Resenha de Ouro e Promoção: O Corcunda de Notre-Dame

18/10/2013


Na Paris do século XV, a cigana Esmeralda dança em frente à catedral de Notre Dame. Ao redor da jovem e da igreja, dançam outros personagens inesquecíveis - como o cruel arquidiácono Claude Frollo, o capitão Phoebus, a velha reclusa Gudule e, claro, o disforme Quasímodo, o corcunda que cuida dos sinos da catedral. Com uma trama arrebatadora, que tem a cidade de Paris como bem mais do que um mero pano de fundo, Victor Hugo criou um dos grandes clássicos do romantismo francês, de leitura irresistível. Essa Edição Comentada e Ilustrada inclui tradução, apresentação e notas de Jorge Bastos Cruz e mais de 50 ilustrações originais.
Acredito que não exista uma pessoa que não conheça a estória de O Corcunda de Notre-Dame, até porque, a Disney fez uma adaptação famosa e romantizou o livro do autor Victor Hugo. A estória é basicamente a mesma. Um humano disforme que vive escondido na catedral de Notre-Dame e é responsável pelas badaladas do mesmo, se apaixona por uma jovem dançarina e precisa conquistá-la, apesar de sua aparência. O Arquidiácono Claude Frollo que criou o Quasímodo, como eles o costumam chamar, também se encanta pela jovem dançarina e o desenrolar da trama se desenvolve a partir dai. O livro é narrado em terceira pessoa por uma pessoa que não é um personagem da narrativa e nem é o autor, mas que conversa diretamente conosco e da palpites sobre o enredo.

O Quasímodo é o personagem principal do livro e que dá titulo a obra, titulo esse que foi acrescentado posteriormente. Esse personagem é um tanto complexo, porque por mais que a sua aparência seja estranha, a gente acaba desenvolvendo uma certa afeição por ele e desejando que seu final seja feliz. Ele tem um coração por vezes puro e talvez essa seja a sua principal característica. A Esmeralda é uma jovem dançarina e cigana, que chama a atenção por onde passa com seu número e sua cabra que sabe responder varias perguntas que ela faz. Quando vira objeto de atenção do Quasímodo, ela não sabe lidar muito bem com isso. Ela é ingenua, isso pode ser da idade, e acaba tomando decisões muito erradas no fim do livro. Claude Frollo é o vilão do enredo por assim dizer, já que ele trata o Quasímodo sem um pingo de amor e arquiteta coisas ruins que eu não posso revelar durante a narrativa.


Esse livro estava para ser lido a uns bons dois meses, infelizmente eu não consegui lê-lo antes e me arrependo disso. Foi o meu primeiro contato com a escrita do Victor Hugo, uma vergonha, eu sei, e eu tive um baque inicial. Os clássicos sempre são classificados como muito difíceis por causa do linguajar antigo e das muitas palavras complicadas. Isso não é um empecilho para mim, não sei se porque eu gosto de saber como a nossa literatura chegou onde chegou, ou se para me aventurar em outras épocas. O fato é que a escrita do Victor Hugo seria classificada por muitos como difícil e eu não julgaria elas. A escrita dele é bem detalhista e rebuscada, com voltas e voltas para chegar no lugar. Cansativo? Sim. Ruim? Nunca.

O detalhamento da escrita se dá pela tendencia politica do autor e da ideia que ele queria passar. O Corcunda de Notre-Dame é uma exaltação da catedral Notre-Dame e não um romance romântico. Temos paginas e paginas explicando cada parte da catedral e além disso, fazendo todo um contexto histórico e social da época em que se passa o enredo. Acredito que o autor pensou que seria chato ou pouco atrativo ler uma obra só falando sobre uma igreja, então ele colocou a estória do Quasímodo e da Esmeralda para que os leitores se interessassem. A ideia inicial era chamar a atenção para a demolição dos patrimônios públicos de Paris no séc. XIX, por isso essa escrita tão substancial sobre ela. A escrita dele também se mostrou mais dura e objetiva do que eu imaginava. Tem muitos mal dizeres, personagens que xingam e apontam os defeitos dos outros e isso como se tudo fosse normal.


Foi a primeira vez que li um livro comentado e eu não sabia muito bem como funcionava isso. Depois que eu entendi que os comentários vinham em forma de explicações no rodapé, a leitura fluiu bem. O único problema é a quantidade de comentários. Isso também torna a leitura lenta já que você para e olha o significado de expressões e palavras, mas acreditem, sem elas eu não entenderia muita coisa do enredo. Isso pode ser uma coisa boba de se dizer, mas é que eu pensava que era algo diferente, como uma explicação extensa de trechos do livro. No fim é como um auxilio de leitura. Caso alguém que esteja lendo seja como eu, está explicado.

