Resenha: Sangue Quente + Cine Cult: Meu namorado é um Zumbi

08/02/2013

Assim que vi o trailer de Meu namorado é um Zumbi, tirei o livro no qual ele é baseado da estante e decidi lê-lo. Essa semana eu li e vi o filme, e decidi fazer um único post sobre os dois. Tentarei ser o mais direta possível para que não fique grande e cansativo. Espero que gostem.

Sobre o livro


R é um jovem vivendo uma crise existencial - ele é um zumbi. Perambula por uma América destruída pela guerra, colapso social e a fome voraz de seus companheiros mortos-vivos, mas ele busca mais do que sangue e cérebros. Ele consegue pronunciar apenas algumas sílabas, mas ele é profundo, cheio de pensamentos e saudade. Não tem recordações, nem identidade, nem pulso, mas ele tem sonhos. Após vivenciar as memórias de um adolescente enquanto devorava seu cérebro, R faz uma escolha inesperada, que começa com uma relação tensa, desajeitada e estranhamente doce com a namorada de sua vítima. Julie é uma explosão de cores na paisagem triste e cinzenta que envolve a "vida" de R e sua decisão de protegê-la irá transformar não só ele, mas também seus companheiros mortos-vivos, e talvez o mundo inteiro. Assustador, engraçado e surpreendentemente comovente, Sangue Quente fala sobre estar vivo, estando morto, e a tênue linha que os separa.

Sangue Quente é narrado em primeira pessoa pelo zumbi R, ele não sabe como a praga começou, mas tem fortes objeções sobre o que ele. Na verdade, R tem um senso de humanidade incomum para com suas vitimas, já que ele come os cérebros dela. Esse zumbi tem algumas particularidades interessantes: ele possui sentimentos, desejo de se comunicar e mesmo não tendo um coração, ele se apaixona por uma humana. A humana em questão é Julie, uma das sobreviventes do colapso que a terra entrou. Em uma missão para conseguir remédios para os refugiados, seu grupo é atacado por zumbis. Por algum motivo, um em especial a salva e a leva com ele. Julie então vai descobrir que por trás dessa aparência de morto, existe um ser tentando protegê-la.

É o primeiro livro sobre zumbis que leio e fiquei encantada com o R. Ele é um personagem completamente avesso do que se esperar de um morto. Os sentimentos e expressões dele são de um rapaz bom e culto. No começo da leitura eu ficava "não acredito que um zumbi está dizendo isso", mas com o desenrolar da narrativa eu parei de pensar nisso e me foquei na tentativa dele de ser um morto melhor. De fato, você meio que acaba esquecendo disse e pensando nele como um personagem comum. A Julie, quem incia essa mudança nos zumbis, é uma personagem bem diferente de R, enquanto ele é gentil, ela é rude, enquanto ele é sonhador, ela é realista. Claro que é bem complicado sonhar e ser legal quando o mundo está acabando, mas tudo bem.

-Vim para ver você.
-Mas eu fui embora R. Precisei ir lembra? Você deveria ter dito ´´adeus´´ e pronto.
-Não sei porque você... diz adeus. Eu digo... olá.

O livro todo tem um tom sarcástico, o que deixa a leitura dele bem engraçada. O R tentando ser um humano de novo chega a ser hilário, ele pensa e pensa em um jeito de ser vivo, mas é atrapalhado por essa menina que desperta sentimentos que ele não consegue lidar. Tem uma cena que eu gostei muito, e ri também, que é quando a Julie e a Nora, sua amiga, passam maquiagem nele para ele se passar por humano, depois disso eles vão para um bar, bebem bebida alcoólica e ele sente vontade de fazer xixi. Tipo, zumbi faz xixi? Pior que faz.

