Resenha: Tempo de Fuga - Numbers #1

03/01/2014


Sempre que Jem conhece alguém novo, não importa quem, logo que ela olha em seus olhos, um número aparece em sua cabeça. Esse número é uma data: a data em que essa pessoa vai morrer. Sobrecarregada com tal consciência terrível, Jem evita relacionamentos. Até que ela conhece Spider, outro estranho, e ganha uma chance. Mas, enquanto eles estão esperando para embarcar no Eye Ferris Wheel, uma roda gigante, Jem percebe que todas as pessoas da fila possuem o mesmo número. A data de hoje. Terroristas vão atacar Londres. O mundo de Jem está prestes a explodir!

O livro é narrado em primeira pessoa pela protagonista Jem e o modo como ela conta a estória é super atual, cheio de gírias e sem complicação. A Jem é uma menina diferente do que estou acostumada a ler, ela é órfã de mãe e pai, e por isso caiu no sistema. Isso foi um golpe duro para ela, o fato de passar de lar em lar até ficar na casa de uma mãe solteira com dois bebês. A personalidade da Jem se moldou na rejeição, ela é fria, não gosta de contato físico e nem de outras pessoas. O último fato se dá ao que a Jem chama de maldição, ela olha para uma pessoa e na cabeça dela aparece a data da sua morte. Evitar olhar para as pessoas é o que ela mais faz, pois o peso de saber que a morte se aproxima é grande demais para uma menina de 15 anos.

O outro personagem destaque do livro é o Spider. Um garoto que a Jem conhece na escola e que no começo não gosta muito. O cara é pegajoso e cheira mal, palavras dela. Só que eles vem de famílias desestruturadas e são largados a própria sorte, então um acaba aceitando o outro. O legal do Spider é que ele não tem muita frescura e é o tipo de amigo que você pode contar para qualquer situação. Por mais que a Jem não goste de contato com pessoas, ela se aproxima do Spider por entender que ninguém é uma ilha por mais que você queira. O improvável entre eles acontece, um romance bem estranho entre duas pessoas desajustadas. Eu digo estranho porque ele são estranhos, a Jem e o Spider passam longe dos adolescentes que conhecemos.

A ideia desse livro é muito boa e foi isso que me chamou a atenção nele logo de cara. Nunca tinha lido nada que contasse a estória de uma pessoa que quando olha para outra, consegue ver a data da morte dela. O problema, além de eu ter demorado muito para ler, é que eu desenvolvi essa ideia original na minha cabeça, completamente diferente do rumo que a autora deu no livro. Quando eu terminei de ler a decepção foi muito grande, porque o jeito que foi desenvolvido ficou muito aquém do potencial que ele tinha. Até a metade dele o livro estava ótimo, depois disso, ele descambou para um rumo que até agora eu não sei qual o sentido que a autora quis dar. Ela misturou terrorismo, com religiosidade e romance que só confundiu tudo no fim das contas.

Vocês repararam que quando eu cometei sobre os personagens não falei da parte físicas deles? É que no livro não tem. Eu não gosto quando o autor não dá detalhes dos personagens porque fica difícil imaginá-los na cabeça da gente. Ela comenta só sobre a cor da pele, já que ela brinca que o fato do Spider ser negro e a Jem branca, pode significar que ele a esteja levando apara o mau caminho. Eu fui levando a leitura com a esperança de que no fim ele me arrebatasse com um final épico, mas não foi bem assim. O fim concluiu essa primeira estória, e que tem tudo a ver com o subtitulo tempo em fuga, e deixou um gancho para a continuação, mas um gancho bem fraco. A verdade é que a autora não trabalhou esse fato da Jem ver as datas tanto quanto a estória pedia, dai no fim ela enrolou com uma explicação que eu fiquei 'ok, beleza, e ai?'.

Bom, acredito que vocês perceberam que eu não gostei muito de Numbers. A expectativa que eu tinha para ele não chegou nem perto de como foi desenvolvido e terminou. As 3 estrelas que dei para ele foi pelo começo e pelos protagonistas, que embora não sejam fáceis de visualizar, são bons de ler. Esse livro faz parte de uma trilogia e aqui no Brasil já tem o segundo lançado que eu não pretendo ler, na verdade eu não me interessei por continuar lendo a série. A sinopse do segundo vai pelo mesmo rumo que não gostei nesse, o de uma situação difícil de acreditar que acontecesse, mesmo sendo uma situação fictícia. Eu ainda não sei se a autora tem outros livros, mas espero que esse não tenha sido meu único contato com ela. Não quero ficar com essa impressão ruim dos seus livros.

Pela primeira vez na vida, eu não estava só observando alguém de fora. Dessa vez eu estava envolvida. Começava a desejar que o número dele estivesse errado, que não passasse de um delírio da minha cabeça. Só que eu sabia que era real. De um jeito ou de outro, ele ia partir em duas semanas, mas eu queria protegê-lo. Mais do que isso, na verdade: eu queria mesmo era salvá-lo.

Numbers - Tempo de Fuga - Numbers #01
Rachel Ward
Editora iD - Twitter/Facebook

2 comentários:

  1. Oi Denise, tudo bem?
    Pensei que você iria gostar do livro, porque eu li apenas a sinopse e fiquei muito interessada! Ainda bem que li o resto da resenha rs Também não gosto quando o autor não descreve os personagens, e que pena que suas expectativas não corresponderam para o que foi apresentado.

    Beijos,
    salaodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá Denise,

    A sinopse parece interessante, mas sua resenha me desanimou, apesar de não estar tão empolgado também....o layout do seu blog esta show...abraços e parabéns pela resenha.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.