Resenha Nacional: Equinócio - A Primavera

19/04/2013


 
A cidade do Rio de Janeiro é o pano de fundo onde a estudante de medicina Clara vive sua rotina diária com a família e amigos. O que ela não imaginava é que tudo o que acreditava estivesse prestes a mudar, com a visita inusitada de um anjo. As força do mal ameaçam escravizar a raça humana e, para impedir, o anjo da guarda Nath-Aniel (Nate) vem à Terra, disfarçado de humano, para alertar sua protegida Clara de que sua vida está em risco. Proibido de agir em nome dos humanos e alterar seus destinos, o anjo acaba por se envolver demasiado quando revela a Clara que o pai dela, um renomado cientista, é o responsável pela descoberta que despertou as forças do mal: a fórmula da perpetuação da vida humana (criônica). Toda a missão da legião de anjos celestiais é colocada em risco quando Nate e Clara se apaixonam.

Equinócio conta a sua estória pelo ponto de vista da protagonista Clara, uma jovem estudante de medicina que se vê envolvida em grandes problemas quando fica sabendo que seu pai descobriu a formula que perpetua a vida dos seres humanos. Isso criaria um desiquilíbrio na balança entre o bem e o mal, por isso, Nate, o anjo da guarda de Clara, é mandado a Terra para impedir que isso aconteça. Nate tem a aparência e os sentimentos de um homem comum, era para ele apenas resolver esse problema com a criônica, mas Clara tem tornado tudo extremamente difícil para ele. Quanto mais perto dela, mais seus sentimentos humanos se intensificam, e consequentemente, menos perto da sua divindade ele fica.

O livro todo tem um quê de apresentação, é como se esse primeiro fosse apenas para conhecermos os personagens, nos ambientarmos na estória e sabermos quais serão os principais conflitos que a serie terá. Mesmo se eu não soubesse que o livro tem uma continuação, eu saberia que em algum momento ele teria, pois o livro grita "primeiro livro". Acredito que o que deixa isso claro, é a relação da Clara com o Nate. Entre eles as coisas são mais castas, sem muitos contato físico. Seria até injusto deixar a situação deles sem algo concreto ou com mais furor e paixão. A estória de alguns personagens secundários como Rodrigo e Jonas, que também da essa dica, sem contar o modo como o livro termina.

Na leitura, é perceptível o estudo que a autora fez sobre os anjos. Não sou conhecedora deles e muito menos estudiosa no assunto, porém, percebi que algumas explicações foram tiradas da Bíblia e outras devem ter sido mescladas com a imaginação da Lu. Em nenhum momento faltou informação para explicar porque os anjos estão inseridos na trama ou o que seria a formula que mantem as pessoas vivas. Tudo no livro é bem pontuado e amparado por bons argumentos. Ao contrário de autoras que criam algo novo e não situam o leitor quanto ao porquê disso e daquilo, a Lu soube nos ambientar muito bem.

Alguns pontos me deixaram confusa e por isso não dei 5 estrelas no skoob. O livro começa dizendo se passar 8 anos antes de uma cena entre a Clara e o Nate, depois disso, não a marcação se o tempo volta no presente ou continua no passado. Eu acho que o livro todo se passa 8 anos antes do prólogo, que é a descrição da cena. Se não for isso, o tempo em que a estória se passa não ficou clara para mim. Fiquei confusa também com a forma que o Nate e a Clara se encontram, dar mais detalhes seria spoiler, mas não consegui distinguir quando era realidade ou não.

Mesmo com essas confusões, a leitura do livro foi totalmente valida para mim. A linguagem com que ele foi escrita é ótima, flui super bem, que quando você percebe já leu vários capítulos sem nem perceber. Estou ansiosa para a continuação, principalmente para saber como o romance entre a Clara e o Nate vai se desenvolver, como disse, as poucas cenas românticas deixaram um gosto de quero mais. Com livros nacionais como este, e os que estão saindo, não dá para dizer que não temos uma literatura a altura das outras. Basta que vocês deem uma chance para livros como Equinócio, garanto que não vão se arrepender.

