!! O Morro dos Ventos Uivantes é o meu livro preferido!!

    Enfim, amei o post!!!! Uma pena mesmo elas terem morrido cedo com tantas histórias ainda pra contar :(

    O Grande Livro de Histórias de Fantasmas está na minha lista de desejados há mais de dois anos. Só que a Suma não diminui o preço, rsrs. Pagar mais de sessenta reais é ruim. Mas quem sabe na Bienal eu consiga.

    Tudo lindo!!!

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Denise!
    Tenho muita vontade de ler "Jane Eyre", inclusive já tenho o livro, mas ainda não consegui me dedicar a leitura. Acho que esse deve ser um daqueles livros que exige dedicação mesmo. É preciso ler com calma e com tempo para apreciar sua beleza.
    Acredito que o seu amor pelas irmãs Brontë deve ser perfeitamente justificável, rsrs. Emily e seu "O Morro dos Ventos Uivantes" ocupam um lugar de honra no meu coração (Heathcliff é um dos meus personagens literários favoritos).
    Beijos
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.