Resenha Hot: Whitney, meu amor!

12/02/2013



Órfã de mãe e criada por um pai severo e frio, a adolescente Whitney Stone choca a sociedade inglesa do começo do século XIX com seus modos, sua espontaneidade e rebeldia. Desde menina, ela ama o belo e aristocrático Paul, perseguindo-o em todos os lugares e inventando as mais inusitadas formas de chamar-lhe a atenção. Enviada a Paris, ela recebe um longo treinamento para transformar-se uma mulher fina, glamourosa, irresistível. Quando retorna a Londres, está mudada, mas ainda disposta a conquistar seu amor de infância. Porém o irascível e poderoso duque Clayton Westmoreland é quem se interessa mais vivamente pela jovem mulher. E é ele quem, por meio de artimanhas maquiavélicas, consegue levá-la ao altar. Mas Whitney recusa-se a aceitar imposições, e está disposta a fazer tudo para livrar-se do odioso casamento. A convivência, porém, traz surpresas, e dentro de pouco tempo o duque se revela muito mais charmoso e gentil do que ela desejaria admitir. Talvez Paul não passe de uma fantasia infantil; talvez Clayton tenha bons motivos para agir tão brutalmente; talvez o casamento não seja um erro tão grande assim… 

Whitney, meu amor! é narrado em terceira pessoa e vai contar a estória de Whitney, uma jovem diferente do padrão, nada recatada, quieta ou fina, uma personalidade indomável. O pai cansado de seu comportamento, a manda morar na França com os tios, para ter aulas de etiqueta e tentar ser uma dama respeitável. Quando volta, ela tem apenas um objetivo: conquistar seu amor de infância Paul, porém, seus planos serão abalados pelo duque Clayton, que quer a todo custa, conquistar o coração de Whitney.

A Whitney é uma das personagens femininas que eu mais gostei de ler, ela tem o perfil que eu admiro e que acredito ser o que a maioria goste. Ela é forte e determinada e principalmente, não tem medo de errar e nem de batalhar por aquilo que quer. Mesmo levando vários não, ela continua insistindo. Par quem lê pode ficar um pouco irritante, mas isso ajuda no seu amadurecimento. O Clayton é um personagem dúbio, ora mocinho, ora vilão. Até que a gente comece a aceitar o que ele faz para ter a Whitney e veja que isso, os dois juntos, é o melhor para ela, ele será o cara mal da estória.

O romance do casal protagonista é conturbado, embora seja bem parecido com o que estamos acostumadas nos romances históricos, mocinho e mocinha não se gostam no começo e passam a maior parte do livro trocando farpas. A Whitney tem uma obsessão pelo Paul e o Clayton tem uma obsessão por ela. Até que a resolução do livro se dê, eles brigam muito, com agressões verbais e físicas, tem uma violência contra a mulher no meio disso tudo e muitas traições. Não é um amor fácil, mesmo com a tensão sexual, o que me lembra que o livro tem algumas insinuações de sexo e cenas hots pouco descritivas. Só comecei a gostar do casal Whitney e Clayton bem depois da metade do livro, quando a teimosia e os jogos foram deixados de lado e os sentimentos foram levados a serio.

-Não, você não ama Sevarin e me disse isso varias vezes.
-Nunca disse nada parecido! Eu...
-Sempre que a tomo nos braços, você me diz que seu coração não pertence a Sevarin.

Esse livro tem uma narrativa intensa e um tempo de história bastante longo. Ele começa com a Whitney jovem e a acompanha até o seu amadurecimento. Temos vários acontecimentos importantes narrados de forma minuciosa, não que eles não sejam importantes ou estejam lá só para encher paginas, mas para que vocês saibam, é um livro de 500 paginas que no fim você tem a sensação de ter lido mil. Se por um lado para a maioria pode ser cansativo um livro assim, para mim é mais fácil lidar com ele. As situações são estruturadas para que você entenda e imagine cada acontecimento.

Quem gosta de romance histórico vai amar esse, por ter tudo o que normalmente gostamos e um pouco mais. É uma narrativa que nos prende com sua estória principal, mas também nos deixa curiosa com as estórias paralelas. Estou doida para ler a continuação desse, Até você chegar, que vai contar a estória do irmão de Clayton e o livro anterior, que ainda não foi lançado por aqui.

