Resenha: Legend - A verdade se tornará Lenda

30/07/2013


Ambientado na cidade de Los Angeles em 2130 D.C., na atual República da América, conta a história de um rapaz – o criminoso mais procurado do país – e de uma jovem – a pupila mais promissora da República –, cujos caminhos se cruzam quando o irmão desta é assassinado e a ela cabe a tarefa de capturar o responsável pelo crime. No entanto, a verdade que os dois desvendarão se tornará uma lenda. O que outrora foi o oeste dos Estados Unidos é agora o lar da República, uma nação eternamente em guerra com seus vizinhos. 

Nascida em uma família de elite em um dos mais ricos setores da República, June é uma garota prodígio de 15 anos que está sendo preparada para o sucesso nos mais altos círculos militares da República. Nascido nas favelas, Day, de 15 anos, é o criminoso mais procurado do país; porém, suas motivações parecem não ser tão mal-intencionadas assim. 

De mundos diferentes, June e Day não têm motivos para se cruzarem – até o dia em que o irmão de June, Metias, é assassinado e Day se torna o principal suspeito. Preso num grande jogo de gato e rato, Day luta pela sobrevivência da sua família, enquanto June procura vingar a morte de Metias. Mas, em uma chocante reviravolta, os dois descobrem a verdade sobre o que realmente os uniu e sobre até onde seu país irá para manter seus segredos. 
Legend é narrado sob dois pontos de vista, do Day e da June. Day é um dos inimigos mais procurados da República, já que não segue as regras que eles determinam e comete vários delitos para se manter vivo e a sua família. June é o seu completo oposto, ela confia cegamente no governo e se dedica para combater quem for contra ele. Os caminhos dos dois se cruzam quando o irmão da June é assassinado e tudo aponta para Day como executor. Ela então, decidi se infiltrar no mundo criminoso dele e usa a sua família para prendê-lo. Quando ela tem mais conhecimento do detalhes do assassinato do irmão, percebe que pode ter cometido um erro e mais, que a República não é tão confiável.

Em uma entrevista que li recentemente, a autora diz que sua inspiração para Legend saiu de Os Miseráveis, da ideia de um criminoso e uma prodígio se envolvendo. Porém, nesse primeiro livro o romance não é o foco e na maioria das vezes fica em segundo plano. Não pensem que o amor vai reinar e teremos lindas cenas deles juntos, repito, essa não é a intenção do enredo. É lógico que a autora deixa a gente curiosa para saber se terá mais Day e June juntos, mas percebemos que tem algo maior e mais importante do que isso. Eu tenho a impressão de que nos próximos livros ela não deve mudar muito isso, então, fica a cargo da nossa imaginação as cenas de romance. Até porque, o mundo deles é tão complicado que não sobra tempo para isso.

A única coisa que me incomodou no livro foi a não explicação da origem da República e quais são suas diretrizes. Não sei se na continuação isso será explicado, mas o fato é que somos introduzidos no enredo sem uma preparação. No decorrer da estória, pegamos algumas coisas quanto ao sistema e é apresentado o problema que deve ser trabalhado no segundo e solucionado no terceiro. Nos livros de distopia que tenho lido, eles parecem seguir uma formulá, jovens que se rebelam contra o autoritarismo ou porque descobrem algo errado ou por ideologias. Não vou comentar em qual Legend se encaixa, mas digo apenas que o governo deles é tão, ou mais, tirano quanto o de Estilhaça-me.

É possível que você e eu tenhamos um mesmo inimigo. E ele tenha nos colocado um contra o outro.

Vou confessar uma coisa para vocês, esse tipo de livro me dá medo do futuro. Ele me mostra o quanto nós somos fáceis de sermos manipulados e o quanto a sociedade precisa de uma liderança, de algo para nos dizer o que fazer, como fazer e quando fazer. O verdadeiro caos está na falta de um líder, é só parar para pensar e perceber que a sua vida, assim como a minha, é determinada por um modelo que na maioria das vezes você não escolhe. Não é que eu concorde com o governo autoritário e nem nada do tipo, é só a ideia de que se está ruim assim, de um jeito diferente pode melhorar, mas também pode piorar, e muito.

