Resenha de Ouro: O Mágico de Oz

17/01/2014



Sucesso imediato junto aos leitores logo após sua publicação, O Mágico de Oz tornou-se a mais famosa história infantil da literatura americana. Adaptada para o cinema e o teatro, cantada, citada, traduzida para inúmeros idiomas, a trama enganadoramente simples do livro é capaz de surpreender mesmo a quem o lê repetidas vezes.

Essa edição reúne: o texto integral da longa viagem de autodescoberta de Dorothy e seus amigos; ilustrações originais de W.W. Denslow, incluindo 24 pranchas coloridas; e notas sobre assuntos tão variados quanto a cor dos sapatos de Dorothy e o significado do nome Oz.

Além disso, traz dois importantes textos sobre o romance. A apresentação de Martin Gardner retraça a vida e a obra de Frank Baum, tendo como pano de fundo a ameaça de proibição do texto durante o macartismo. Já o prefácio de Gustavo Franco inaugura no Brasil uma surpreendente leitura do romance, toda feita a partir de representações para ideias e personagens dos debates econômicos e políticos da época.

Vou começar a resenha com a minha sinceridade básica de sempre, eu não fazia ideia do que esperar de O mágico de Oz. Me crucifiquem, mas eu não conhecia nem os personagens direito, então tudo foi novidade para mim. A edição é o primor que a editora Zahar proporciona para os seus leitores, capa dura, folhas amarelas e uma edição comentada e ilustrada - as ilustrações são em preto e branco, mas no final dele tem algumas pranchas coloridas. A primeira parte deste livro é uma apresentação sobre a vida do autor L. Frank Baum escrita por Martin Gardner. Ele comenta sobre os livros que o Baum escreveu, onde morou e trabalhou, entre outros detalhes pertinentes a vida dele. Essa parte é interessante porque tem detalhes que eu não conhecia, e acredito que a maioria também pode não conhecer, como por exemplo, os sapatos da Dorothy são pratas e não vermelho e a série O mágico de Oz é composta por 7 livros. Sim, esse fato foi uma surpresa.

A segunda parte antes da estória em si, é um prefácio escrito por Gustavo Franco chamado Baseado em fatos reais: 'O mágico de Oz' como alegoria política e monetária. Nesse artigo é comentado o contexto politico da época que o livro foi escrito, dentro da estória de O mágico de Oz. Primeiro é feito um levantamento de como estava a politica de 1900, ano que o livro foi escrito, e depois o autor pega trechos da obra para comprovar suas afirmações. Sobre essas duas partes do livro, a apresentação eu passei sem maiores problemas e fui absorvendo tudo o que foi dito, já a segunda me deixou um pouco confusa. Como eu não conhecia nada da estória, os trechos citados foram spoilers para mim, sem contar que eu não entendia muito bem porque não conhecia. Recomendo que quem não conhece a estória deixe para ler o prefácio depois de ter lido o livro, eu fiz isso e deu muito certo.


A terceira parte é a estória e ela é contada em terceira pessoa. Dorothy é uma criança de mais ou menos 6 anos que mora com os tios no Kansas, e o enredo começa com a casa onde ela mora sendo levada para uma terra desconhecida por um ciclone. A garotinha acorda na Terra de Oz e tem que descobrir um modo de voltar para casa e é onde a aventura se inicia. Nessa jornada, que tem como objetivo encontra o mágico Oz e lhe pedir que ele a mande de volta para o Kansas, ela conhece 3 amigos: o Espantalho, Leão Covarde e o Lenhador de Lata. Enquanto a Dorothy busca um jeito de voltar para casa, o Espantalho quer um cérebro, o Leão Covarde quer coragem e o Lenhador de Lata quer ter um coração. Os quatro passam por vários obstáculos perigosos para encontrar o mágico, mas também aprendem muito nessa aventura.

