Cine Cult: Jack - O caçador de Gigantes

29/03/2013

Jack - O caçador de Gigantes segue a mesma linha das novas adaptações dos contos de fadas. Eles pegam alguns elementos da estória original e criam o seu próprio enredo. Neste caso, o filme é baseado no conto João e o pé de feijão.


Quando eram crianças, Jack e a princesa Isabella ouviam as estórias de quando o reino onde moram era assombrado por gigantes, até que o príncipe Eric conseguiu bani-los para uma terra acima das nuvens. Os dois jovens não se encontrariam se não fosse por Jack e seu jeito sonhador e distraído, ele acaba com feijões mágicos nas mãos que são o começo de uma aventura para ambos. Isso porque quando molhados eles crescem até acima das nuvens, destoem a casa dele e acabam levando a princesa junto. Agora cabe a Jack e alguns cavaleiros resgatá-la.

Eu não quero contar muito mais sobre o enredo, pois só com o que escrevi acima já da para imaginar o que acontece na estória. Lendo algumas entrevistas dos atores sobre o filme, um comentário em questão é bem pertinente. Nessa linha de adaptações de contos de fadas sombrias ou com muita comédia, Jack - O caçador de Gigantes não se encaixa nem em um, e nem em outro. Ele é um tipico filme de aventura, onde o herói quer salvar o reino do inimigo e ficar com a princesa. Não é aquele tipo de filme que as crianças não deveriam ver ou que os adultos ficaram entediados, é o filme tipico para a família, sem exceção. 


Focando nos efeitos especiais para chamar a atenção de todos os públicos, essa é a principal arma do filme, já que não teria gigante sem eles. E foram eles a melhor parte do filme. Estão bem feitos e não com aquele aspecto de falso por estar junto com os "humanos". Porém, a interação deles com os atores não ficou tão boa quanto eu esperava. Alguns deles não souberam agir de forma convincente que estavam em um mundo onde gigantes existem. Eu entendo que interpretar com algo irreal deve ser complicado, mas os bons atores devem conseguir ao menos disfarçar isso e passar para cena que estão lutando ou conversando com um gigante, quando na verdade falam com o nada.

E sobre os atores, nenhum deles teve uma atuação brilhante. É o primeiro filme que o ator Nicholas Hoult toma a frente e além disso, ainda da titulo ao mesmo. A atuação dele não é como eu disse, excepcional e nas cenas com os gigantes ele estava truncado, acredito que não conseguindo pensar neles como de verdade. Isso fica nítido nas cenas de luta, que aliais, não foram o forte dele. Eu uma comparação bem maldosa, acredito que o zumbi R não saiu dele, porque o jeito que ele anda e se movimenta nesse é muito parecido com o outro. Nas cenas de romance e um pouco mais engraçadas ele se sai melhor, passa o ar de garoto tímido e recatado que o personagem exige em algumas cenas.

Além dos efeitos, outro ponto que chama a atenção é a rima que os diálogos tem.  Sei que na dublagem ou nas legendas isso se perde, mas prestando atenção no som das palavras, elas possuem um ritmo e combinam em si. Isso não acontece no filme todo, mas nas cenas quando é contado as lendas ou os fatos mais importantes, da para perceber o cuidado com que as palavras foram feitas para criar essa rima e sonoridade.


O roteirista Christopher McQuarrie e o diretor Bryan Singer foram pelo caminho mais fácil e colocaram uma pitada de cada elemento que a maioria gosta. Não sei porque o filme não fez tanto sucesso lá fora, mas imagino que por aqui será diferente. A divulgação dele, embora eu ainda não tenha visto na tv aberta, está sendo satisfatória principalmente nas redes sociais. Várias promoções estão acontecendo envolvendo o filme para convencer as pessoas a irem ao cinema caso o trailer não consiga. Não que eu ache necessário, porque eu veria pelos efeitos dos gigantes, mas é um diferencial da distribuidora Warner que de fato, quer que o filme seja sucesso.

Além do Nicholas Hoult, ainda estão no elenco Eleanor Tomlinson, Ewan McGregor, Stanley Tucci e Ian McShan. Jack - O caçador de Gigantes estreia hoje nos cinemas e possuem copias 2 e 3D dubladas e legendadas. A sessão que eu vi era legendada, eu sempre a prefiro em relação a dublada, porém, em filmes 3D eu prefiro a última. Eu acredito que muito dos efeitos se perdem quando você está lendo a legenda. Assisti a maior parte dele em inglês porque me focava na legenda e perdia algumas sequencias. Bom, mas isso foi comigo. De qualquer forma, eu recomendo o filme. Acredito que de todas as adaptações de contos de fadas feitas essa é a mais divertida e recomendada para todos os públicos.

*Eu recomendo que vocês prestem a máxima atenção no começo do filme, que é onde toda a lenda na qual a narrativa dele se baseia é contado, depois, ela é só retomada no final. Se você perde essa explicação, não saberá por exemplo, porque quem faz o trovão são gigantes.


7 comentários:

  1. Não conhecia o filme, eu vejo tantas indicações suas de filmes por aqui que me inspirou a criar uma coluna parecida, acho que já disse isso, mas não tenho tanto tempo para ver filmes, então... rs


    beijos.
    clicandolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Quero muito vê o filme. Desde que vi que ia ser lançado já fiquei na expectativa.
    Beijos..

    ResponderExcluir
  3. Parece ser ótimo! Adorei seu blog, realmente muito incrível, tem tudo para fazer o maior sucesso; Já estou seguindo, segue o meu também?
    www.espacegirl.com

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não assisti ao filme mas espero fazer isso em breve. Gostei muito do trailler.

    ResponderExcluir
  5. Olá Denise,

    Gostei da novidade, parece bem legal e com muitos efeitos especias, o trailer no deixou curioso....boa dica....abçs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Acho fofa essa nova mania de adaptar contos infantis com personagens mais adultos. Geralmente, esse tipo de história nos diz bastante sobre o "espírito humano", digamos assim, e quase sempre a surpresa é boa...

    ResponderExcluir
  7. Estou com mta vontade de ver esse filme, parece ótimo. ótima resenha e dica. bjs
    http://serieslivroseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.