Divagações a parte, Legend foi o distópico que me deixou também mais receosa quanto a violência, principalmente do lado que domina. A Marie Lu foi bem direta, aberta e fria na hora de descrever as brigas e as mortes, ela meio que não poupa as pessoas. Você entende que o contexto pede essas mortes, mas depois questiona "porque esse ou aquele tinha que morrer". Além de ser mais direto, ele também é muito visual. As cenas são detalhadas e como tem bastante ação, dá para "ver" as cenas se desenrolando. Não posso especificar qual as que mais gostei, pois seria spoiler, mas as cenas finais merecem uma atenção especial. O vestuário também foi algo que curti. Eles diferenciam bem que é da República e quem é das ruas.

Mesmo com esses pontos que poderiam ser melhorados, o livro me ganhou completamente. Sabe quando tem livros que você fica questionando porque é tão grande? Com esse é exatamente o contrario, ele é pequeno e eu queria que tivesse mais páginas. A linguagem não é nada complicada para uma distopia e os personagens me envolveram a ponto de ficar pensando neles quando precisava parar a leitura. A continuação sai em agosto, Prodigy, e não estou me aguentando para saber o que vai acontecer. Muitos não tem dado nada por essa trilogia, só posso lamentar por eles, porque estão perdendo uma estória maravilhosa e que tem tudo para melhorar ainda mais.

Legend - Livro 01
Marie Lu
Editora Prumo

12 comentários:

  1. Eu adorei Legend. Não entrou nos favoritos, mas gostei demais. Achei a narrativa boa e direta.

    Beijos,
    Carissa
    www.carissavieira.com

    ResponderExcluir
  2. Oi flor, não conhecia mas me interessei!
    Vou procurar!

    Bjoooooooos

    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda não conhecia, fiquei interessado pelo fato dela ter dito que se inspirou em Os Miseráveis. Vou procurar ler, é bem o tipo de livro que eu gosto.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Muito curiosa em relação a esta série, que espero ler em breve.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  5. Oi Denise, acho interessante as suas resenhas pq sempre são de livros que ainda não li. Gostei bastante, espero poder ler em breve. Tu sabe como minha agenda tá concorrida. KKKKKKKKKKKKK

    Beijos, @_RayPereira
    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Hey
    Estou doida pra ler esse livro!
    Acho que ele me interessa mais que 'Divergente'

    Putz, eu também morro de medo dessas distopias... sempre que leio uma resenha fico pensando que isso poderia ser real no futuro.

    Vai ter filme, tb?

    bjs
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  7. Quero muito começar a aler esta série! tem tudo para ser perfeita! :D

    Tem post novo, depois da uma passada lá! :D
    Beijos.
    http://tamigarotaindecisa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Denise!
    Esse livro parece ser bom mesmo! Quero ler.
    Mas enquanto distopias te dão medo do futuro, elas me dão medo do presente mesmo. Sempre dá pra relacionar as histórias com algo que acontece no mundo de hoje. É assustador.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  9. Distopia não é meu gênero favorito, mas a trama de Legend parece ser boa, então quem sabe eu leia um dia.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Amo distopias, e faz um bom tempo que quero ler este livro
    me parece ótimo, pena que tó com vários com prioridade.
    Mas ainda vou querer ler-lo quem sabe quando lançarem
    todos aqui no Brasil, compro logo todos juntos.

    abs,
    muchachoonline.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Quero tanto começar essa trilogia! Distopias não são o meu forte, mas justamente por a autora ser tão direta e o foco ser diferente do casal romântico de sempre, já ganhou minha curiosidade e minha wishlist. Em relação a sua divagação, é aquele negócio, é ruim com, mas seria bem pior sem. O Brasil tá passando por suas revoluções, mas temos que pensar o que faríamos se o poder fosse do povo? Como proceder, produção. É pra se pensar e pra se temer de certa forma. Amei a resenha!
    Beijos!
    http://umaleitorachamada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Nossa,assim eu fico mais ansiosa para lê-lo,já venho há algum tempo querendo ler Legend,espero me apaixonar completamente pela estória,não quero me desapontar!mas acho que não.Bjs'

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.