Editora Aleph lança nova edição do livro que inspirou o filme Blade Runner – O Caçador de Androides

06/04/2014

A editora Aleph começa 2014 com dois lançamentos incríveis. O primeiro deles e que postei em segundo, é o livro Homens Difíceis - Os bastidores de Breaking Bad, Família Soprano e outras séries revolucionárias que faz um levantamento sobre algumas séries que marcaram época.

O outro é uma nova edição do livro, que agora tem o título mais perto do original, Androides Sonham com Ovelhas Elétricas? do autor Philip K. Dick. Foi esse livro que serviu de base para o famoso filme, mas que eu ainda não vi, Blade Runner – O Caçador de Androides.

Vários sucessos do cinema foram inspirados na obra de Philip K. Dick, mas nenhum tão aclamado, tão simbólico para sua época quanto Blade Runner – O Caçador de Androides. O filme icônico de Ridley Scott foi baseado em um dos livros mais brilhantes do autor: Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?, que está sendo lançado pela Editora Aleph.


A presente edição, publicada no Brasil pela primeira vez com o título traduzido fielmente do original (Do Androids Dream of Electric Sheep?), traz uma série de extras inéditos em português:

Uma carta emocionante do Dick aos produtores de Blade Runner, na qual enaltece o filme e profetiza seu sucesso; a última entrevista concedida pelo autor, publicada na revista The Twilight Zone na ocasião do lançamento de Blade Runner; e um posfácio escrito pelo jornalista, escritor e tradutor desta edição, Ronaldo Bressane, que faz uma análise crítica da obra e traça paralelos entre filme e livro.

A Editora Aleph ainda disponibilizou outros materiais no site www.ovelhaseletricas.com.br, como um extenso e divertido perfil de Philip K. Dick escrito em 1975 pelo célebre jornalista e editor Paul Williams, para a revista Rolling Stone; trechos suprimidos e o áudio original de sua última entrevista.


PKD e o Filme

 Não há dúvida de que Blade Runner deu maior visibilidade à obra de Philip K. Dick. Tanto que Androides Sonham com Ovelhas Elétricas? foi apenas o primeiro de uma série de trabalhos do autor adaptados para o cinema nas últimas três décadas. Mas até hoje é o mais emblemático. Quando Ridley Scott levou o romance de Dick para as telas, talvez não imaginasse que seu longa-metragem se tornaria uma referência cult dos anos 1980. Mas ambos, autor e diretor, apostaram em seu sucesso. Ainda que nem sempre tivesse sido assim.

Na época em que se discutia a adaptação do livro, Dick demonstrava certo ceticismo em relação ao roteiro. Também contrariou os interesses dos produtores ao se recusar a escrever uma "novelização" de Blade Runner, preferindo republicar o livro original. Acabou se rendendo ao filme só quando assistiu a trechos da película e a depoimentos dos envolvidos. E ficou entusiasmado.

Dick acompanhou a produção de Blade Runner, mas não chegou a assistir ao filme, que estreou nos cinemas em junho de 1982, três meses após sua morte. Antes de partir, porém, profetizou: “Minha vida e meu trabalho criativo estão justificados e inteirados por Blade Runner. Obrigado... será um grande sucesso comercial. Se provará insuperável”.


A Trama

Num planeta Terra devastado por uma guerra atômica, grande parte da população sobrevivente emigra para os mundos-colônias, fugindo da poeira radioativa que extinguiu inúmeras espécies de animais e de plantas. Toda criatura viva se torna, então, um objeto de desejo para aqueles que permaneceram, mas esse é um privilégio de poucos. Para a maioria que não pode pagar por um espécime autêntico, empresas começam a desenvolver réplicas eletrônicas e incrivelmente realistas de pássaros, gatos, ovelhas... e até mesmo de seres humanos.

Rick Deckard é um caçador de recompensas. Seu trabalho: eliminar androides que vivem ilegalmente na Terra. Seu sonho de consumo: substituir sua ovelha de estimação elétrica por um animal de verdade. A grande chance aparece ao ser designado para perseguir seis androides fugitivos de Marte. É quando Rick percebe que a linha que separa humanos e androides não é tão nítida como acreditava.

Escrito em 1968, Androides Sonham com Ovelhas Elétricas? continua sendo uma obra visionária. Ao criar uma San Francisco sombria e perturbadora, habitada por homens e réplicas perfeitas, Philip K. Dick não só entretém o leitor com seu texto ágil e divertido, mas também o convida à reflexão: o que determina, afinal, a nossa condição de ser humano?



Drops

- Androides Sonham com Ovelhas Elétricas? é o sétimo livro de Philip K. Dick publicado pela Aleph. Antes dele vieram O Homem do Castelo Alto (vencedor do Hugo Award de 1963), Valis, Ubik (eleito um dos cem melhores romances em língua inglesa do século 20, pela revista Time), Os Três Estigmas de Palmer Eldritch, Realidades Adaptadas e Fluam, Minhas Lágrimas, Disse o Policial (vencedor do John W. Campbell Award de 1975).

 - Estão cada vez mais fortes os rumores sobre uma sequência de Blade Runner. O próprio Ridley Scott admitiu que está trabalhando em Blade Runner 2. O ator Harrison Ford também afirmou estar mantendo contato com o diretor.

- A cantora Katy Perry teria afirmado que sonha com um papel em Blade Runner 2, e que adoraria interpretar a personagem Rachael Rosen.

- Blade Runner teve duas indicações ao Oscar em 1983: melhor direção de arte e melhores efeitos visuais.

- Estão vendidos os direitos de filmagem de outros dois livros de Dick: O Homem do Castelo Alto e Ubik, sem previsão de lançamento. 


***


Informações cedidas pela editora.

5 comentários:

  1. Philip Dick!!!! <3333 Entrei no seu blog apenas ao ver o anúncio deste autor maravilhoso... Eu queria ter mais dinheiro para comprar as edições da Aleph (rs). Elas são maravilhosas, mas igualmente caras.
    Adorei alterarem o título para ficar mais próximo do original.
    Abraço, flor!!!

    My Queen Side

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o autor, mais os livros eu já tinha visto.

    ResponderExcluir
  3. Oie linda, tudo bem?
    Passando para ver as novidades e sinceramente eu não conhecia o autor e nem suas obras.
    Mas eu fiquei bastante interessada em conhecer, até porque é bom desenvolver outros tipos de leituras de que estamos acostumadas né? Tenho precisado ler coisas novas.
    O que me chamou atenção mesmo foi sua postagem anterior falando do livro PETER PAN. Uns tempos atrás eu vi esse livro na livraria, mas eu não o peguei para dar uma espiada. Na proxima vez que vê-lo irei fazer isso. Gosto do filme da Disney...Até conheci o PETER PAN pessoalmente na Disney sabia ?? hehehehe....Enfim...é um TAGARELA =x

    Mas tipo, vou ler sua outra postagem inteira, porque só li um pedaço.
    bjokas

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá Denise,

    Gostei das novidades, mas não gostei da capa....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Li Fluam, Minhas Lágrimas, Disse o Policial, mas não fiquei impressionada...Quem sabe ainda dou uma chance ao PKD, porque esses títulos dele me chamam atenção rs. Aproveito pra assistir depois algum filme inspirado na obra dele, porque se assisti não me lembro.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.