Resenha + Cine Cult: Dezesseis Luas

02/03/2013


Sobre o livro


Ethan é um garoto normal de uma pequena cidade do sul dos Estados Unidos e totalmente atormentado por sonhos, ou melhor, pesadelos com uma garota que ele nunca conheceu. Até que ela aparece... Lena Duchannes é uma adolescente que luta para esconder seus poderes e uma maldição que assombra sua família há gerações. Mais que um romance entre eles, há um segredo decisivo que pode vir à tona. 

Eleito pelo Amazon um dos melhores livros de ficção de 2009. Direitos de tradução vendidos para 24 países. Um filme da série está sendo produzido. "Pacote completo: um cenário assustador, uma maldição fatal, reencarnação, feitiços, bruxaria, vudu e personagens que simplesmente prenderão o leitor até o fim..." 

Uma das coisas que logo chama a atenção em Dezesseis Luas é fato de um garoto adolescente narrar a estória. Eu não estou acostumada com isso, fora os livros do Nicholas Sparks, os homens narrando não é lá muito comum. Fora o narrador em questão ser um garoto, Ethan, os sentimentos dele são expressados de uma forma muito mais sensível do que se espera do sexo masculino. Não que eu ache ruim, pelo contrario, imaginar que os homens realmente se importem com as coisas que nós queremos é um sonho, mas temo que seja isso, apenas um sonho. Não vou entrar na guerra dos sexos, apenas me pareceu que o Ethan é um personagem fora da realidade, onde as autoras projetaram como elas queriam que os homens pensassem.

A personagem Lena é uma incógnita, a vemos pelos olhos apaixonados de Ethan e ele não é o ponto de vista mais confiável. Pelos olhos dele percebemos que ela não é uma menina fácil, mas que embaixo de toda a casca, se torna sensível e medrosa. Ela é uma personagem que se destaca mais pela personalidade do que por qualquer outra coisa. Os outros que merecem ser citados é a Amma, quem criou Ethan e é a vidente da estória, Macon, o tio excêntrico de Lena e a Ridley, uma das vilãs. A Amma e suas palavras cruzadas é uma palavra de 9 letras que designa aquilo que não é igual: D-I-F-E-R-E-N-T-E. O livro tem várias dessas.

Somos diferentes. Você é um Mortal e eu sou uma Conjuradora. Esses mundos podem se cruzar, mas jamais serão a mesma coisa. Não podemos viver nos dois.

O enredo tem um senso de humor interessante, hora engraçado de "OMG, não acredito nisso" e hora com um sarcasmo na medida certa. A cenas das Irmãs, tias-avós de Ethan, com os filhotes dos esquilos foi sensacional. Me peguei pensando nisso depois e rindo sozinha. O humor que você não consegue acreditar fica por conta da Amma e seus mistérios e dos pensamentos de Ethan em relação a determinadas coisas. Aqui voltamos ao paragrafo anterior, é difícil imaginar um homem pensando assim, mesmo eu desejando muito que fosse verdade.

A explicação da maldição, dos conjuradores e de todos os outros mistérios não é complicada, só um pouco extensa, isso até na hora de explicar os porquês, depois é uma avalanche de informações que leva um tempo para assentar na cabeça. Não achei que foi nada de muito extraordinário, mas as autoras souberam argumentar em cima de cada informação, explicando cada detalhe. Pode ser muita coisa a se pensar, porém, não deixa de fazer sentido.

Dezesseis Luas foi um livro que eu adorei ler, acho que mais pela construção dos personagens do que pela estória em si. Mesmo sendo difícil imaginar o Ethan, ele é um garoto cativante e que se mostra um bom companheiro para a Lena. Gostei também do modo como o livro terminou, sem deixar nada de substancial em aberto, não foi o que eu imaginei que aconteceria, mas não me deixou menos feliz. Morrendo de vontade de ler Dezessete Luas logo. Outra coisa, os títulos tem tudo a ver com a estória.

Ninguém pode decidir o que acontece com você. Ninguém além de você.

Dezesseis Luas - Beautiful Creatures #1
Kami Garcia, Margaret Stohl
Editora Galera Record

Sobre o filme

 
Não vou mentir para vocês, foi bem complicado ter ideias para escrever essa critica. Tive que ter duas perspectivas, a de quem nunca leu o livro e a de quem leu. A segunda não ficou nada feliz, então vou tentar escrever o que mais agradou a perspectiva que não leu e a que mais desagradou a perspectiva da que leu e adorou o livro.