Achei o modo como o autor tratou o romance dos dois muito fofo. O R está aprendendo a ser uma pessoa novamente e todos esses sentimentos são novos para ele. É como se fosse uma criança se apaixonando pela primeira vez, então ele é imaturo, ingenuo e inseguro. Todos começarem com i é confidencia. Ele apenas deseja ter a Julie em seus braços e ser o que ela precisa, protegê-la contra o que resta do mundo e tornar seus momentos agradáveis. Como não se encantar por esse homem ou zumbi, que seja, é uma ótima pergunta.

Li esse livro rápido, ele não possui palavras difíceis e tem uma narrativa que te prende. Ele tem alguns momentos de reflexão por parte do R, que são pertinentes, e uma conclusão nada obvia para uma possível cura da praga, mas que passa uma boa mensagem. Eu gostei do fim, achei que para um zumbi tão fofo foi o que ele merecia. Sei que o filme estreou hoje, só que o modo como foi adaptado, não faz diferença você ler o livro antes ou não. O fim dos dois é um pouco diferente, mas ambos, satisfatórios.

Quero um novo passado, novas memórias, um novo primeiro aperto de mão com o amor. Quero recomeçar de todos os jeitos possíveis.

Sangue Quente
Isaac Marion 
Editora Leya

Sobre o filme


Assistindo o trailer desse filme tive a forte impressão de que ele seria mais para comédia e lendo o livro, eu tive mais certeza ainda. Talvez a grande jogada dele seja exatamente essa, falar sobre zumbis de um jeito tão sarcástico que no fim é engraçado. Vocês vão rir principalmente do R, porque é muito sem noção pensar em um morto com sentimentos e lutando contra o que ele é. As cenas dele com a Julie, falo mais sobre ela abaixo, são encantadoras e divertidas. Ela tentando passar um tempo de qualidade com ele dentro de um avião, onde ele mora, é sensacional. A interação deles foi muito bem retratada pelos atores Nicholas Hoult e Teresa Palmer.

Sendo o R protagonista, ele tem um destaque imenso no filme. A atuação do Nicholas foi a que mais exigiu quanto a interpretação, pois pensem vocês que os zumbis não conseguem falar, mas o em questão tem uma vontade imensa de se comunicar. As expressões faciais se tornam bem mais importantes nesse caso, pois são através delas que o R conversa. Vendo entrevistas do Nicholas, ele disse que não falar em um filme pode aparentar ser fácil, só que na verdade é o contrário, usamos ela o tempo todo para nos comunicar e sem isso, aprender outras formas é difícil.


A caracterização física do R fico muito boa, tirando o cabelo grande que ele possui no livro, mas que não foi para as telas, o resto está como descrito. A Julie também ficou parecida, só que a retratação da personalidade dela deixou um pouco a desejar. A personagem no livro é muito mais intensa do que a do cinema. Ela é bocuda, enérgica e tem uma sede de viver imensa. A do filme é um pouco mais frágil e por vezes, submissa. Gostaria que ela fosse mais ativa e decidida no filme.

O destaque do longa para mim é a trilha sonora. Nas minhas pesquisas não consegui achar o nome de que a fez, mas fica aqui as minhas palmas para ele. O livro já tem ótimas músicas como fundo, mas a do filme misturou algumas bem antigas e românticas e coloco nos momentos certos. As vezes está aquela tensão e no meio aparece uma musica brega, ou em um momento dos dois aparece uma romântica e fofa. O R usa músicas para se expressar às vezes, então o papel delas é grande.


Com roteiro e direção de Jonathan Levine, Meu namorado é um Zumbi não tem a profundidade que o livro possui e altera bastante o seu fim, mas nem por isso deixou que o enredo se perdesse. A estória não ficou de forma alguma sem sentido e retratou bem o zumbi sentimental R. Me lembrou um pouco as comédias pastelão que abusam dos efeitos para tornar real, mas que no fim só nos fazem rir. Assistam porque vocês vão dar boas risadas e ficar igual eu em algumas cenas "aiii, que fofo".

