Resenha: Filho das Sombras

06/09/2013


Filho das Sombras narra a história da jovem Liadan, que, tal como a sua mãe, Sorcha, herdou a habilidade de falar com os espíritos da floresta, os quais lhe segredam que ela deve permanecer, para sempre, em Sevenwaters, se quiser que as ilhas Sagradas sejam retomadas dos bretões. A Irlanda está numa avassaladora guerra, onde um misterioso homem é temido e reconhecido como um mercenário feroz. E, assim como sua mãe no passado, ela acaba por ser capturada e sente-se cada vez mais atraída pelo ser das sombras, apesar de saber da maldição da profecia que Seres da Floresta lhe preveniram... 
Bom, neste segundo livro vamos acompanhar a estória da Liadan, filha de Sorcha e protagonista do primeiro livro da trilogia. A estória começa com uma serie de acontecimentos negativos que abalam a família de Liadan. Um mal que eles achavam estar morto, quer retornar e destruir os moradores de Sevenwaters. Fora isso, um mercenário tem atacado as terras vizinhas e causando mortes por onde passam. Liadan é uma jovem que ainda não se descobriu dentro da família, mas que com os acontecimentos ruins, desenvolve um tipo de poder que pode tanto ser uma benção, como uma maldição.

O primeiro detalhe importante desse livro é que ele segue uma sequencia. Mesmo cada um tendo o seu fim para o enredo, as estórias se entrelaçam, portanto, leiam na ordem. A sensação que eu tive lendo Filho das Sombras é que ele acrescenta somente três sentidos a narrativa da trilogia. Daí vem a pergunta: porque a autora não fez dois livros ao invés de três? Agora que eu terminei de ler, a resposta é bem simples, dois motivos que vão dar sentido ao livro três aparecem nesse e um deles está ligado diretamente a Liadan. Todos eles precisavam de um detalhamento bem construído, principalmente o ligado a protagonista desse. É o tipo de coisa que não caberia no primeiro e nem poderia ser jogado no terceiro. A gente já fica com a ideia do que será o terceiro livro por dois personagens que aparecem no segundo.

A Liadan é a protagonista desse e quem narra a estória, e ao contrario do anterior, nesse ela não tem uma missão explicita, mas nem por isso o livro é menos doloroso. Eu comentei na resenha do primeiro, que Filha da Floresta é um livro cheio de provações para a Sorcha, e nesse a gente não tem aquele sofrimento todo, porém, temos muitas mortes. A autora não poupou personagens, nem aqueles que eu mais gostava. Ok, eu entendi o sentido de todas as mortes, mas nem por isso fiquem menos triste. Alguns personagens do primeiro aparecem nesse e foi interessante saber o que aconteceu com eles. Porém, o destaque mesmo está na Liadan e no Homem Pintado, que descobrimos quem é, mais para o meio do livro.

Voltei para Sevenwaters no cavalo do Homem Pintado, com seu manto me aquecendo, levando um colar de garras de lobo no bolso e sangue nas mãos.
A Liadan é valente e destemida a maior parte do livro, mas também é insegura. O que dá a ela o aspecto de real. Sendo filha de sua mãe, ela nasceu com poderes assim como Sorcha. Liadan tem algumas visões e poderem que ajudam outro personagem importante deste livro. O Homem Pintado é um mistério. Até que tenhamos mais informações dele, o vemos como um homem sem escrúpulos e que mata por prazer. Com o decorrer do enredo, vamos mudando essa visão e passamos a torcer por ele. O romance nesse livro tem o foco total da narrativa. Tem ação como os outros, mas ela é movida pelo romance da Liadan com o ser das sombras. Não chega a ser um triangulo amoroso, mas uma terceira ponta vai causar muita confusão e determinar algumas das cenas mais importantes de Filho das Sombras.

A mitologia celta e a fantasia continuam em alta nesse livro, e dando a ele aquele ar de magia. Nós temos mais diálogos nesse e a protagonista gosta de contar estória, por isso, o livro é repleto de contos sobre a mitologia celta.O bom é que eles facilitam o entendimento de quem eles são e do que acreditam. Como são um povo muito antigo, acreditam que a força de suas vidas vem da floresta. Tem uns ritos bem legais, como o de falecimento, onde eles creem que a pessoa que morre, volta para a floresta. Eles cantam e dançam numa cerimonia depois que o corpo é enterrado, porque acreditam que a passagem será mais fácil assim, diferente do que estamos acostumados.

É comum pensarmos que o segundo livro cai em comparação com o primeiro, mas com esse fiquem despreocupados. A autora consegue manter o mesmo nível do antecessor, mesmo com outros personagens e com o foco mais no romance. Esse também tem 600 pg que passam rápido, devido a formatação da editora, e uma leitura mais trabalhada e diferenciada. Essa não é uma trilogia qualquer de fantasia, é perspetivável o cuidado da autora em fazer um enredo redondo e de auto nível. Filho das Sombras não é aquele livro que eu recomendaria para qualquer pessoa, assim como a trilogia. Somente leitores que querem uma leitura mais bem escrita e densa vão gostar. Depois de devorar o segundo, não vejo a hora da editora lançar o terceiro.

Comecei a perceber que meu caminho era mais complicado era mais complicado do que eu imaginava. Nunca pedi muito; apenas a segurança e a paz de Sevenwaters, a oportunidade de usar minhas habilidades e o carinho da minha família. Não me imaginava fazendo algo diferente ou sendo capaz de alterar o destino.
Filho das Sombras - Sevenwaters - Livro 02
Juliet Marillier
Editora Butterfly - Twitter/Facebook

8 comentários:

  1. Esse é meu gênero predileto, então quando vejo uma coisa dessas... Bem, eu amo!
    Ver livros densos, porém bom, me dá um ânimo que você não tem noção.

    Clicando Livros
    @clicandolivros

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    Eu adoro livros assim,ele é bem falado nos blogs e ão poucas as resenhas que li que falam algo de ruim dele.
    Adorei sua resenha e nossa! 600 páginas também...antes de ter o tempo curto terminaria em dois dias mas agora devo demorar em mais ou menos uma semana rsrs.
    ótima resenha e agora fiquei curiosa.
    Beijos
    Tamires C.
    http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nem li muito a resenha, pois vi que se trata do segundo livro
    E não conhecia essa série, mas fiquei curiosa
    Vou procurar o primeiro

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Essa é a primeira resenha que leio sobre o livro, mas achei o enredo interessante e criativo. Vai para lista de futuras leituras.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Nunca tinha visto este livro, mas adorei a resenha, agora eu quero ler o livro.

    ResponderExcluir
  6. Gostei bastante do enredo da série.
    E gostei de saber que não cai na maldição do segundo livro.
    Faz tempo que não pego nenhum livro desse estilo.

    bjs
    e boa semana
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  7. Flor, não li pra fugir de spoilers já que não li o anterior, mas tenho muito vontade!

    Um beijo
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Eu amei o livro, achei incrível o jeito da autora de narrar os fatos e sim a trilogia toda é bem densa e um pouco complexa as vezes, gostei muito de saber sobre o que aconteceu com os personagens do livro 1, quase chorei quando o barquinho ia navegando no rio acompanhado pelos espíritos da floresta, gente que triste isso

    bjos

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.