Resenha: Filha da Floresta

28/05/2013


Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da Natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que os transformou de bravos guerreiros em belos cisnes selvagens...

O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos... Os invasores da floresta, os salteadores de além-mar, os bretões e os vikings, estão todos decididos a destruir este lindo paraíso. Porém, o mais urgente para os guardiões de Sevenwaters é destruir o mal sombrio que se introduziu em seu domínio: Lady Oonagh, uma feiticeira, bela como o dia, mas com um coração negro como a noite. Landy Oonagh conquista Lorde Colum, mas não consegue encantar a prudente Sorcha e seus bravos irmãos.

Frustrada por não conseguir destruir a família, ela aprisiona os jovens guerreiros com um feitiço que somente a força silenciosa de Sorcha pode quebrar. Se falhar, todos continuarão encantados e morrerão! Mas os seres da floresta veem Sorcha como sua filha e a colocam sob a guarda de um destemido guerreiro, porém o preço dessa proteção é abandonar a segurança de tudo o que conhecia para seguir até terras estrangeiras e hostis... Em pouco tempo, a jovem se vê dividida entre o seu dever, que significa a quebra da maldição que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.

Seguindo a tendência atual de releitura de clássicos para o público juvenil e adulto, Filha da floresta é uma fantasia medieval baseada na obra germânica dos Irmãos Grimm, o conto Os seis cisnes, também conhecido como Os cisnes selvagens. Além dos clássicos elementos das fábulas (a madrasta perversa, eventos que causam transformação interior e grandes obstáculos a serem vencidos), o romance descreve uma história de coragem, nascida de perdas, e de vidas modificadas para sempre, além de apresentar dilemas humanos dentro de um contexto de fantasia, pois o objetivo dos contos é descrever experiências difíceis e mostrar o que há de melhor e de pior no ser humano e mostrar a recompensa merecida ao fim de sua narrativa.

Como uma sinopse tão detalhada, passarei para a analise do livro. A narrativa de Filha da Floresta é em primeira pessoa e pelo ponto de vista da protagonista Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, e contará a sua saga para desfazer a maldição lançada em seus irmãos. O livro começa com a Sorcha muito pequena e seus pensamentos e atitudes são mais infantis, a medida que as provas vão surgindo em seu caminho, ela vai revelando outra personalidade. Outros personagens importantes no enredo são os 6 irmãos dela, que juntos possuem uma ligação muito forte. O pai e a vilã também aparecem e dois bretões, como denominam seus inimigos, ganham bastante destaque, principalmente depois do meio do enredo.

Esse livro é o tipico livro de fantasia onde o herói tem que passar por vários obstáculos para realizar a sua missão. A heroína, no caso, passa por tantas provações para quebrar a maldição dos irmãos que o ar do livro é de sofrimento. Cheguei a comentar no twitter muitas vezes que a Sorcha sofria demais, que era difícil manter uma leitura regular, pois parava regularmente para respirar fundo e continuar. O crescimento da personagem se da não só pelo marco cronológico, ela começa o livro com um pouco mais de 11 anos e termina com 16, mas também pelo que ela passa. A menininha tranquila que corria de pés descalços junto com os irmãos se torna uma mulher determinada e forte, porque passar pelo que ela passa, deixa marcas em qualquer pessoa e bem ou mal, te fazem adquirir certa experiencia.

Seres como ela sempre irão dizer que não existe luz ou escuridão, apenas sombras. Que todo o caminho pode ser certo ou errado e que bem e mal são apenas dois lados da mesma moeda. Cabe a você acreditar ou não.

A fantasia do livro também se apresenta com algumas criaturas e mitos que se tornam realidade. Cada um dos irmãos tem um dom especial e a maioria dos personagens tem alguma ligação com a natureza. A vilã do livro é um ser sobrenatural, assim como quem ajuda a Sorcha na missão também. Ao contrario do que eu imaginava, essa fantasia toda não me deixou perdida nem nada do tipo. A autora foi simples e direta nas explicações e consegui acompanhar sem problemas. Nunca tinha lido nada sobre a mitologia celta e achei superinteressante, principalmente a ligação deles com a natureza. O fato de agradecerem o que recebem e pensar em uma forma de retribuir o que ganham dela, são lições boas para serem transmitidas principalmente em tempos como o de hoje.

