Resenha: Minha cozinha em Berlim

19/11/2013


Essa é a história de Luisa Weiss, uma jovem romântica e confusa, viajante apaixonada, cidadã itinerante e cozinheira perfeccionista que decide jogar tudo para o alto - sua vida certinha em Nova York, o emprego dos sonhos e o namorado - para ir em busca de uma vida nova (e de um novo amor?) que traga de volta o gostinho de sua infância em Berlim. Uma bela e inspiradora história sobre como é preciso se entregar para seguir a paixão. Entre uma receita e outra, será impossível não se encantar com a honestidade, as vulnerabilidades e a belíssima escrita de Luisa Weiss - e ainda ficar morrendo de vontade de provar a torta de maçã com a massa mais leve de todos os tempos, a melhor salada niçoise do mundo, ou mesmo as surpreendentes endívias refogadas! Escrito com honestidade e sensibilidade, Minha cozinha em Berlim é uma história sobre amor, amizade, família e... a busca pelo prato perfeito. 
Assim que comecei a leitura de Minha cozinha em Berlim eu pensei que Luisa Weiss era uma personagem fictícia que narrava a sua estória de crescimento pessoal em primeira pessoa e através de memórias e receitas, porém, ao me tocar que este era o mesmo nome da autora do livro eu fiquei na duvida. Eu não quis pesquisar se elas eram a mesma pessoa para não perder a graça, mas eu tenho quase certeza que sim. Na parte de trás do livro tem várias fotos da autora que remetem a passagens do enredo, o que me deixa com mais certeza ainda. Se a minha suposição estiver certa, este livro é quase uma autobiografia, se não for, já que de próprio punho ela narra a sua trajetória.

Não sei porque, mas livros onde a protagonista passa por grandes reflexões eu me lembro de Comer, rezar e amar, que embora eu não tenha lido, assisti o filme. Aqui nós temos as memórias de uma jovem quem num determinado momento da sua vida, decidi abandonar tudo o que ela conseguiu e seguir seu coração, não vou dizer estômago porque seria estranho, mas não deixa ter um pouco de verdade nisso. Ela volta as suas raízes em Berlim, ao tempo em que seus pais ainda eram casados, e as lembranças, que na minha opinião, são mais marcantes. Falar sobre mudanças é sempre complicado, abandonar o que é seguro e se arriscar no novo, são para poucos, e isso foi o que mais me interessou na hora que a editora me apresentou o livro.

Como parte do crescimento da 'personagem' Luisa, a viagem também está presente na vida dela como a culinária. Ela saiu de Berlim ainda menina e foi morar em Bostom com o pai, depois disso, Luisa passa por cidades como Nova York, Paris e também visita a Itália. Infelizmente eu nunca viajei para fora do Brasil, a vontade é imensa, mas ainda não deu certo, então, livros onde um personagem visita lugares que eu nunca estive, são mais atrativos para mim. Quando o autor sabe te envolver ai fica melhor ainda, porque você consegue mesmo se ver no local. O que acontece neste livro é que além de visitar os lugares, ela associa alguns com comida, o que te dá mais vontade de conhecer e comer a comida sugerida.

Eu não me lembro se no vídeo de correio eu cheguei a mostrar que o livro tem algumas receitas, mas ele tem sim. Bom, o nome já sugere que o livro envolve culinária e é verdade, não só alguns fatos que ocorreram na vida da Luisa estão diretamente ligadas com comidas, como ela nos ensina a fazer algumas. Sou uma completa negação para cozinhar, embora morra de vontade de aprender, e achei interessante que tivesse o passo à passo para a receita, além dela ter alguma ligação com a vida da autora. Algumas receitas são bem complicadinhas e com ingredientes que eu nunca vi, mas a maioria da para fazer, separei as mais simples como sopa de tomate e donuts, sim, é simples, e depois eu falo para vocês como foi.

A leitura desse livro foi mais rápida do que eu imaginava e mais gostosa também. As vezes a gente tem uma impressão equivocada, e quando recebi este livro eu tive uma. Sabia que seria um romance, mas imaginava que seria mais focado na culinária e não traria nada de diferente. Logo nas primeiras paginas, com a narrativa em primeira pessoa e a descrição de memórias, percebi meu erro. A imaginação é algo maravilhoso, basta que o autor saiba fazer a associação certa que pronto, você já se imagina em Berlim, ou em Nova York, provando as comidas que trazem lembranças para a autora e não para você, mas dai você vai mais longe, e começa a imaginar se sentiria a mesma sensação que ela e o que aconteceria depois. A intenção do livro não é essa? Te fazer viajar, ou no caso provar, e ter outras experiências? Bom, se a intenção for essa, este livro atingiu seu objetivo.

Quando Max se apaixonou por mim, ele entendeu que a menos que me pressionasse, só teria uma parte de mim. Mas eu não estava pronta para ser pressionada, e ele me deixou sem chão. Levei quase uma década para entender que ele merecia me conhecer por inteiro: a italiana, a norte-americana, a berlinense do coração dividido (...). Max me fez perceber que não precisava esconder parte nenhuma de mim. Ele estava pronto para isso. Tudo que tinha de fazer era me abrir e deixá-lo entrar.
Minha Cozinha em Berlim - Uma História de Amor com Receitas
Luisa Weiss
Editora Zahar - Twitter/Facebook

3 comentários:

  1. Fiquei completamente louca para ler o livro, tenho uma paixão pela Alemanha por isso o nome já me chamou muito a atenção e tua resenha só aguçou minha curiosidade *-*

    www.moniitorando.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu amei o livro, super gostoso de ler e as receitas dão um super charme à história, que na verdade é sobre o auto-conhecimento. Você colocou bem: lembra Comer Rezar e Amar.

    Bjs, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  3. Gostei da premissa do livro. Na verdade, o título me chamou atenção logo de cara, achei curioso e com um quê divertido, meio aventureiro até. Há uns meses vi alguns livros que traziam histórias fictícias acompanhados de receitas e achei a ideia interessante, embora nunca tenha lido nenhum deles. O legal deste livro parece ser justamente o fato de ser a história pessoal da própria autora, e de que a comida realmente esteve ligada a eventos na vida dela.
    Também não li Comer, Rezar, Amar (e só assisti a trechos do filme, apesar de saber a história), mas acho que essa ideia de jogar tudo para o alto e tentar uma vida nova, uma aventura, é sempre algo interessante de se ler.

    Um beijo, Livro Lab

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.