O livro é rapidinho de ser lido, os capítulos são curtos e a linguagem é infantil. O livro é voltado para as crianças, mas nada impede que você, um adulto ou adolescente, tire reflexões do enredo. O que eu achei mais interessante nessa estória toda é que o livro tem um ar de contos de fadas, mas ao mesmo tempo não tem. O Frank Baum comentou, e é dito no livro, que ele queria que esta estória fosse um conto de fadas moderno, que as crianças se divertissem lendo e que não precisassem pensar muito nele para entender ou tirassem reflexões profundas demais. Ele conseguiu, de um certa forma fazer isso, já que a estória tem tudo o que as crianças gostam: aventura, animais que falam e um antagonista para sentir medo. O que ele não conseguiu, foi que a gente não tirasse reflexões do enredo.


A jornada que a Dorothy e seus amigos passam pode ser comparada a jornada que passamos na vida. Tudo o que conseguimos vem através de determinação e superação, e com os personagens deste livro também é assim. Eles passam por perigos e quase são mortos diversas vezes para chegar ao objetivo final. Acredito que uma criança pequena pode não assimilar isso, mas qualquer pessoa com um pouquinho mais de entendimento vai conseguir. A outra reflexão que o livro traz, é sobre se o que desejamos não esta em nós. Explicando melhor e com um exemplo religioso, mas apenas para ilustrar. Tem gente que pede a Deus mais sabedoria, ou coragem e coisas do tipo, só que Deus não dá a elas isso, ele dá situações que a tornem sábias e corajosas. Com O mágico de Oz é da mesma forma, o que todos os personagens buscavam nesta jornada estava dentro deles e isso é perceptível do momento que você inicia a leitura.

Você que gosta de clássico tem que ler este livro. Você que gosta de aventura tem que ler este livro. Você que gosta de livros infantis, tem que ler este livro. Você que gosta de um bom livro tem que ler este livro. Resumindo, você que esta lendo esta resenha tem que ler este livro. Mesmo a narrativa tendo algumas falhas de bater um fato com o outro, valeu super a pena e olha que eu já passei da idade dele a muito tempo. Como disse, consegui extrair reflexões para a minha vida com ele e quem ler também vai conseguir. Eu ainda não pesquisei se os outros 6 livros foram lançados no Brasil e nem faço ideia de qual editora possa ter feito isso, mas vou procurar com certeza. A Terra de Oz é mesmo um lugar maravilhoso para se visitar, independente de ser criança ou não.


'Talvez algumas dessas pessoas grandes, adultas, possam zombar de nós, de você por ler estes contos absurdos ... e de mim por escrevê-los. Não faz mal. Muitas das pessoas grandes ainda são crianças exatamente como você e eu.' L. Frank Baum

O Mágico de Oz
L. Frank Baum
Editora Zahar: Twitter/Facebook


3 comentários:

  1. As edições da editora Zahar são surpreendentes. Tudo é feito com tanto capricho que não dá vontade de largar o livro. Sobre 'O Mágico de Oz', confesso que quando criança eu não vi o filme e pouco conheço sobre a história e os personagens em si – a não ser que o episódio 4 da 9ª temporada de Supernatural possa contar como sendo uma elucidação sobre esse enredo rs. Porém, tenho muita curiosidade de conhecer a fundo esse universo que parece ser tão encantador e envolvente.
    Beijos,
    Isabelle | http://www.mundodoslivros.com/

    ResponderExcluir
  2. Oie, tudo bom?
    Não se preocupa porque eu também não conheço toda a história do Mágico de Oz. Essa edição é realmente encantadora e sua resenha me deixou muito mais curiosa. Você soube abordar os aspectos positivos do livro e as características encantadoras dessa história.
    Beijos
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. O Mágico de Oz voltou para minha vida por conta do meu filho mais velho. Eu e ele tivemos que fazer um dos personagens em sucata para apresentação na escola. A leitura é uma delícia, e a mensagem do livro muito importante!
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.