Resenha de Ouro: Jane Eyre

26/06/2012


Começo esse post primeiro pedindo desculpas para quem gosta das resenhas do Diamante Literário, demorei um mês para ler Jane Eyre e postar a resenha. O semestre na faculdade foi cansativo e a minha leitura acabou ficando prejudicada pelos trabalhos e provas, mas nas férias eu poderia adiantar esses livros atrasados e me programar para quando as aulas voltarem. Dado o recado vamos a resenha de Jane Eyre.


Jane Eyre é uma menina órfã que vive com sua tia, a sra. Reed, e seus primos, que sempre a maltratam. Até que, cansada do convívio forçado com a sobrinha de seu falecido esposo, a mulher envia Jane a um colégio para moças, onde ela cresce e se torna professora. Com o tempo, cresce nela a vontade de expandir seus horizontes. Ela põe um anúncio no jornal em busca de trabalho como governanta. O anúncio é respondido pela senhora Fairfax, e Jane parte do colégio para trabalhar em Thornfield Hall. Lá, ela conhece seu patrão, o sr. Rochester, um homem brusco e sombrio, por quem se apaixona. Mas um grande segredo do passado se interpõe entre eles.

Não vou fazer aquele pequeno resumo no começo desta resenha, pois a sinopse ai em cima já explica em suma e direitinho o que acontece, passarei então para a análise. Jane Eyre é o nome da protagonista do livro e narradora do mesmo. A impressão que eu tinha era que o tempo atual do livro seria a Jane com 18 anos e o flashback que ela faz no começo seria para contar os fatos mais importantes, como se para a conhecermos e saber o porquê sua personalidade é como é. Mas com o passar do enredo, você percebe que ele é na verdade como um diário, Jane está nos contando sua estória e se dirigindo diretamente a nós, leitores.

Os personagens são encantadores e um caso à parte. A Jane como protagonista é a que logicamente aparece mais no livro. É descrita como uma moça feiosa, mirrada e de inteligência mediana, já Mr. Rochester é bruto, sombrio, orgulho e cínico. Um fato muito curioso e interessante, é que não temos cenas de beijos ou demonstrações de carinho até o meio do livro. Jane se apaixona por Rochester de forma platônica e nós só percebemos que esse amor existe quando ela confessa com todas as letras que o ama, seus sentimentos são muito contidos e ele se mantem  tão distante que pensamos ser impossível algo nascer entre eles. Porém o amor nasce, e os dois são tão opostos e ao mesmo tempo tão iguais que é praticamente impossível o leitor não sentir empatia por eles e torcer pelo final feliz do casal.

Sei que o Senhor condena o que faço. Ante o julgamento do mundo, eu lavo as mãos. O julgamento dos homens, a esse eu desafio!

O livro possui sim sua complexidade, não é uma leitura fácil em alguns trechos e o excesso de detalhes pode deixar alguns leitores cansados. Mas para mim cada detalhe valeu a pena, cada detalhe me preparou para as cenas que viriam, me deixaram no clima por assim dizer. Quando o confito principal de Jane Eyre é solucionado, o grande mistério que Sr. Rochester esconde, ainda faltam umas 200 páginas para o livro acabar, mas não pense você que o ritmo da leitura se torna chato, pois é ai onde os grandes autores sabem o que fazer. Charlotte brilhantemente te prende ainda mais no enredo, acrescentando novos conflitos e novos personagens. Em Jane Eyre os fatos não ficam para o fim, eles são resolvidos e novos são criados, tornando o livro cheio de acontecimentos e na medida certa, não são para encher folhas. Tudo o que acontece em Jane Eyre tem um sentido e propósito inteligênte.

Dizer que a Charlotte é genial seria muito pouco, acho que com Miss Bronte vocês ja notaram que estou muito envolvida com o mundo das Brontes. Mulheres que naquela época escreviam sobre mulheres que elas não eram, mas que gostariam de ser, donas de sua vida e do seu destino. Tratando de assuntos que lidamos hoje, podemos dizer que o livro é atemporal, como os outros clássicos. Qual mulher hoje, ás vezes não se sente desprivilegiada em relação aos homens? Ou quando temos essa independência, qual não fica com medo de achar um homem que não entenda e aceite isso?

Embora estejamos separados pela classe e pela riqueza, trago em mim, no coração e na mente, no sangue e nos nervos, algo que me associa a ele.

