Resenha: O casamento

20/11/2012


Advogado de sucesso, Wilson Lewis sempre se esforçou para que a família vivesse confortavelmente, mas talvez tenha dedicado tempo demais ao trabalho e de menos às pessoas mais importantes de sua vida. Depois de 30 anos casado e com a filha mais velha prestes a fazer os próprios votos matrimoniais, ele é forçado a encarar uma verdade dolorosa: já não há paixão em seu casamento - e a culpa é dele. Wilson e sua esposa Jane se afastam cada dia mais e ele questiona se a mulher ainda o ama. Uma coisa é certa: seu amor por Jane só aumentou ao longo dos anos e ele está disposto a fazer o possível para reconquistá-la. Inspirado pela maravilhosa história de amor dos sogros, Noah e Allie (de Diário de uma Paixão), ele promete a si mesmo que encontrará uma forma de levar o romantismo de volta à sua vida conjugal e fazer a espos apaixonar-se por ele novamente. 

Narrado em primeira pessoa, teremos apenas o ponto de vista de Wilson, marido de Jane, com quem é casado a 30 anos. Tudo na vida do casal ia bem, porém, apenas na superfície. Ao esquecer o aniversário de casamento, Wilson começa a questionar sua vida ao lado de Jane. Ele percebe que os dois estão se afastando e quer impedir que isso chegue mais longe. Os anos juntos só fizeram com que Wilson amasse mais a esposa, mas talvez para Jane, as coisas já não sejam como antes.

Como protagonistas temos Wilson e Jane. Wilson é um advogado de renome, dedicou sua vida para que a empresa do qual é sócio fizesse sucesso. Descrito por ele mesmo como tímido, Wilson só teve uma mulher em sua vida, Jane. Até porque ele não separou muito espaço para outras coisas que não a carreira, nem mesmo para os filhos. Jane é o completo oposto de Wilson, extrovertida, sociável e uma mãe presente. As características físicas dela são feitas por ele e sendo um homem apaixonado, a beleza dela é descrita como madura e ainda capaz de mexer com qualquer homem.

Depois que o livro chegou para mim é que fui perceber que ele é a continuação do livro Diário de uma Paixão, como ainda não o li, minha duvida era se a leitura de O casamento seria afetada por isso. Já aviso que não é, basta que vocês tenham visto o filme para entender. A Jane é filha do Noah e da Allie protagonistas do primeiro livro/filme, e nesse temos a história da filha com o Wilson. Para quem, assim como eu, amou a história de Noah e Allie, vai ficar nostálgico e feliz por saber um pouco mais do Noah, de uma certa forma temos o desfecho dele nesse livro.

Sentando ao seu lado no sofá, eu soube que ainda amava Jane tanto quanto no dia de nosso casamento. No entanto, ao olhar para ela, ao reparar pela primeira vez na forma distraída como ela relanceou os olhos para o lado e na postura inegavelmente triste de sua cabeça, de repente percebi que não tinha certeza de que ela ainda me amava.

Lembro de um comentário que alguma blogueira fez em um vídeo, não me recordo quem, no qual ela dizia que O casamento é o livro mais maduro que o Nicholas ja tinha escrito. Sendo esse o terceiro livro dele que eu leio, não tenho muita propriedade para falar, mas entre os três, esse é sim o mais maduro. Aqui não temos os arroubos da juventude, o "vamos viver o hoje e amanhã a gente vê" ou as brigas típicas de amantes jovens. Nesse livro são tratados os problemas de casais maduros como a rotina, a dinâmica da vida deles depois que os filhos saem de casa, como lidar com o fato de um deles sustentar a família, entre outros temas. Lembrem-se que eles já estão casados a 30 anos, são outras situações, praticamente outra vida.

Também vejo o fato do livro ser narrado por um homem importante. Todo mundo espera que certas atitudes sejam somente femininas e quando você se depara com pensamentos descritivos masculinos, você se assusta. O Wilson lembra de todos os fatos que envolvem a Jane, desde quando e como se conheceream até o perfume que ela gosta. Me tocou o fato de partir dele a reavaliação do casamento, de ser ele o primeiro a questionar a felicidade da mulher, de ter sido um bom marido ou se ela ainda o ama. Me fez imaginar como seria para um homem que não tem o costume de se abrir, expor seus sentimentos para não perder a mulher que ama.

O que me faz amar esse autor e tê-lo como um dos meus favoritos é que os livros dele sempre passam uma mensagem ou te marcam de alguma forma. Com o Nicholas nunca é apenas uma história para entreter e passar o tempo, é para refletir, passar dias pensando nos caminhos dos personagens e vê-los entrelaçados com os seus. Ele é um dos poucos autores que mexem com a minha cabeça e o meu coração ao mesmo tempo, me emociona e me faz pensar. Embora eu não tenha muito com o que me comparar em O casamento, é simplesmente impossível não vivenciar e torcer pelo Wilson e a Jane e imaginar que você quer algo como o que eles tem porque é real e verdadeiro, mesmo sendo apresentado em forma de palavras e paginas.

Leitura leve e reflexiva, marcada por questionamentos de um homem querendo que sua mulher se apaixone por ele novamente. Temos surpresas durante o livro, e provavelmente no meio dele você já saberá a relação do título com a história, mas mesmo assim vai querer continuar a ler e saber como terminará o amor de Wilson e Jane. Recomendado para os apreciadores de uma escrita que flui e de um enredo envolvente e verdadeiro.

(...) Cada vez que eu lia para ela, era como se eu a estivesse cortejando, porque às vezes ela se apaixonava por mim de novo, como havia se apaixonado muito tempo antes. E esse é o sentimento mais maravilhoso do mundo. Quantas pessoas tem a chance de ter alguém que se apaixona por elas repetidamente?

O Casamento - A continuação de Diário de Uma Paixão
Nicholas Sparks
Editora Arqueiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.