Resenha: Enviados - Os anjos Sentinelas #1

21/03/2014



Ellie nunca foi particularmente boa para conversar com rapazes ou com alguém que não fosse sua melhor amiga Ruth. Então ela conheceu Michael. Michael é bonito, charmoso, doce e está totalmente a fim de Ellie. Não é à toa que ela se sente imediatamente atraída por ele. Mas Michael tem um segredo. E ele sabe que Ellie também está escondendo alguma coisa. Eles descobriram que ambos têm poderes que são de outro mundo. Os dois jovens estão determinados a descobrir o que são e como ficaram daquele jeito. . . juntos. Mas a verdade tem repercussões que eles não poderiam imaginar. E logo eles se encontram no centro de um antigo conflito que ameaça destruir tudo o que amam, de forma que nem ao menos fica claro se Ellie e Michael vão escolher o mesmo lado. 

Minha paixão por anjos é algo que a maioria sabe, ou pelo menos quem acompanha o site a um tempinho, então tudo o que sai sobre esses seres eu tento ler e esse livro, em especial, eu queria tem um tempo. Gostei da capa e do título e embora a sinopse não tenha me atraído tanto, decidi ler mesmo assim. Ele faz parte de uma duologia e nesse primeiro livro conhecemos a Ellspeth, ou Ellie como gosta de ser chamada, e a vida dessa jovem é bastante comum, apenas os seus sonhos são estranhos. Ela costuma sonhar que está voando e às vezes acorda com a sensação de que esses sonhos são reais. A vida da Ellie sai da monotonia quando o Michael chega a cidade e começa a frequentar sua escola. Os dois logo se envolvem e Ellie percebe que Michael é diferente e que ela é igual a ele, e sendo assim, Ellie é diferente também. O casal embarca na busca para descobrir o que realmente são.

A Ellie é quem narra o livro e ela tem partes razoáveis de ler e outras muito arrastadas, principalmente quando eles estão tentando descobrir, o que é meio óbvio mesmo se não estivesse no título, o que são. A personagem tem nunces mais dóceis e submissas, de aceitar tudo o que os pais e Michael falam no começo, mas na metade do livro ela já começa a questionar e ter as próprias ações. O Michael já não foi um personagem que eu gostei tanto, porque ele acha que é uma coisa e mesmo quando a Ellie tem bons argumentos contra o que ele diz, ele não volta atrás tão cedo. A personalidade dele é mais de acreditar fácil e depois ser  irredutível de voltar quando percebe que está errado. Também não gostei de um traço obsessivo que ele mostra em relação a Ellie, é sem motivo.

De todos os livros sobre anjos que já li, esse foi o mais raso e o mais distante do que a gente conhece sobre o assunto. Quando eu me interessei por anjos, procurei conhecer e me aprofundar no assunto, buscar as informações que se aproximam da realidade e eu acredito que todos saibam da origem Bíblica deles e daí cada um acredita nisso ou não. Eu acredito e por isso gosto tanto dos seres e de ler sobre isso, porque sempre imagino os enredos com um pezinho na realidade. O que aconteceu com esse livro, é que a autora distorceu 80% do assunto e é um direito dela, lógico, criar um enredo do nada, mas dar um suporte de informações coerentes para o leitor também faz parte disso e é o que falta nesse enredo, informações sobre os anjos dela. Eu não sei se isso vai vir na continuação, mas aqui as coisas não se encaixam como deveriam.

Quando o Michael conhece a Ellie e percebe o que ela é, ele na verdade está equivocado no que eles sejam, e eles passam a maior parte do livro achando que são uma coisa quando não são. Isso para mim não fez sentido nenhum e me irritou eles baterem nessa tecla por uma boa parte do livro. Os dois se julgam um ser sobrenatural com base no fato de voarem e escolhem o ser que a muito tempo nenhum autor coloca voando. Eu achei nada a ver tentar misturar os seres e bem desnecessário. O casal não combina tanto quanto eu imaginei. As cenas românticas são bonitinhas e tal, mas o Michael é muito volúvel e suscetível a ir na conversa dos outros, e isso não é algo que eu goste ou ache interessante. Ao contrário da Ellie que pensa por ela mesma e segue os seus instintos a partir da metade do livro.