Sobre a edição da Zahar. Dizer que é linda seria redundância, então vamos ao que essa edição tem de tão especial. A começar pela capa, que é dura, como a maioria dos livros da editora,ele também possui uma apresentação explicando sobre como surgiu a ideia do Victor Hugo de escrever esse livro, as influências que ele sofreu e uma pitadinha de como a estória se desenvolve. Depois vem uma introdução e uma nota do autor, que eu achei ótima. Tem um comentário dele sobre os livros que são reescritos que eu vou colocar para vocês lerem:

Uma vez publicado o livro (...) a sorte está lançada. Deixe que viva ou morra como puder; ela pertence ao ar e ao sol. (...) Não tente acrescentar capítulos a um livro que não deu certo. (...) Não se endireitam árvores que crescem tortas. O romance é tísico? Inviável? Não se conseguirá dar a ele o oxigênio de que precisa. O drama nasceu capenga? Por favor, não lhe aplique uma perna de pau.
Além disso, o livro possui ilustrações originais e isso da uma boa ideia de como os personagens se parecem para o autor. Lembra que eu comentei no começo da resenha sobre a adaptação da Disney? Então, esqueçam aquilo. Ok, eu sei que me basear em um filme infantil não é lá essas coisas, mas eu imaginava os personagens daquele jeito e isso estava totalmente errado. Os personagens são muito mais feios e sombrios do que no filme. Aquele ar fofo do Quasímodo não existe, ele é mais rustico. A Esmeralda foi um choque, ela é uma menina de 16 anos e não uma mulher super sedutora. As ilustrações acabaram com essa imagem 'boa' dos personagens.



Bom, me estendi muito, mas gostaria de terminar essa resenha recomendando esse clássico mesmo com uma leitura que requer mais tempo e dedicação. Foi maravilhoso ter esse primeiro contato com o Victor Hugo e agora estou com altas expectativas para Os Miseráveis. Um último detalhezinho, prometo. Minha monografia foi sobre o conto A Bela e a Fera e isse mito que surgiu bem antes do conto de fadas famoso. Eu terminei a leitura O Corcunda de Notre-Dame e fiquei pensando que o Victor Hugo pode ter usado essa questão do belo e feio no livro. O Quasímodo tem os trejeitos de um animal, às vezes ele rosna e solta uns grunhidos e a Esmeralda é uma mocinha linda. Uma fera que se rende a bela, e sente por ela um amor puro que é rejeitado. Muito parecido com o que a gente conhece não? Uma pena que eu não tenha feito essa associação antes e enriquecido meu trabalho com mais essa Bela e Fera.

O Corcunda de Notre-Dame
Victor Hugo
Editora Zahar - Twitter/Facebook

*Promoção*

Essa promoção está demais, vão vendo! Em parceria com a editora Zahar (essa linda =D) o site vai sortear um exemplar de O Corcunda de Notre-Dame e não, não é o meu. A editora vai enviar um livro novinho direto para a casa do vencedor. Leiam tudo direitinho e aproveitem porque o livro é maravilhoso.



Prêmio: Um exemplar capa dura, ilustrado e comentado de O Corcunda de Notre-Dame.

Informações importantes:

• A promoção começa hoje, 18/10, e vai até 15/11. O resultado sai, provavelmente, no domingo, dia 17/11.

• É obrigatório seguir a editora Zahar no twitter e curtir o facebook deles;

• Ter endereço de entrega no Brasil;

• O vencedor terá 3 dias para responder o e-mail com as informações para o envio do livro;

• O envio será feito pela editora em até 45 dias;

• Perfis fakes, criados para promoções, não serão aceitos;

• Comentários nas resenhas do tipo 'gostei', 'participando' e afins não serão aceitos;

• Qualquer dúvida, entre em contato no @dnisin ou mande um e-mail para: sitesejacult@gmail.com

a Rafflecopter giveaway

*Resultado*

Antes de anunciar o resultado da promoção, gostaria de agradecer a editora Zahar por enviar esse exemplar lindo para ser resenhado aqui no site e ceder um para sorteio. Agradeço também a todos que participaram da promoção, foi sucesso total. Obrigada!!!! Ok, agora vamos saber quem levou o livro.




Parabéns Isabelle Vitorino!!!!! Você tem até quarta feira a meia noite para enviar seus dados ou um novo sorteio será feito.

34 comentários:

  1. "O Corcunda de Notre-Dame" é uma das obras mais incríveis que eu já li, não por acaso ele figura entre os maiores clássicos da literatura mundial.
    Essa edição do livro é simplesmente linda. Uma amiga minha levou uma dessas para a faculdade há pouco tempo e confesso que foi preciso muito auto-controle para não usurpar dela o livro, kkkk.
    Não tinha como ficar de fora dessa promoção, *-* .