Vou parar de elogiar a Charlotte ou nós ficaremos aqui por dias ... geralmente no fim da resenha ou eu recomendo o livro ou não, porém com esse será diferente. Não sei se a maioria das pessoas está preparada para um livro como esse, assim como O morro dos ventos uivantes o livro tem um certo quê de vanguardismo (lembrem-se que o livro foi lançado em 1847) e uma linguagem diferente de tudo que já li. São muitos sentimentos para se lidar, são muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo ... é sempre tudo em grandes proporções. A questão sobre esse livro não é se recomendo ele ou não, a questão do livro gira na seguinte pergunta:  você está pronto para ler Jane Eyre?

***

Só um aviso sobre a edição de Jane Eyre que eu li. No Brasil esse livro teve poucas edições, as mais recentes são a da BestBolso, a que tenho, e a da Lendmark. Infelizmente o trabalho da BestBolso é horrendo, eu nunca tinha lido um livro com tantos erros como esse. Eu costumo pensar que quando os leitores percebem erros no livro das duas uma: ou eles são muito grosseiros ou a estória é fraca e não te envolve, nesse caso é a primeira opção. Nós temos trechos em francês sem tradução, erros de gramática e concordância e acreditem, troca de nomes de personagens. Eu só sei que a pupila do Mr. Rochester chama Adéle com e no final porque pesquisei, no livro esse nome aparece com a no final diversas vezes. Um clássico como esse sendo desrespeitado com um trabalho tão ruim, uma pena.

***

Como sendo um clássico da literatura inglesa, ele já foi adaptado várias vezes, desde HQ até musicais e passando logicamente pelas adaptações da BBC. As adaptações mais recente de Jane Eyre é a série da BBC feita em 2006 e o filme de 2011.  A série de 2006 conta com Ruth Wilson como Jane e Toby Stephens como Mr. Rochester. Comenta-se que é a melhor adaptação televisiva já feita do livro, eu ainda não vi, mas estou providenciando a compra do box.


Já o filme eu consegui baixar e ver, e embora tenha atores conhecidos, não é uma adaptação que eu recomenda. É muito diferente do livro, chegando a ser a estória reescrita e não uma adaptação. A única coisa que realmente foi tirado do livro é a ambientação. Os cenarios são maravilhosos e muito parecido com as famosas charnecas onde se passa Jane Eyre. Mia Wasikowska é Jane e Michael Fassbender é o Mr. Rochester, abaixo coloquei o trailer para vocês darem uma olhada.







Jane Eyre
Charlotte Brontë
Editora BestBolso

18 comentários:

  1. Sinceramente não me interessei pelo livro, achei meio "repetitivo", muitos filmes e outrso livros tratam o mesmo tema e por isso não gostei, mas parabéns pela resenha e vamo pra correria do dia-a-dia hehehehe! xD

    ResponderExcluir
  2. Devo confessar que pelo trailer o livro parece ser em interessante e o filme então, nem se fala. Só queria saber se o livro e o filme têm cenas mais adultas, saber mais ou menos a faixa etária.
    maravilhosomundodetinta.blogspot.com.r

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha esse livro parece ser muito bom. Parabens!

    www.vidaadegarotaa-vdg.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Eu vi esse do trailer e achei até que bem parecido. Não totalmente, mas bem. Quanto ao livro, ahhh, maravilhoso né! *-* Charlotte escreveu e escreveu para ser eterno mesmo. Amo O morro dos ventos uivantes e li Jane Eyre por amar a outra Bronte, e adorei ambos os livros. Esse é bem "daqueles tempos" ingleses não é? E eu adoro isso. Um romance muito bom, crítico se você parar para pensar, simples e bonito. O que eu li, porém, foi retirado da internet, aquivo pdf mesmo coitado, e lá tinha uma tradução perfeita! Sério, até as frases em francês foram traduzidas logo abaixo em português, tudo como manda o currículo. Uma pena que o livro não foi tão bem trabalhado pela editora mesmo =/ sacanagem isso ¬¬

    ResponderExcluir
  5. Adorei a resenha, De! Estou louca pra ler o livro e ver as adaptações mil dele... Só preciso encontrar. hahaha Só li o romance da Emily até agora, mas se for todos os livros como O Morro dos Ventos Uivantes... nossa... essas eram bem além de seu tempo!

    Beijocas!
    @mariapsalles
    http://jardimdeborboletas.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  6. Faz meses que estou querendo ler Jane Eyre! Mas acabei perdendo um pouquinho do ânimo porque, acho que foi no livro A Fera, descobri o que acontece NO FINAL desse livro! Eu fiquei tão, mas tão pê da vida com a autora - como é que se conta o final de um outro livro no livro que vc tá escrevendo?! Eu sei que é um clássico, mas nem todo mundo leu, nem todo mundo sabe o que acontece...
    Mas ainda quero ler, sempre escuto muitos elogios às irmãs Brontë!
    Só não sei se vou ver alguma adaptação, sempre me decepciono.