Embora Enviados tenha poucas páginas e na teoria seja mais rápido de ler, comigo não aconteceu isso. A leitura se arrastou por uma semana e olha que a autora nem se aprofundou muito em nada. O que me pegou foi eu não conseguir acreditar no que ela estava propondo, e assim, a leitura não fluiu e nem foi proveitosa. Já li resenhas desse livro onde as pessoas comentaram que a linguagem dele é muito boa por ser jovem e sem palavras difíceis, e realmente é assim, mas quando você não se apega ao enredo ou personagens, não consegue aproveitar a leitura como deveria. Como eu disse ali encima, Enviados é o primeiro de uma duologia e a Rai editora já lançou o segundo que se chama Eternamente e que eu não pretendo ler, por não ter empolgação e nem vontade de saber o que vai acontecer e como será o desfecho. A série foi abandonada então.

De certo modo, ele estava certo: não importava o que éramos. Logo teríamos de descobrir quem - ou o quê - éramos. Então relaxei em seus braços e deixei minhas perguntas de lado. Por um momento, me deixei apenas ser, seja lá o que fosse, com Michael.

Os Anjos Sentinelas - Enviados
Heather Terrell
Rai Editora - Facebook

9 comentários:

  1. Agora pedindo spoiler? Mas o que eles imaginaram que fossem? Bem, eu gosto muito do tema sobrenatural, não só de anjos, mas de todo tipo de lenda, mito e ficções... Agora se tu curte mesmo esse lance dos Anjos tem que ler o Memnoch da Anne Rice. O fato do Lestat ser vampiro nem vem muito a calhar, mas rola muita coisa sobre anjos, deus e o demônio (que é um anjo, afinal)... E fala MUITO sobre arte, o que eu adoro! Beijos!
    Roberta

    http://umamamaeemapuros.blogspot.com.br/2014/03/um-jeito-de-ser-especial.html

    ResponderExcluir
  2. Oie, tudo bom?
    Eu nunca li nenhum livro sobrenatural com anjos e não sei o que pensar sobre narrativas desse tipo.
    Uma pena que a história não tenha sido bem escrita e a trama tenha ficado rasa.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Den, tudo bem?

    Eu já sou um pouco o oposto de vc. Não curto tanto assim livros de anjos. Li dois, achei a premissa bem parecida, então costumo evitar esse tipo de leitura. É, quando a leitura não flui é realmente um problema. Eu começo a ficar meio "irritada", fico querendo passar logo para outro livro, mas sempre fico naquela do "mas preciso terminar esse primeiro". Pena que vc não tenha curtido.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu não me interesse muito por esse livro, acho que os poucos livros que envolvam, de certa forma, anjos que eu li foram Fallen e Sussurro e só o último foi realmente bom para mim. :/ E essas foram duas séries que me chamaram atenção desde o início, imagina um que eu não simpatizei de cara?
    Beijos,K.
    Girl Spoiled
    http://girlspoiled.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Denise,
    Eu até gosto do tema, apesar de não ter lido muitos livros. Que pena que a trama não atingiu as suas expectativas, já que ela parecia ser interessante.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Gosto de livros sobrenaturais no geral, mas esse eu não conhecia. A sinopse não chamou a minha atenção e como você não gostou muito eu não fiquei interessada...
    Beijos
    http://sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá Denise,

    Não conhecia o livro e confesso que o mesmo não me despertou interesse e pela sua resenha vejo que estou certo....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Também sou apaixonada por anjos e sempre que posso leio livros onde eles estejam. Este eu ainda não li, mas já tenho o título na minha lista de leitura.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  9. Gostei do Livro, não sou especialista em anjos.Talvez por não ter expectativas acabei me surpreendendo.
    Sei que é um tema que é mais explorado pelo universo adolescente creio eu.
    Resolvi experimentar essa leitura, mesmo sendo um paizão já, rs!
    A história fluiu de verdade após o aparecimento do tal do Rafe. Bacana os Nephlins terem o dote para superar os seus próprios poderes.
    Tive dúvidas quanto ao desfecho: O verdadeiro pai de Ellspeth determinaria a Nova Ordem Mundial?
    Como seria essa composição caso Ele (Deus) permitisse que isso acontecesse?
    Estariam realmente certos a respeito das profecias do livro de Enoch?
    Após o desfecho fiquei tentando imaginar Rafe "velando" seu verdadeiro amor...
    Bem de qualquer forma achei bom acabar de maneira positiva, afinal aprendi desde pequenininho que Anjo(Da Guarda e Luz) protegem e isso conforta, mesmo sabendo que, continuo a procurar CRER que isso seja "eterno"!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.