    A propósito, Denise, parabéns pelo trabalho. Sigo o blog há bem pouco tempo, mas tenho realmente apreciado seu trabalho. Parabéns mesmo!

    Boa sorte para mim, u.u
    Beijo, ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel, fico muito feliz por saber que você gosta do trabalho que faço aqui no site. Obrigada pelas palavras e carinho. =D

      Bjs, @dnisin

      Excluir
  2. Adorei a resenha bem diferente os personagens mesmo do que a Disney mostrava em seus desenhos. Essas edições de bolso da Zahar são lindas tenho Alice e amo. Participando.

    Abraços,
    muchachoonline.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Zayron, a edição não é pocket. É uma versão normal mesmo. =D

      Bjs!!

      Excluir
  3. Eu sou louca por clássicos, sei que muita gente considera a leitura dos clássicos mais difícil e muitas vezes chata mas é uma questão de hábito porque o estilo pode ser bem diferente dos romance contemporâneos. Eu não acredito que ainda não li esse livro apesar de já ter tido a oportunidade, de qualquer forma essa edição é maravilhosa e memo que eu já tivesse o livro ia querer ter um exemplar desses na minha estante.

    ResponderExcluir
  4. Tenho muita curiosidade em relação a esse livro
    Um grande clássico
    E gostei das fotos, deixou a resenha bem mais completa

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Essa narrativa rebuscada pode ser um empecilho para muitos leitores, o que é triste, porque é uma história que vale muito a pena ser lida.
    E achei a diagramação dessa edição INCRÍVEL. Amei!

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  6. Eu vi esse livro na leitura e quase tive um orgasmo, achei essa edição sensacional, não só essa, como também as outras edições dos clássicos Zahar. Eu tenho Os Três Mosqueteiros e ainda quero adquirir A Versão Luxuosa do Conde de Monte Cristo, quem saiba eu não sou sorteado com esse belíssimo exemplar.

    ResponderExcluir
  7. Eu deletei meu twitter e, como disseram, não pode usar um perfil criado apenas para isso. Não posso participar apenas com o facebook? :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sayonara, infelizmente sim por ser uma das regras obrigatórias!!

      Bjs, @dnisin

      Excluir
  8. Esse é mais um daqueles clássicos que todo mundo conhece a história, mas nem todos realmente a leram. Eu não lembro se cheguei a ler, talvez na escola, mas não tenho certeza, só sei que vi o filme. Eu sempre achei uma das histórias mais interessantes dos filmes que assisti na infância, pela mensagem que passa e gostaria muito de ler a história integral. E, claro, essa edição está linda e esse é sem dúvidas um livro pra se ter na estante, porque é uma história que nunca será esquecida e nunca ficará velha. ;D

    ResponderExcluir
  9. Eu nunca li nada de Victor Hugo, uma pena. Pois amo clássicos e esse me parece uma obra prima. Como mesmo vc falou, é fato que esses clássicos são cansativos, muitos descritivos. Mas deve ser uma delicia de ler um romance assim tão diferente e que imaginamos como na Disney! E que capa linda! Capa dura! Adoro!!!

    ResponderExcluir
  10. Adoro O Corcunda de Notre-Dame ♥ Victor Hugo realmente sabia como cativar o leitor, mesmo em meio a tantos detalhes. Tem gente que acha que requisito pra ser clássico é ser chato, mas requisito pra ser clássico é ser atemporal e ter gerado um impacto de alguma forma, além de influenciar outros. E esse livro influenciou muita gente :)

    Essas edições da Zahar são fascinantes ♥♥♥

    Beijinhos!

    Raquel Moritz
    raquel@pipocamusical.com
    www.pipocamusical.com.br

    ResponderExcluir
  11. Adorei a resenha. Parabéns! O Corcunda de Notre-Dame é simplesmente um livro perfeito!! ♥

    ResponderExcluir
  12. Eu só conheço o filme e o desenho do corcunda, adoraria ler o livro.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  13. Ahh, amei a resenha. Tá na minha lista de livros pra comprar! <3

    ResponderExcluir
  14. Oi Denise,

    Que edição linda! Amei a resenha e vou concorrer ao livro!

    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Conheço a história desde a época de criança. Acho que será uma volta à minha infância. Participando. \0/

    ResponderExcluir
  16. Desejando loucamente! Conheço a história, mas nunca li o livro e esta edição está de arrebentar!
    Participando!
    portela.cp@gmail.com (Camila Portela)

    ResponderExcluir
  17. Ola Denise,
    Acabo de conhecer o blog, gostei muito. O corcunda de notre dame é realmente uma historia maravilhosa, adorei a associação com a bela e a fera :)

    Participando!