Sintetizar um livro de mais de 400 paginas em 2 horas é complicado, por isso o papel do roteirista é bem mais difícil do que aparenta. No caso de Dezesseis Luas, o diretor foi o mesmo que roteirizou o filme.  Richard LaGravenese fez um bom trabalho, embora tenha criado uma nova estória, ele tornou simples e rápido o que levei uns 3 dias para entender. Em meia hora você já sabe o que são os conjurados, seus poderes e o que é a maldição. Se por um lado o roteiro merece elogios, a caracterização fisica foi um desastre. Os atores em nada lembram os do livro, principalmente o trio Ethan, Lena e Ridley. São coisas básicas que fariam diferença, a Lena tem olhos verdes e não castanhos e a Ridley é loira e não ruiva. Fora que ela sempre está com um pirulito e não morango. (Oii??!)


Ao contrario do que eu imaginava, o Alden Ehrenreich interpretando o Ethan não ficou tão ruim. Ele me surpreendeu sendo bastante verdadeiro nas cenas. Da para perceber que quando ele está rindo é rindo de verdade ou quando está com raiva aparenta mesmo estar com raiva. Me deu a impressão de que as cenas não sofreram cortes ou forma refeitas, do jeito que foi gravado pela primeira vez, foi. A Alice Englert precisa melhorar sua interpretação nas cenas de drama, nelas ela ficou com aspecto forçado, mas nas cenas rindo e de romance, ela e o Alden se saíram bem. Jeremy Irons está ótimo, como sempre, e a Emma Thompson merece destaque por interpretar tão bem duas personagens distintas.

A trilha sonora do filme está boa, mas não apareceu tanto quanto merecia. Um filme para o publico jovem, poderia ter um pouco mais de voz no meio e não só os instrumentos. Os efeitos especiais ficaram muito bons. As cenas de tempestades e dos poderes dos conjurados dá um pouco de medo, eu sei que não sou a melhor pessoa para falar sobre coisas assustadoras porque até vento me dá medo, mas as parte que a Emma Thompsonestá interpreta a Sarafine, a conjuradora das trevas, ficaram convincentes.

 
Os dois pontos que talvez mais tenham me irritado no filme foi a junção de duas personagens em uma, a Amma e a Marinan, bibliotecária, e o fim dele. A Viola Davis interpretou as duas, e nada contra ela, mas a Marian tem um papel importante no livro que foi pouco retratado no filme por causa da junção. Preferia duas pessoas interpretando as duas personagens. O segundo ponto foi como o filme terminou e acredito que seja essa a principal diferença do livro. Enquanto o livro tem um fim para o enredo, o filme deixa em aberto o que acontece com a Lena e o Ethan. O filme precisa de uma continuação enquanto o livro poderia ter uma.

Não sei se essa continuação virá pois a arrecadação do filme está baixa. O orçamento dele foi de 60 milhões e o filme arrecadou quase 20. Tenho tentado pensar no porquê disso e cheguei a duas conclusões: a divulgação ruim do filme e a comparação com a saga Crepúsculo. No Brasil o filme começou a ser divulgado a umas duas semanas, o que é pouco já que o filme vem sendo divulgado lá fora desde de janeiro, e as promoções do mesmo só tem acontecido em São Paulo. Não é por nada não, mas o país é bem mais do que um único estado, mesmo ele sendo o que mais arrecada. Vejo pessoas comentando nas redes sociais que nem sabiam que tinha filme baseado no livro.


A comparação com Crepúsculo é desnecessária. Não endento da onde tiraram a ideia de que a saga serve de parâmetro para algo. Adoro os livros e tudo mais, mas é injusto com os outros filmes e atores sempre serem comparados com ela. Crepúsculo é uma coisa e Dezesseis Luas é outra completamente diferente e interessante a sua maneira. É preciso parar de buscar um outro sucesso para substituir esse porque não vai acontecer, pelo simples fato de que isso não é necessário, as pessoas vão ver aquilo que elas quiserem ver. Se você está indo ver o filme com esse proposito, não gaste o seu dinheiro.

Dezesseis Luas estreou ontem e está passando em todos os cinemas do Brasil. Se você leu o livro não o aconselho a ver o filme, pois vai sair de lá frustrado e envergonhado, agora, se você não leu e quer ver um romance sobrenatural que tem partes divertidas, assustadoras, fofas e com uma boa trilha sonora, vá sem medo.


