Resenha Hot: A Bibliotecária

27/08/2013

A jovem Regina Finch acaba de chegar a Manhattan para trabalhar na Biblioteca Pública de Nova York. Mas o que parecia ser a promessa de uma rotina tranquila em meio a clássicos da literatura logo se revela um irresistível jogo de sedução quando ela conhece o envolvente Sebastian Barnes, investidor da instituição e um dos homens mais cobiçados da cidade, que fica obcecado pela beleza da bibliotecária. A até então ingênua Regina se entrega a um crescente e selvagem desejo que parece consumi-la mais a cada dia, uma paixão que despertará na jovem sensações jamais imaginadas. 
Regina Finch sempre sonhou em trabalhar na Biblioteca Pública de Nova York, por isso, deixou os estudos em primeiro lugar. Nunca se envolveu com nenhum garoto e não era o tipo de adolescente que se via fora de casa no sábado à noite. Ela se formou com honras e estava pronta para dar o seu melhor nesse emprego. Regina só não esperava que Sebastian Barnes fizesse uma bagunça imensa em sua vida logo quando ela consegue algo que sempre desejou. Sebastian é fotografo, mas às vezes ajuda na administração da Biblioteca Pública de Nova York e é lá que ele conhece a ingênua Regina. Ele logo se encanta por ela, e a traz para o seu universo, um mundo onde ele é o dominador.

Sim, mas uma vez nos deparamos com os clichês dos eróticos: a mocinha virgem e mocinho envolvente. Como disse no resumo, a Regina dedicou a sua vida para os estudos, então ela não é a pessoa mais experiente no que diz respeito a homens e sexualidade. Ela sabe que deixou algumas coisas passarem na sua vida pela falta de equilíbrio, e agora que abraçar o mundo. O Sebastian representa essa liberdade de uma vida certinha e monótona. Ela chega a comentar sobre isso, que era expectadora da própria vida e agora ela quer viver essa vida. Sebastian é um cara experiente, que sabe o que quer na cama e numa relação. Ele tem alguns problemas mal resolvidos com os pais e isso acaba deixando ele mais humano por assim dizer, perto da realidade. Porém, esses problemas não são resolvidos, só expostos, algo que me incomodou no livro.

A Bibliotecária é narrado em terceira pessoa e tem o tipo de enredo que não gosto, o que o sexo é centro das atenções. Dá para perceber que a autora pensou primeiro nisso e depois estruturou o resto em volta. Então o livro já começa com o casal se conhecendo e em poucas páginas as cenas já estão acontecendo. Não é nada fora do padrão que eu já tenha lido, e olha que sobre BMDS eu li pouco, por isso, para alguns nem vai ser tanta novidade assim. Acho que isso se deve ao fato da Regina ser iniciante e o Sebastian ir devagar com ela, antes que as coisas se tornem mais avançadas o livro termina. As cenas de sexo são detalhadas e explicitas, o que é normal para os eróticos. Algumas são até repetitivas, o que me deixou com a impressão de que a quantidade de sexo eram desnecessárias para um livro tão pequeno.

Mas como eu sempre digo que de toda a leitura se extrai algo positivo, com esse não seria diferente. Eu já sabia que seria um livro erótico quando solicitei ele e confesso que fiz isso por causa do titulo, imaginava que teria um pouco do funcionamento de uma biblioteca e isso para mim é algo interessante. O livro possui uma pequena descrição de como é a Biblioteca Pública de Nova York, uma das mais conhecidas e visitadas, de alguma de suas alas e de uma premiação que ela promove. Eu não cheguei a pesquisar se essa premiação ocorre mesmo, mas o caso é que a Regina fica encarregada de ler as provas de alguns livros e escolher os melhores. Quando ela debate isso com o Sebastian, alguns livros e autores conhecidos são citados, e eu anotei para pesquisar melhor depois. É aquela rede de um livro puxando outro.

