Serie Cult: Jane Eyre

18/12/2012

O ano de 2012 foi com certeza o ano das Bronte na minha vida. Depois de resenhar alguns livros delas e biografias, ver filmes e escolher o trabalho das três como tema de monografia, encerro o ano com a resenha da adaptação do livro Jane Eyre de Charlotte Bronte pela BBC em 2006. Bom, o que posso dizer é que vocês ainda vão ler e escutar muito sobre elas por aqui.


Não vou me estender no resumo de Jane Eyre aqui, se você ainda não conhece o enredo do livro, leia a resenha do mesmo aqui. Em breves palavras, Jane é uma jovem que desde muito cedo teve que se virar sem o auxilio de uma família e que viu na profissão de tutora a possibilidade de uma nova vida. Ela aceita ser preceptora da pupila do Mr. Rochester e se muda para Thornfield Hall. Lá ela encontra o amor e alguns segredos que o lugar e o seu dono possuem.

A produção de 2006 é dividida em 2 DVD o que calculo ser 2 ep. para cada, já que na tv ele passou em 4 cap. Ruth Wilson e Toby Stephens interpretam Jane e Mr. Rochester respectivamente e das duas adaptações do livro que já vi, essa e do filme de 2011, a caracterização da BBC é de longe a melhor. Começo pelo físico, a Ruth como Jane está bem parecida com a do livro: magra, quieta e de uma beleza não chamativa. Ela também soube fazer o ar contido e rígido que a Jane possui. E Toby como Rochester foi o que ficou mais parecido: o cabelo ondulado e um pouco comprido, os olhos negros e o rosto bastante marcado e sem atrativos. A personalidade foi bem construída e trabalhada, principalmente as oscilações de humor.


Como de praxe, a ambientação da BBC tem o seu ponto alto no seriado. Tudo foi muito bem feito e caracterizado: as roupas, carruagens, lugares, etc. Da para perceber que eles não economizam ao querer levar telespectadores para dentro do enredo, já a a trilha sonora deixa um pouco a desejar. Quase não tem musica no seriado e eu até posso compreender isso, os personagens e Thornfield Hall não eram dados a festas e a grandes expressões de alegria e entusiasmo, mas em certos momentos faltou algo no plano de fundo.

O ponto que eu mais gostei no seriado todo foi a cronologia. Eles souberam marcar muito bem o tempo do livro, mesmo o final ficando um pouco apressado. Nós temos representados todas as etapas da vida da Jane, sem pular praticamente nada. Não senti falta de nenhuma cena ou situação no geral e isso para mim foi primordial. Geralmente nas adaptações você sente falta de alguma cena ou personagem, mas aqui não foi o caso, a roteirista soube aproveitar bem o tempo.


Já a dificuldade recorrente das duas adaptações, tanto o filme de 2011 quanto esse, foi representar o maior momento de dor da Jane no livro. Não vou entrar em detalhes para não da spoiler, mas quando a Jane descobre o segredo do Mr. Rochester ela fica no limbo. Ela sente o desespero, a amargura e todos os sentimentos ligados a descoberta de um segredo. Imagino que seja difícil retratar isso e consequentemente em nenhuma das adaptações essas emoções foram passadas com verdade. Não que tenha sido mal feito ou coisa do tipo, somente faltou passar o desespero de descobrir que você não conhece a pessoa que ama e confia.

Eu já queria comprar o box a um tempo, depois de ler o livro, mas ele sempre teve um preço elevado para mim e qual não foi a minha surpresa ao fazer uma busca e vê-lo por 12, 90. Surtei literalmente e comprei. Já mostrei ele em uma caixa de correio especial box e seriados e ele é realmente lindo, faltou apenas extras das gravações, entrevistas e como o seriado foi feito.


Infelizmente no youtube não tem o trailer da serie, peguei um fã vídeo com algumas cenas para vocês darem uma olhada, assim como a capa do box nacional lançado pela Log On. Espero que vocês tenham gostado e entre o filme recente e essa adaptação, vejam essa que vocês não vão se arrepender.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.