    ResponderExcluir
  7. Quanta informação sobre Jane Eyre, nem sabia das adaptações. Acho mais fácil nesse momento ver o filme do que ler o livro, até pq ainda não tenho o livro.
    Mas aceito as recomendações.

    ResponderExcluir
  8. Já tinha lido uma resenha sobre esse livro e já assistir algumas partes do filme, mas não fiquei muito empolgada com o enredo.
    Ótima resenha!!
    *bye*

    Louca por Romances

    ResponderExcluir
  9. Oi Denise!
    Gostei bastante da sua resenha, super detalhada. Mas não me interesso pelo livro pois já tentei ler O Morro dos Ventos Uivantes e desisti. Por isso, acho que não conseguiria ler Jane Eyre.
    Que bom saber que a edição BestBolso está com uma tradução horrível. Eu achei a mesma coisa quando li Melancia nessa versão, mas depois me falaram que o livro "normal" também estava cheio de erros.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  10. Eu já tinha assistido o trailer
    Mas não sabia que tinha um filme
    E fiquei ainda mais interessada

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Poxa, bom saber sobre o problema com a edição da BestBolso. Eu não tenho o livro e nunca li, só assisti a essa adaptação de 2011 (e gostei rs), então está sem dúvida na minha lista de desejados. Mas já sei que devo passar longe dessa edição...

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com

    ResponderExcluir
  12. Olá!!

    Mesmo sendo um clássico, como você disse, eu não conhecia esse livro e nem vi as adaptações para o cinema. :T

    Mas parece mesmo ser muito bom! *o* Esse lance de se apaixonar por um homem sombrio me deixou encantada... acho que lembrou um pouco O Norro Dos Ventos Uivantes! *o*

    Beijos,

    Samantha Monteiro
    Word In My Bag
    http://wordinmybag.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Eu quero, eu quero, eu quero e eu quero pra JÁ esse livro. Meu Deus, quando vi que você o tinha resenhado, fiquei louca. Ah, eu quero quero quero. UAHSUUAHUSAUUHSA

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  14. Eu adoro esse livro e tb tenho a edição da Bestbolso. Vou fazer dois comentários sobre os erros que tu apontaste. Realmente tem erros de edição. Agora destaco a questão do francês sem tradução. Isso é MUITOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO comum em livros britânicos dessa época. E até de um pouco mais tarde. Nenhum livro da Agatha Christie tem tradução das frases em francês de poirot.

    Isso não pode ser considerado um erro na minha opinião, a tradução segue o modelo do livro original.

    De qualquer modo sua resenha está brilhante. Não é um livro para todos (infelizmente). Eu não consegui desgrudar do livro e em duas noites mal dormidas acabei com ele. É fantástico.

    liliescreve.blogspot.com (também participando do desafio dos 7 clássicos)

    ResponderExcluir
  15. Eu vi o filme e gostei. Só acho que demorou muito para os dois se reencontrarem, que, no final do filme mostra. Eu adoraria lê-lo, para saber como a história é contada.

    ResponderExcluir

  16. Claire vê seu futuro transformado quando seu grande amor sofre um acidente. Com isso, as verdades começam a ser reveladas e ela, moça do século XIX, tenta decidir se dá chance a um novo amor ou se constrói sua vida de maneira independente. Porém, toda escolha tem suas consequências e diga-se: emocionantes consequências.
    "A Casa dos Boswell" é um romance erótico capaz de sacudir qualquer cabeceira.
    Um dos dez livros de ficção contemporânea mais vendidos na Amazon!
    https://www.amazon.com.br/dp/B00DT57QZK

    ResponderExcluir
  17. Estou terminando de ler Jane Eyre da edição BestBolso e não concordo com a crítica feita à editora. A tradução de Heloísa Seixas é excelente e o que você chama de erros de concordância são na verdade alguns erros de digitação. Tudo bem que realmente estes não devam ocorrer, mas já vi livros piores nesse sentido.

    Quanto à grafia de Adela, você não entendeu o significado disso. Não é um erro! Sempre que o nome é escrito como Adela vem grafado em itálico, pois se refere à fala de uma pessoa que não sabe pronunciar o nome corretamente. Repare!

    Quanto às frases em francês não traduzidas, elas não atrapalham o entendimento geral, mas poderiam estar traduzidas em um pé de página. Não sei se em inglês isso foi feito; caso não tenha sido, em português, também é aceitável que não se faça.

    ResponderExcluir
  18. A resenha está legal, mas há erros na grafia! Abraços.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.