Meu namorado é um Zumbi estreou hoje e está passando em alguns cinemas, confiram aqui quais.


11 comentários:

  1. Vi várias pessoas falando que esse livro e esse filme não são muito convincentes, e acho que concordaria se conhecesse a história pois pelo que me parece essa é uma história de amor meio esquisita kkkkk Não tenho vontade nem de ler nem de assistir :z
    PS: sua resenha está ótima, muito bem escrita :)

    ResponderExcluir
  2. O rosto do menino me deu medo, mas quero assistir esse filme, tem gente falando muito bem dele. Pelo menos a história saiu da rota dos vampiros e foi pra zumbi. E realmente, uma história de amor entre humanos e zumbi é novo - muito novo - pra mim. Adoreeeei!

    clicandolivros.

    ResponderExcluir
  3. Eu não estou MUITO afim de ler o livro. Acho que deve ser legal e tal, mas...
    Quem sabe vendo o filme eu mude de ideia.
    Acho que essa diferença entre os personagens femininos na adaptação se deve em parte pela questão de ser muito mais interessante uma "mocinha" para os padrões hollywood.
    Tive essa impressão no trailer, que ela PRECISA ser salva, mesmo atuando uma modificação benéfica nos zumbis.

    liliescreve.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Agora fiquei, definitivamente, confusa!

    TODAS as pessoas que conheço, sem exceções disseram que o filme é chato e que não convence, e isso me desanimou não só em assistir ao filme como também ler o livro.

    Mas agora, com a sua opinião, não sei o que pensar...
    Acho que irei assistir ao filme e se eu gostar, lerei o livro.

    Parabéns pela resenha e pela crítica do filme, ambas muito bem escritas e apontando os lados positivos e negativos!

    Literature Diary

    ResponderExcluir
  5. Li o livro só porque fiquei sabendo que iriam gravar um filme.
    Achei a história interessante, o tom é mais pra comédia mesmo (:
    O filme ainda não vi, mas pelo que você escreveu, as adaptações não alteraram de forma negativa o enredo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Eu não sabia que o livro tinha haver com o filme, vi em outro blog. Agora quero ler o livro e ver o filme.
    rsrs


    beijos

    clicandolivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. A resenha de ambos ficou ótima. Mas não exatamente, meu estilo de livro, sei lá, fico meio em dúvida, com esses romances sobrenaturais de hoje em dia, são raros alguns que leio.

    Bjs

    daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  8. Sei lá pq, mas já ouvi tanto sobre o livro, depois sobre o filme, mas nunca tive interesse...
    Claro que bate aquela curiosidade, mas nada daquilo 'preciso largar tudo e dar um jeito de ler/ver'.

    ResponderExcluir
  9. Olá !
    Eu confesso que achei a história estranha, já que assisto e adoro histórias de zumbis desde pequena.
    Zumbis na minha concepção, são seres sem nenhum raciocínio e que comem cérebro! Fora disso não é zumbi!
    Achei uma história estranha, no minimo.
    Sem contar esse título estranho que inventaram para o filme no Brasil que nada tem a ver com o original em inglês. :(
    abraços
    Melissa
    http://decoisasporai.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Eu li esse livro no ano passado e adorei! Eu nunca tinha lido um livro de zumbis antes e esse foi perfeito pra começar porque tem uma narrativa bem leve com muitas partes engraçadas, principalmente quando o R começa a fala dele mesmo e da sua "vida" de zumbi, e ainda tem o romance dele com a Julie que é muito fofo.
    Assim que vi o título do filme achei horrível, mas depois percebi pelo trailer que é um filme de comédia e aí sim o título "Meu namorado é um zumbi" cai muito bem. rsrs.
    Vou tentar assistir o filme assim que puder.

    ^-^

    http://vagandoentreestantes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Nossa, estou louca para ver este filme! Queria ler o livro antes, mas acho que isto não vai ser possível.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.