 Fica aqui a minha, recorrente, desaprovação com as edições da BestBolso, muitos erros de ortografia e tradução estão presente nesse livro. A capa é linda, mas o resto deixa a desejar, porém, é a edição mais acessível no momento. Espero que a editora Best Seller, que tem lançado alguns livros da Judith, lance uma versão atualizada desse, e já que é para sonhar, os outros romances que estão no catalogo deles.

-Quando Vanessa perguntou a respeito de minhas habilidades, eu ainda não sabia que tinha sido capaz de fazer uma coisa maravilhosa.
-O que você fez, de tão maravilhoso?
-Fiz você me amar.

Whitney, meu Amor! - Dinastia Westmoreland - Livro 2 
Judith McNaught 
Editora BestBolso

12 comentários:

  1. Só é uma pena os erros de revisão, mas pelo visto apesar desse ponto negativo, esse é um livro bem interessante e emocionante, gosto de livros históricos e com pitadas hot's =D

    Bjs

    daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  2. Pode ser preconceito, mas não gosto de edição de bolso. Os livros vem todos moles, folhas quase transparentes.

    rs

    ResponderExcluir
  3. Olá !
    também não gosto das edições da bestbolso, comprei um livro da Jane Austen, a capa é bonita mas toda a qualidade do resto do papel da capa e das folhas é ridículo. Me arrependi profundamente e não quero mais comprar edições dessa editora.
    abraços
    Melissa
    http://decoisasporai.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li esse livro da Judith McNaugth, mas o enredo parece ser muito bom.
    Boa dica!!

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Primeira resenha que leio do livro. Valeu pela dica.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  6. Ótimo post! Adorei o Blog!
    Seguindo!
    Deixo um convite para que conheça o meu cantinho!!
    Beijos!!,
    Marissol!!
    ➥ www.mypetitblog.com

    ResponderExcluir
  7. Ainda não tinha ouvido falar deste livro, e apesar de ser de bolso[sou meio chata, e só compro esses pq sou pobre, mas n curto mt hahah] me interessei por ele, mas só comprarei quando puder ter todos os volumes hahaha

    ResponderExcluir
  8. Li esse livro faz um bom tempo e adorei. Gostei muito da personalidade da Whitney. Espero que a editora possa melhorar nas edições dos livros.

    Érica Martins
    Espiral dos Sonhos

    ResponderExcluir
  9. Não gostei muito do livro, mas adorei a capa!

    ResponderExcluir
  10. Gosto bastante desse livro, é polêmico mas faz meu estilo!!!
    http://livrosfilmesetudomais.blogspot.com.br/search/label/especial%20de%20domingo

    ResponderExcluir
  11. Oi Dê!! Estou dando pulinhos para ler logo meu livro. Imagine só se minhas tarefas estão atrapalhando minha leitura, dormir, tomar banho, comer hahaha
    Eu fiquei mais animada pq eu normalmente não gosto de casais que se apaixonam a primeira vista, gosto que tenham esse percursso onde podem se conhecer e despertar o amor!! rs

    Adorei a resenha.

    Eu lerei no meu kobo, então não vou poder julgar a edição da editora, embora temos que reconhecer que se você se dispoe a publicar livros, o minimo que deve oferecer é uma escrita de qualidade!!

    Beijão

    Ana
    @blogeuleitora

    ResponderExcluir
  12. Sou suspeita para falar de Judith McNaught porque ela é uma das minhas escritoras de romance prediletas. Sonho com o dia em que conseguirei completar minha coleção de livros dela, mas infelizmente as editoras tem se mostrado cada vez mais inconstantes na publicação dos romances que ela escreveu. Espero que isso mude, porque realmente aprecio a densidade de cada uma das histórias dela. 'Withney, Meu Amor' não é meu romance histórico favorito da autora, o que eu gosto mais é 'Agora e Sempre', mas ainda assim é uma leitura deliciosa para quem curte histórias de amor.
    Beijos,
    Isabelle | http://www.mundodoslivros.com/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.