Quando o conheci na praia, mesmo não sabendo quem era, soube, na primeira troca de olhares, que algo diferente e muito forte nascia dentro de mim. É momento de assumir que me apaixonei por ele desde o primeiro instante e não há nada que eu possa fazer contra isso.

Equinócio - A Primavera
Lu Piras
Editora Dracaena

7 comentários:

  1. Olá, Denise!

    Adorei a resenha! *-*
    Você sintetizou muito bem o que representa Equinócio na série. Ele é o primeiro, por isso, explicativo. É uma série em que cada personagem e cada evento tem uma razão de ser e uma explicação, que será aos poucos conhecida ao longo de toda a trama.
    Sobre a sua dúvida da cronologia da história, posso te esclarecer que o prólogo relata o evento passado 8 anos antes de a história começar com o primeiro capítulo. Ou seja, toda a história se passa 8 anos depois do evento do prólogo. :)
    Sobre os encontros entre Clara e Nate, o fato de Clara ter ficado confusa no primeiro encontro com o anjo é transmitido ao leitor, pois a narrativa em primeira pessoa tem essa função. Ela estava sonhando. Ao longo da história o leitor é conduzido a concluir quando os encontros são sonhos (em que a protagonista os está vivendo) e quando Nate (o anjo) se materializa para estar com a Clara. :)
    Espero que eu tenha ajudado a elucidar essas dúvidas. Posso adiantar que Polaris trará muitas explicações, muita ação e... mais contato físico também! Até por que, como você muito bem disse, a castidade no relacionamento entre a humana e o anjo é algo natural, mas também é um desafio que tanto Clara como Nate terão de lidar por quererem ficar juntos.

    Muito obrigada pelo seu feedback!

    Polaris vem aí ainda neste semestre!

    Beijocas,

    Lu

    ResponderExcluir
  2. Eu não li Equinócio ainda, e pra falar a verdade é a primeira resenha que eu leio dele haha. Nem sabia que falava sobre anjos. Eu sabia que era algo relacionado ao sobrenatural, mas não tinha ideia do que era, especificamente.
    Entendo isso que você quer dizer do primeiro livro parecer uma apresentação, rola com várias sagas. Senti muito isso Fallen, parece que toda a "ação" fica acumulada no final, e vai criando tantas brechas que chega a dar agonia, porque só serve mesmo pra criar uma base pro que vem em seguida. Mas acho que se a leitura flui bem e cria um interesse, então é válido. Duro é quando se cria uma base que não dá nenhuma sustentabilidade (como em Fallen haha)
    Beijão

    http://nossosromancesadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Mal posso esperar para ler Equinócio! Só vejo gente falando bem, e, além disso, um livro sobre anjos brasileiro deve ser nada menos que fantástico!
    Beijo,
    Vinícius - Livros & Rabiscos

    ResponderExcluir
  4. Adoro a capa deste livro. Quando a história, você disse que a explicação pros anjos que a autora utiliza é da Bíblia, espero que o livro não esteja tão atrelado ao cristianismo, isso poderia ser um incomodo pra mim. No mais, me interessei bastante pelo livro, principalmente pela parte da fórmula criada pelo pai da protagonista.

    Beijos
    fromafallenangelsheart.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Tenho bastante vontade em ler Equinócio por ser nacional e porque, as críticas ainda não me desanimaram, a explicação da Lu sobre a cronologia vai me ajudar a entender a história quando lê-la - espero que essa leitura seja em breve! :D

    PS: Te indiquei para um selinho: http://mauraparvatis.blogspot.com.br/2013/04/selinho-2013-literario.html, se gostar de responder, ou não esses trequinhos, HAHA, 'tá feito o convite :D

    Beigos!

    ResponderExcluir
  6. Além da capa linda, a resenha me deixou com vontade de ler. Nunca imaginei que tivesse anjo envolvido nessa história. Agora quando se trata de sobrenatural é mais complicado não rolar confusão. A não ser que sejam experts no tema, é difícil não deixar alguns pontos confusos.

    ResponderExcluir
  7. Tive o prazer de ler este livro e gostei muito do trabalho da autora. Agora estou no aguardo da continuação.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.