Resenha: Reiniciados

24/09/2013


As lembranças de Kyla foram apagadas, sua personalidade foi varrida e suas memórias estão perdidas para sempre. Ela foi reiniciada. Kyla pode ter sido uma criminosa e está ganhando uma segunda chance, só que agora ela terá que obedecer as regras. Mas ecos do passado sussurram em sua mente. Alguém está mentindo para ela, e nada é o que parece ser. Em quem Kyla poderá confiar em sua busca pela verdade? 
Você já imaginou se tudo aquilo que te define, que é familiar para você, fosse apagado da sua mente um dia? Foi isso o que aconteceu com a Kyla, uma jovem de 16 anos que foi Reiniciada. Agora ela precisa reaprender o básico, como andar, falar e tudo mais que um ser humano comum faz. Só que para Kyla as coisas são mais complicadas, ela é uma Reiniciada diferente, já que resquícios de sua vida antes do processo ainda estão na sua mente. Em uma nova casa, com novos amigos e família, Kyla não sabe como se comportar e em quem confiar. O único que parece fazê-la se sentir bem, é outro Reiniciado que ela conhece no colégio, Ben.

O livro é narrado pela Kyla e começa com a mesma saindo do hospital, após ser Reiniciada, ou seja, pegamos ele com a protagonista sendo introduzida nesse novo mundo, na escola e no convívio da família. A Kyla é uma personagem muito determinada e forte, mesmo que algumas coisas a abalem no meio do cominho, mas eu achei tudo compreensível. Se você pensar nela como uma menina de 16 anos começando tudo do zero, claro que você entende. O Ben é um personagem que eu gostei e não gostei ao mesmo tempo, acho que ele e a Kyla se ajudam até num determinado momento, mas a personalidade dele é estranha, volúvel. No livro ela até comenta isso, o que eu concordei. Outros personagens importantes são os pais de Kyla, Aiden e Hatten, olho nesse último.

Este não é um livro com um enredo redondo, ele tem um gancho final para a continuação e algumas perguntas que eu espero serem respondidas nos próximos livros, mas que não tinha necessidade. Ela poderia ter explicado tudo nesse e continuado o seu gancho, mas não sei, vai que as respostas dessas perguntas fazem parte dos outros enredos. O que mais me incomodou no enredo de Reiniciados, foi a autora não ter aproveitado as oportunidades para explicar as coisas durante a narrativa, e ter deixado tudo para o final. Então a gente só vai saber o que são esses ecos do passado da Kyla duas páginas antes do final, e um pouco antes disso, porque os Reiniciados existem. Eu senti falta de uma base sólida explicando esse novo mundo e como ele surgiu.

Embora ele tenha esse problema, o livro possui uma sacada sensacional. Eu nunca tinha lido um livro que chegasse perto dessa ideia, do governo apagar a memória de algumas pessoas. Convenhamos, do jeito que as coisas andam, se o governo decidisse apagar e mudar a personalidade dos criminosos por exemplo, acredito que uma boa parte da população seria a favor. Só que esse tipo de atitude, dá margem para muita coisa errada ser feita, que é debatido no livro. Até onde o governo deve influenciar a vida dos cidadãos? As cenas que mostram os Reiniciados submissos e refém de algo que foi imposto a eles são as melhores, mas também são as mais difíceis. É onde ver a Kyla questionando as coisas, mesmo que seja apenas na sua cabeça, te da um impulso para saber se ela vai se rebelar contra o sistema ou não.

A autora criou algumas palavras novas que fazem parte da distopia como Nivo e Lordeiros (isso é para deixar vocês curiosos), mas não é nada muito complicado o que eu achei ótimo, já que as distopias tendem a ter uma parte politica pesada. E mesmo com algumas palavras e situações novas, eu fiquei surpresa com o quão rápido eu li esse livro, em três dias eu já tinha terminado as mais de 400 pg. Isso se deu pela curiosidade da conclusão do livro, eu queria saber se a Kyla ia descobrir quem era ela e mais um monte de outras coisas. Algumas curiosidades foram solucionadas e outras não, como disse. Estou empolgada com a continuação e já me arriscando no que pode acontecer.

Ben é como... deveria ser, eu também deveria ser assim, mas, de alguma forma, não sou. Não do mesmo jeito. Uma Reiniciada, mas não como os outros. Kyla é diferente.
Reiniciados - Slated - Livro 01
Teri Terry
Farol Literário - Twitter/Facebook

10 comentários:

  1. Acho interessante a temática do livro, já vi um filme nesse estilo e gostei muito! Fiquei interessada pelo livro...

    Abraços, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Denise, gostei da sinopse e sua resenha me fez ficar com vontade de lê-lo.
    Mais um pra listinha.
    Hehehehehehe

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Denise, eu sou apaixonada por esse livro, mas ainda não li :(
    Espero que um dia consiga.
    E esse papo de distopia em que a pessoa tem sua memória "resetada" tá me dando muita curiosidade.


    Clicando Livros

    ResponderExcluir
  4. Eu achei a proposta interessante, embora eu não curta livros que não fechem em si mesmos. Mesmo que seja uma série, acho que deve acontecer. Claro, isso não significa que quando é bom eu o desconsidere apenas por isso.

    Não lesse ainda a série Feios? Eu achei que a questão de modificação do cérebro segue uma ideia semelhante, ainda que o fim para o qual ocorre seja 'ligeiramente' distinto.

    liliescreve.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bom?
    Passando para deixar um comentário rsrs
    Essa capa é bem melancólica , adoro as capas com esse ar
    dramático. Amei a resenha , apesar de ainda não tido conhecer o livro .
    Demais !!
    Beijos*-*
    Território das garotas
    http://territoriodascompradorasdelivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ganhei o livro, mas ainda não tive oportunidade de ler.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  7. Eu já vi esse livro em várias livrarias, mas nunca tinha lido uma resenha. Confesso que achei muito mais legal do que julgava à primeira vista =] A premissa de ter toda a sua vida tirada de você já é legal, mas ser alguém que não é "totalmente" reiniciado...
    Adorei, vou dar uma conferida!

    Beijocas
    http://nossosromancesadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Gostei da temática, principalmente por ser diferente, e até tenho curiosidade de ler o livro, mas preciso primeiro diminuir a minha pilha.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto muito de distopias, é um dos meus gêneros favoritos.
    Aliás, eu estava louca aqui procurando uma distopia que me interessasse, e o fato da temática ser diferente, fiquei curiosa em ler esse livro. Então, essa resenha foi super útil pra mim hehehe.
    Reiniciados já vai pro topo da listinha!

    bjs
    www.like-a-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Bom dia Denise,

    Esse livro esta na minha lista de desejados e a cada resenha que leio fico ainda mais curioso, parabéns pela sua resenha....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.