13 comentários:

  1. Já aconteceu várias vezes comigo do livro ser bom e a adaptação ser péssima, ou talvez com algum defeito que não passou despercebido.

    clicandolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Pra ser honesta, não tenho muuuuita vontade de ver o filme, embora queira ler o livro (o fato de ser uma série não é um ponto a favor desta vez kk). Pelo jeito 16 Luas me saiu um Percy Jackson da vida: um filme ótimo, porém adaptação péssima. É triste isso. =//

    Adorei o post dois em um!! :D
    Beijocas!
    @mariapsalles
    jardim-de-borboletas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Já tive vontade de ler o livro, mas acabei nem lendo. Já o filme, não estou muito animada não... Pode ser até que seja como aconteceu comigo com Crepúsculo, gostei dos filmes e não gostei dos livros. Ou pode ser até que eu me empolgasse com os livros e me surpreendesse com eles. Mas por enquanto não me animo a incluir essa leitura na minha lista.
    Apesar de serem duas coisas diferentes, até entendo a comparação com Crepúsculo no aspecto "generalizador" da coisa. Falo da presença de um romance sobrenatural, o mocinho ou mocinha representa um perigo para o outro, o amor dificultado pela "natureza" do casal. Enfim, existem lá alguns aspectos comparáveis. Mas bem, falo só dos gerais, já que não li Dezesseis Luas.

    Bj
    Livro Lab

    ResponderExcluir
  4. Até tinha vontade de ler o livro, todos os comentários e resenhas, inclusive a sua, são muito positivas, isso, até ver o cartaz do filme e a ridícula frase de "O novo Crepúsculo"!
    Como fã de Twilight, acho péssima essa comparação, portanto provavelmente demorarei bastante tempo para ler o livro e assistir ao filme.

    Literature Diary
    @literaturediary

    ResponderExcluir
  5. Quero tanto ler quanto assisti. Você não foi a única que não ficou muito feliz com o filme, já havia ouvido outros comentários sobre ele :(

    Rafa
    Blog Melody

    ResponderExcluir
  6. Já li o livro e gostei. Achei os personagens tudo diferente do livro; como a Ridley, ela não nada a ver com Ridley do livro, achei isso meio absurdo

    ResponderExcluir
  7. Oie Deni.
    EU já li Dezesseis Luas é amei , também me surpreendi com a história sendo narrada por um garoto.
    Sobre o filme, eu tenho curiosidade em assistir. Apesar que não gostei da escolha do elenco, pelo o menos Alden soube interpretar Ethan , pelo que você escreveu. Também não entendo essa comparação com Crepúsculo , já que são totalmente diferentes. É uma pena que o filme foi ruim para quem já leu o livro.
    Minha amiga , que ainda não leu o livro, foi assistir é ficou encantada , falando sem parar no filme.Mas agora ,como eu li o livro estou com medo de me decepcionar :/
    Parabéns pelo post.
    Beijos

    Jéssica
    http://leitorasempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Sério, Denise, MEDO dessa adaptação!! Pessoal está comparando a decepção com PJ. Ainda não tive a oportunidade de ler a série (apesar de ter os dois primeiros livros em casa #shame), mas não sei se assisto o filme primeiro...acho que o que mais chama a atenção na história é o fato que vc disse mesmo, ser um narrador masculino (apesar de ser sensível assim, rsrs).

    Vamos ver no que vai dar!

    Beijo grande e boa semana!
    Lygia - Brincando com Livros

    ResponderExcluir
  9. Vixi...vendo muitas críticas negativas sobre esse filme perdi o interesse. Agora o livro ainda quero dar uma chance!^^
    Beijos!
    Paloma Viricio- Jornalismo na Alma

    ResponderExcluir
  10. Oi !
    Não li e nem vi o filme, mas a produção parece muito boa, pelo menos a fotografia do filme é linda, com atores ótimas também !
    Abraços
    Melissa Padilha
    decoisasporai.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Denise,

    Poxa, agora desisti de vez de ver o filme nos cinemas.
    Eu já estava meio desanimada depois que vi o trailer e percebi que os atores não lembram em nada os personagens do livro. Mas ainda estava bastante curiosa pra ver o filme exatamente porque li o livro e gostei. Mas depois dos seus comentários perdi totalmente a vontade de vê-lo. Talvez eu procure quando sair em DVD, por enquanto vou ficar só com os livros mesmo.

    Beijos.
    ^-^
    http://vagandoentreestantes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Então... estou tentando convencer meu namorado a não me arrastar pro cinema p ver esse filme, pq primeiro quero ler o livro. Mas tá complicado, vou pro cinema de olhos fechados hahaha

    ResponderExcluir
  13. Vi muitas criticas negativas e positivas, estou querendo ler e ver o filme. Espero que seja bom e amei a resenha.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.