Belas-Letras lança songbook de Vitor Ramil

17/06/2013

O músico, cantor e compositor Vitor Ramil ganha um novo produto no mercado: um songbook à altura de quem é considerado uma das grandes referências da música popular brasileira. Completo, com uma biografia ilustrada, partituras, cifras, afinações e diagramas de suas canções, o livro chega neste mês pela editora Belas-Letras.


“O romance se estrutura com fotos e textos, sem buracos neste raro tecido, elas sendo um conjunto de fotos antigas de Pelotas, lindas e frias (publicadas em álbum em 1922), eles sendo pequenas ficções por assim dizer brotadas das fotos, às vezes, e noutras vezes o relato, em primeira pessoa, do protagonista, que vai contando o que lhe sucedeu desde que retornou a Satolep até o desfecho, que não convém evocar aqui, porque se trata de uma revelação-chave para a complexa estrutura concebida pelo autor”, apresenta o escritor Luís Augusto Fischer na introdução do livro.

Com um talento ímpar, o pelotense Vitor Ramil já teve suas músicas gravadas por outros grandes artistas de renome internacional como Gal Costa, Ney Matogrosso, Zizi Possi e Mercedes Sosa. Sua trajetória, desde a infância até a fase atual – incluindo os principais shows e encontros – é descrita nesta obra por uma mescla de textos seus e com pesquisas do crítico musical Juarez Fonseca.

As partituras, que compõem uma das cinco partes em que o livro é dividido, foram escritas pelos músicos Vagner Cunha e Fabricio Gambog, e revisadas por Ramil. O songbook contém ainda as letras de suas canções, algumas imagens inclusive ainda nos rabiscos do rascunho, e sua discografia completa.

2 comentários:

  1. Não conhecia o músico, acho interessante esse tipo de publicação, apesar da capa não ser nada interessante (ao menos ao meu ver, rs). Fico ainda curiosa com algumas coisas, por exemplo, se realmente um livro como esse vende e ganha espaço. Enfim....

    Beijos.
    Clicando Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que um livro como esse vende mas para um público específico. Quase 900 pessoas ajudaram o Vitor na campanha de financiamento coletivo. Eu, por exemplo, não participei mas meu exemplar já foi encomendado no site do artista. Tenho a impressão de que ele nunca será do 'grande publico', afinal, já tem mais de 25 anos de carreira. Mas quem adentra as entranhas de Satolep com certeza passa a acompanhar o trabalho dele fielmente. É muito bom.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.