2001: Uma odisseia no Espaço finalmente volta às prateleiras

15/10/2013

A Aleph preparou uma edição especial e inédita no mundo para um dos maiores clássicos da ficção científica de todos os tempos.

Previsão de lançamento: 07 de outubro.


Há 45 anos, chegava aos cinemas um épico espacial que se tornaria um marco cinematográfico, considerado um dos mais importantes e influentes filmes da história. 2001: Uma Odisseia no Espaço teve seu roteiro escrito a quatro mãos, pelo escritor de ficção científica Arthur C. Clarke e pelo cineasta Stanley Kubrick.

O filme revolucionou a indústria do cinema com suas cenas inesquecíveis e efeitos visuais pioneiros para a época. O que poucos sabem é que 2001 é um dos raros casos em que o filme acabou por inspirar um autor a estender sua história para as páginas de um livro. Enquanto trabalhava com Kubrick nos detalhes do roteiro a ser utilizado pelo diretor, Clarke encaminhava, em paralelo, uma versão mais extensa e detalhada da história, que foi lançada também em 1968, logo após a exibição do filme.

Depois de mais de uma década fora das prateleiras, a Editora Aleph está lançando uma edição muito especial da obra, inédita no mundo. Além de uma nova tradução minuciosa de Fábio Fernandes (Neuromancer, Laranja Mecânica), o livro está recheado de extras: uma nota de Clarke na ocasião do falecimento do Stanley Kubrick (às vésperas da chegada do tão esperado ano de 2001); as traduções dos contos A Sentinela e Encontro no Alvorecer, fundamentais na composição deste clássico (informação confirmada pelo próprio autor em sua Nota à Edição Comemorativa do Milênio, também contida nesta edição).



O MIS (Museu da Imagem e do Som), em São Paulo, receberá entre os dias 11 de outubro e 12 de janeiro a exposição Stanley Kubrick, inédita no Brasil. Originalmente montada na Europa pelo Instituto Deutsches Filmmuseum, a mostra traz figurinos, objetos de cena, documentos e fotos originais de clássicos como 2001: Uma Odisseia no Espaço, Laranja Mecânica, O Iluminado e outros. Os principais filmes da carreira do cineasta também serão exibidos em uma mostra paralela à exposição. Mais informações.

Sinopse:

No alvorecer da humanidade, a fome e os predadores já ameaçavam de extinção a incipiente espécie humana. Até que a chegada de um objeto impossível, além da compreensão das mentes limitadas do homem pré-histórico, prenunciasse o caminho da evolução. Milhões de anos depois, a descoberta de um enigmático monolito soterrado na Lua deixa os cientistas perplexos. Para investigar esse mistério, a Terra envia para o espaço uma nave tripulada por uma equipe altamente treinada, assistida por um computador autoconsciente. Do passado distante ao ano de 2001, da África a Júpiter, dos homens-macacos à inteligência artificial HAL 9000, penetre a visão de um futuro que poderia ter sido, uma sofisticada alegoria sobre a história do mundo idealizada pela mente brilhante de Arthur C. Clarke e imortalizada nas telas de cinema por Stanley Kubrick. 


Drops:

 - 2001: Uma Odisseia no Espaço foi indicado a quatro Oscars, sendo premiado com o de Efeitos Visuais.

- O primeiro encontro entre Clarke e Kubrick aconteceu em Nova York, no dia 22 de abril de 1964. O cineasta mencionou que estava procurando uma maneira de fazer um filme sobre a relação do Homem com o universo. Clarke, então, ofereceu um de seus contos, e em maio, Kubrick havia escolhido um deles, A Sentinela (The Sentinel), como material base para seu filme. Na procura de mais materiais para expandir o enredo do filme, os dois passaram o resto de 1964 lendo livros sobre ciência e antropologia e assistindo a filmes de ficção científica. Clarke e Kubrick passaram dois anos transformando A Sentinela em um livro, e depois em um roteiro para 2001.

- Uma sequência para o livro, intitulada 2010: Odyssey Two, foi publicada em 1982 e adaptada para o cinema em 1984 (sem o envolvimento de Kubrick). Clarke mais tarde escreveu mais duas sequências: 2061: Odyssey Three (1987) e 3001: The Final Odyssey (1997).

- Segundo Clarke, Kubrick tentou conseguir uma apólice de seguro na Lloyd's of London, mercado de seguro britânico famoso pelas coberturas incomuns (como segurar a voz de Bruce Springsteen em US$ 6 milhões), caso extraterrestres fossem descobertos antes do lançamento do filme. O astrônomo Carl Sagan chegou a comentar a recusa da Lloyd's: "Em meados da década de 60 não existia nenhuma busca por inteligência extraterrestre e as chances de alguém se deparar acidentalmente com alienígenas era extremamente pequena. A Lloyd's of London perdeu uma boa aposta."

- Quem assina a capa é o designer Pedro Inoue. Diretor criativo da revista AdBusters, Inoue já colaborou com David Bowie, Damien Hirst e Ryuichi Sakamoto; as capas inovadoras dos livros de Philip K. Dick e da edição especial de 50 anos do Laranja Mecânica, publicados pela Aleph, também são de sua autoria.

- 2001: Uma Odisseia no Espaço não é a única relação da Aleph com Stanley Kubrick. A editora já publicou Laranja Mecânica (em duas edições: comum e comemorativa de 50 anos).

 - De Arthur C. Clarke, a Aleph já publicou Encontro com Rama e O Fim da Infância, e lançará em 2014, Fontes do Paraíso.

6 comentários:

  1. Ah, quero MUITO este livro. A Aleph é uma linda, já lançou a edição lindona de Laranja Mecânica e agora isso *-* Mal vejo a hora de ir no MIS.

    Beijos
    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    Nossa,o filme foi ótimo e o livro melhor o/
    Fontes do Paraíso sai em 2014 ainda? haha sempre assim...bom que está chegando ^^

    Beijocas

    Tamires C.
    http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nossa, agora eu quero muito essa edição! <3

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  4. Bom dia,

    A editora esta fazendo um ótimo trabalhos...abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. A editora está de parabéns, quando você disse de volta eu boiei pq nem conhecia com essa capa, mas depois que vi direito o post e eu entendi.


    Beijinhos :)
    http://clicandolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Sinceramente, essa edição da Aleph foi uma bola na trave. A concepção é genial: um livro-monolito. Um achado de metalinguagem editorial. Mas a execução...

    Creiam-me: esse livro não mantém sua integridade em uma estante por muito mais do que cinco anos, se tanto.

    Primeiro, essa luva devia ser de um material mais rígido, porque, do jeito que foi feita, vai descolar as abas ou amassar com muita facilidade para uma edição dita especial. Pra se ter uma ideia, quando terminei de ler o livro e fui recolocá-lo na luva, ela já tinha criado uma barriga, e não ficava justinha na lombada do livro. Se fosse usado um cartão mais grosso, não haveria esse problema.

    O livro em si, também não é grande coisa. Papel de baixa gramatura no miolo assim como falta de orelhas e de um bom revestimento plástico sobre o papel cartão da capa, que também é fino demais.

    Enfim, ficou bonito na livraria, mas ficará em frangalhos já, já, na estante de qualquer um que não o conserve num redoma de vidro.

    A Aleph mostrou que sabe fazer uma bela edição com a versão capa dura de Laranja Mecânica, mas parece que quis inventar demais e gastar de menos nesse aqui.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.