Não foi um dos melhores eróticos que já, mas isso analisando da perspectiva de que eu gosto de um tipo especifico desse gênero, os que tem uma estória para acompanhar as cenas de sexo, para encaixá-las num contexto. Já li livros assim dentro do gênero erótico, então foi o livro mesmo que conseguiu me prender em apenas algumas partes. A leitura foi até rápida porque ele não possui uma linguagem difícil e nem aprofunda no assunto BMDS, algo que eu praticamente desconheço. A autora não foi feliz ao concluir o enredo, ela deixou algumas pontas soltas e finalizou apenas o relacionamento do casal. Algumas picuinhas que aconteceram não foram resolvidas e a mãe da Regina, assim como o caso do Sebastian com os pais, não teve o seu fim. Leiam sem expectativas, é o que eu sugiro sobre A Bibliotecária. Se você não gostar vai estar no lucro e se gostar, também.

Quero ter uma relação física com você, Regina. Um tipico muito especifico de relação física.
A Bibliotecária
Logan Belle
Editora Record - Twitter/Facebook

10 comentários:

  1. Olá! A resenha ficou ótima, mas confesso que não gosto de livros do estilo. Tenho pensado em ler alguns e tentar, mas sinceramente não me atraem muito! Esses clichês, como os que você mencionou, acabam sendo sempre os mesmo... Uma pena!

    Abraços, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  2. Sua resenha é ótima!
    O que eu gostei desse livro a principio foi a capa, por se tratar de um livro mais hot a capa é bem simples e ingênua coisa que a maioria dos romances não tem.
    Não sou muito fã deste tipo de genero, mas este é bem clichê,quem sabe uam leitura mais para frente.

    beijos
    tamigarotaindecisa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi,
    Estou meio cansada de tantos eróticos, mas enfim, não gosto quando o tema central do livro é sexo, fica superficial. Acho que não leria.
    Adorei sua resenha :)
    bjs

    http://entrepaginasesonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Denise, eu não gostei muito desse livro
    Pelo título esperava mais...eu gosto do gênero já li muitooooooooos livros e tenho lidos mts outros, mas esse sinceramente não me agradou.

    Bjooooos

    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. nossa, eu imagina que esse livro não era desse gênero kk não sou chegada em livros hot, teve um boom desses livros e eu acabei por não me interessar e já digo que não gosto kk A sua resenha ficou ótima, mas não é meu "tipo" de livro ;x

    beijos!
    http://meuvicioliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bom?
    Passando para deixar um comentário rsrs
    Sério , já li muitas resenhas positivas sobre o livro
    E a tua me despertou uma vontade enorme de ler ele ,
    Amei a resenha !
    Beijos*-*
    Território das garotas
    http://territoriodascompradorasdelivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. eu não sou muito fã de livros eróticos, mas acho que é o tipo de "gênero" que é bem tranquilo de ler se tiver uma história legal. não pareceu ser o caso né? =/ conforme fui lendo tua resenha pareceu que eu estava lendo a sinopse de 50 tons de cinza lol Enfim, não me despertou muito interesse :S Por enquanto passo a leitura!

    beijão!
    http://nossosromancesadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Quando esse livro foi lançado eu pensei que seu enredo era totalmente diferente, do que você detalhou na sua resenha, apesar disso ainda tenha uma certa curiosidade de lê-lo.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oie Deni
    O que mais me chamou a atenção nesse livro quando vi os lançamentos foi a capa, mas quando descobrir que era mais um erótico desanimei.
    Parabéns pela resenha!
    Beijos

    Jéssica
    Leitora Sempre
    http://leitorasempre.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Como você disse, se o sexo não estiver ligado a uma história não tem por quê ler o livro que não seja para entreter. Tive curiosidade com essa história mas pelas suas percepções talvez não faça tanto meu estilo assim. Mas não custa tentar, verdade? Abraços.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.