    ResponderExcluir
  18. Sempre tive essa fantasia de ganhar um livro em um sorteio, mas nunca consegui realizá-la. Porém não estou participando dessa promoção só por ganhar, mas por achar que o livro precisa ser lido e devorado pelo meus olhos. A historia me fascinou e a capa então kkkk é linda! Amo o corcunda de notre dama, sou daquelas pessoas que já assistiu o filme umas mil vezes, mas nunca li o livro e quero mudar isso! :D

    ResponderExcluir
  19. Com certeza De, se você tivesse acrescentado essa comparação ao seu trabalho teria ganhado um pontão extra, pelo menos se eu fosse sua professora... Depois que comecei a trabalhar na biblioteca passei a ler os clássicos originais, principalmente os adaptados pela Disney, e sim, eles são mais crueis, mais humanos, mais preguiçosos e acomodados, no caso do Pinóquio, do que aqueles filmes fofos que fazem os olhos brilhar. Conheço Quasímodo apenas, pelo filme, e imagina aqui a minha vontade de folhear esse livro.
    Conheço um livro que também faz exaltação a um monumento, nesse caso, um teatro. A Bailarina Fantasma, da brasileira Socorro Acioli, um livro super curtinho cheio de imagens.
    Realmente foi uma Resenha de Ouro!

    Bye da Pah
    Livros Estrelas

    ResponderExcluir
  20. SEGUIDORA: ANDRESSA NUNES

    Bela resenha, abordando pontos relevantes do livro, facilitando o entendimento do enredo e despertando o interesse de quem lê, vale a pena conferir.

    ResponderExcluir
  21. Apesar de conhecer a história do livro, assistir o filme e desenho da Disney, ainda não consegui ler (vergonha define. Rsrsrs). Tenho muita vontade de ler. O que acho que me prejudicaria um pouco seria essa questão de narrativa mais rebuscada e descritiva. Confesso que prefiro os livros que sejam mais ágeis, bem diretos ao ponto. Outra coisa são essas notas de rodapé em excesso. Mas pelo que entendi, elas se fazem necessário.
    Espero conseguir ler muito em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  22. Conheço a história pelo filme protagonizado por Demi Moore, recordo-me que consegui assisti-lo até o fim apenas uma vez porque eu chorei muito com algumas cenas. Contudo, não é de hoje que eu estou morrendo de ansiedade para ler algo do Victor Hugo, pois além dessa história, tive contato recentemente com 'Les Misérables' e me encantei com essa visão política que o autor tem de inserir nos seus textos. Ademais, essa edição está belíssima mesmo. Um capricho que eu quero conferir de perto em breve!
    Beijos,
    Isabelle | http://www.mundodoslivros.com/

    ResponderExcluir
  23. Adorei a resenha, tudo bem diferente do nosso conhecido "padrão Disney". Amei o estilo da capa e por ser uma edição comentada.
    Participando da promoção :D

    ResponderExcluir
  24. Se não estou enganada, esse é um dos primeiros clássicos que li. Lembrom-e que ainda era bem jovem quando o peguei na biblioteca para ler. Depois disso, assiti ao filme e tornei a ler a obra novamente. Vitor Hugo é um autor magnífico e ler seus livros não cansa.
    Gostei muito da sua resenha.

    ResponderExcluir
  25. Achei interessante o detalhe da edição ser ilustrada, é um atrativo a mais para a leitura uma vez que completa os detalhes da imaginação ao desenrolar da história. Fiquei curioso agora pra ler o livro até o final, uma vez que conheço a história somente ddos filmes c:

    ResponderExcluir
  26. Essas edições da Zahar são incríveis. Outro dia comprei o "20 Mil Légua Submarinas" e fiquei encantada com a qualidade.
    Parabéns pelo Blog, seguindo a partir de agora.

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  28. Eu tenho a edição definitiva da Zahar d'Os Três Mosqueteiros e realmente é muita linda, dá pra imaginar como essa edição do Corcunda deve ser fantástica. E já peguei o jeito das notas de rodapé. Eu ainda não li a história, estava esperando encontrar um bom livro. Minha curisidade é ver justamente essa relação Quasimodo/Esmeralda, o grotesco e o sublime característico de Vitor Hugo. Se você tivesse lido o livro antes da sua monografia, ela estaria melhor ainda! Meu amigo leu recentemente e ele disse que o livro é fantástico (não nessa edição da Zahar especificamente, fazer o que!). Você disse que a linguagem é rebuscada, mas acho que isso só amplia a beleza da obra. Muito boa resenha a sua, me deu mais vontade de ganhar esse livro!

    ResponderExcluir
  29. A disney tem essa mania de embelezar todas as histórias, mas a versão original deve ser sensacional. lindissima edição!

    ResponderExcluir
  30. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  31. Adorei
    http://lendoferozmente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.