O que torna um livro um clássico?

23/06/2013

Quando eu iniciei o curso de Literatura, umas das minhas primeiras duvidas foram sobre os clássicos. Na verdade, essa questão vem desde o ensino fundamental, em todos aqueles clássicos obrigatórios para provas e vestibulares. Como qualquer pessoa eu questiona "porque lê-los? porque são clássicos?" e a resposta que eu tive, a mesma do curso de Literatura, é que os clássicos melhoram a escrita, o seu vocabulário e representam uma época.


Quem acompanham o site a mais tempo sabe que eu sou uma defensora ferrenha dos clássicos. Desde quando eu comecei a me aprofundar em Literatura que eu busco ler esses livros e introduzir nas resenhas do site. Meu sonho é que as pessoas deem mais atenção para eles e busquem nas origens o reflexo da literatura de hoje. E esse talvez seja o primeiro aspecto dos clássicos, obras que influenciam outras obras. Para quem conhece, é fácil identificar em livros de hoje aspectos de livros de ontem. Quem aqui leu livros da Jane Austen e depois Crepúsculo e não viu semelhanças? Ou livros do George Orwell e não viu reflexos nas distopias? Um clássico além de influenciar, marca e é sempre lembrado por uma época ou por um aspecto.

As obras de alguns autores viram clássicos pela escrita, como o caso de José Saramago. Seu livros possuem uma estrutura completamente diferente do que estamos acostumados, com longos capítulos sem parágrafos ou pontuação. E quer algo mais estranho do que escrever um livro onde nenhum personagem tem nome? Lógico que o enredo também é diferente, mas pegue qualquer pessoa que conheça os livros dele, que esse será o primeiro aspecto que vão lembrar.

Machado de Assis também é conhecido por suas estórias maravilhosamente bem construídas, com enredos que mexem com o leitor a gerações. Será que a Capitu traiu mesmo o Bentinho? é um exemplo. Além disso, a sua linguagem é usada por muitos professores de português para que a estrutura gramatical e vocabulário melhorem. "Quem lê Machado de Assis fala melhor e escreve melhor", escuto isso desde criança. A influência dos livros de Machado de Assis na melhora da escrita é inclusive tema de pesquisa.


Por fim, um clássico não é um clássico se ele não tem temas que transpassem o tempo. São livros que independente de época, sexo, idade ou qualquer tipo de marcação, é identificável. O leitor lê e se identifica com algo, ou se vê refletido na estória por algum aspecto. São as obras atemporais (adoro essa palavra, vocês sabem), aquelas que você fala para uma pessoa ler sem medo de que ela não geste de pelo menos um aspecto do enredo. E não digo só no amor, que é um tema universal. A Revolução Industrial por exemplo, não dá para falar desse tema em literatura sem lembrar de Dickens ou do livro Norte e Sul da Elizabeth Gaskell.

Terminando de fazer esse post eu fiquei pensando em algum livro hoje que eu me arriscaria a dizer que será um clássico amanhã e não consegui chegar a ponto nenhum. Passo a bola para vocês. Qual livro que tenha sido escrito recentemente vocês acham que as pessoas vão se lembrar daqui muitos anos e dizer que é um clássico da literatura?

12 comentários:

  1. Oi Denise. Vinha me perguntando a mesma coisa nos últimos dias. Não li muitos dos grandes livros da história mas tenho fascínio por eles. Ao ler Jane Austen notei claramente a diferença da escrita de ontem com a escrita de hoje. Concordo com a sua colocação do que um livro deve ter para se tornar um clássico. Espero também lê-los mais e desvendar mistérios da nossa e de outras culturas. Um livro que tenho quase certeza que se tornará um clássico daqui a uns anos é a série "Harry Potter" *-* Deixei isso em mente e não tem que me faça mudar de ideia, rsrs. Abraço, adorei o post.

    De Frente com os Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Harry Potter se tornará um clássico, é óbvio, porque é perfeito e porque sou potterhead

      Excluir
  2. Eu não sabia como um livro era considerado clássico. Gostei do post,crio que agora é difícil dizer qual livro vai vim a se tornar um clássico, com tantas diversidades que temos.
    Beijos...

    ResponderExcluir
  3. Bem, me sinto na obrigação de rebater sobre Machado de Assis. Não vejo graça no modo como ele escreve. Claro que as estórias são muito bem amarradas, mas em questão de português padrão? O dele já está velho. Acho que ele poderia ser mais lido se alguma editora tivesse a feliz ideia de contextualizar os livros dele para o português padrão atual. Sou traumatizada com os livros dele.
    Acho que, assim como no cinema, os clássicos no futuro serão os que menos imaginamos: Crepúsculo, Jogos Vorazes, 50 Tons de Cinza... e assim por diante.
    Amei o post, como sempre, muito bem construído!

    Beijo
    @_RayPereira
    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. velho ? comesse a ler mais ele ,e assim , só assim quem sabe você irar aprender a escrever (História) melhor

      Excluir
  4. Confesso que o grande autor que nossa geração pode conviver e que será relembrado e eternizado foi Saramago.

    Vi acima algumas citações de livros muito bons, mas que eu não acho que se tornaram clássicos. HP será lembrado para mim para sempre, mas eu não sei se em um século, as pessoas ainda se interessarão por ele. Não do mesmo modo que hoje. Confesso que um livro atual que se encaixa melhor nesse aspecto (e que também é para o público jovem) é JV. Embora eu não votasse nele, acho que é o que tem maior probabilidade de marcar ao longo do tempo pela discussão que traz.

    Não consigo pensar em outros no momento, não há nenhum livro que eu acho que ainda será um clássico e que já não o é considerado.

    liliescreve.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lili, fiz um post sobre os clássicos no meu blog também e falei do Saramago. Não tem como não lembrar dele e do seu estilo de escrita peculiar, não é mesmo?

      Confira lá no blog se quiser: http://universodosleitores.blogspot.com.br/2013/07/materias-literarias-o-que-torna-um.html

      Bjs

      Excluir
  5. Concordo com o Clovis, Harry Potter eh o classico dos nossos tempos.

    Adorei a postagem. Ja estudei um pouco do assunto qdo comecei minha faculdade de Letras (mas tranquei a faculdade por um tempo).

    Bjo.

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde Denise,

    MUito bom esse post....e difícil essa pergunta...mas HP, PJ,O menino do pijama listrada, caçador de pipas e a menina que roubava livro...podem ser um dos clássicos no futuro...abraços.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Wow! Adorei seu post, confesso que quando a curiosidade bateu andei fazendo umas pesquisas. Estou pensando em começar literatura na próximo semestre ou sociologia, vai depender bastante do que for rolar de $$ E como disse, o único autor que posso pensar em ser considerado clássico no futuro é Neil Gaiman com suas fábulas sobre a infância adulta.
    Bjs!

    www.marizoch.com

    ResponderExcluir
  8. Olá! Muito bom o post, concordo com você. Também falei sobre isso no meu blog hoje, mas não é fácil definir tudo que contribui para que eles se tornem clássicos, né? Abraços!

    www.universodosleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Eu confesso que leio poucos clássicos (chorosa aqui), mas acho eles perfeitos e enriquecedores. Orgulho e Preconceito foi um clássico que li recentemente e está na minha lista de favoritos.
    Acho que A menina que roubava livros ou HP tem grande potencial para se tornar os clássicos de amanhã hehe

    Beijos
    http://like-a-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.