O romance não é o foco deste livro, o foco é a Sorcha conseguir concluir sua missão, mas a autora, sabiamente na minha opinião, adicionou esse tempero no enredo e deixou a estória com uma emoção a mais. Será que além de quebrar a maldição a Sorcha vai ficar com o guerreiro que lhe foi designado? A interação deles acontece no meio do livro e as coisas só se resolvem no fim. É compreensível, como disse, já que toda atenção dela é para a família. Eu achei o casal bem fofo para falar a verdade, as cenas dos dois juntos são poucas, mas deu para torcer e se emocionar. Acredito que nem no segundo livro eles voltem e tenham uma interação maior, então, é só esses momentos mesmos. A cena dos dois na praia é bonita, ela esta alegre e ele receptível, a conversa é reveladora e se desenrola bem. Prestem atenção ao ler.

Como eu disse, a leitura do livro foi lenta pelas emoções que senti com ele e não pelo numero de paginas que pode assustar. Ele tem quase 600, mas olha, o enredo é tão amarrado, a estória tão boa e envolvente que eu não me prendi a isso e espero que vocês também não. A escrita da autora é um caso a parte, eu não conheço o conto dos irmãos Grimm que ela se baseou para escrever o enredo, mas fui surpreendida pelo texto construído. Quando você pega um livro como Filha da Floresta é que percebe o brilhantismo de certos autores, é mesmo uma aventura épica que eu fiquei muito grata em conhecer. Cada livro da trilogia vai contar sobre um personagem, então, o próximo, Filho das Sombras, tem uma relação com este só que não de enredo. Mal posso esperar para ter esse livro em minhas mãos e voltar para o mundo de Sevenwaters.

Sempre imagino nós sete como membros de um corpo. Podemos estar separados e ter a impressão de que não há futuro para nós. Podemos seguir caminhos diferentes, cair, quebrar e voltar a ser inteiros novamente. Mas no fim, tão certo quanto o sol e a lua atravessam o arco dos céus, todos os dias, a força de um será a força dos sete.

Filha da Floresta - Sevenwaters - Livro 01
Juliet Marillier
Editora Butterfly

8 comentários:

  1. Fantasias geralmente não me interessam, mas às vezes eu dou uma chance ao livro - quando tem romance - e não me decepciono, mas por você já ter dito que esse não é o foco, eu já não sei se leria.

    Beijos,
    Letícia - Literature Diary

    ResponderExcluir
  2. Deve ser muito bom. Já tinha vontade de ler, agora fiquei com mais.
    E a capa é linda.

    Beijos,
    Carissa
    http://www.carissavieira.com

    ResponderExcluir
  3. Já há algum tempo tenho vontade de ler esse livro. Na Bienal do ano passado em São Paulo fiquei paquerando horas e horas com ele mas no final, "ficamos" só na paquera mesmo (infelizmente) rsrs.

    Beijos,
    Myris
    http://www.nacabeceiradacama.com.br

    ResponderExcluir
  4. Já conhecia esse livro e acho dele bem interessante.
    Tenho muito interesse de lê-lo.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Parece ser bem misterioso e com uma historia fantastica

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Hey
    Não conhecia o livro.
    Gosto de fantasia, principalmente com seres encantados..

    Deus, 600 páginas.. mas às vezes o livro é tão bom que você nem sente

    bjs e um bom feriado
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  7. Amei a capa do livro, já seria o suficiente para eu comprar, mas a sinopse reforçou ainda mais esse desejo, sou apaixonada pela mitologia celta e por magia. Lerei, com certeza.

    Beijos
    fromafallenangelsheart.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Tenho vontade de ler este livro por causa da cultura celta, que me interessa bastante
    Está na minha lista de desejados!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.