Novidades literárias #2

01/06/2012


Divulgando os lançamentos deste mês e do próximo também da editora Barauna e Petit.

Jesus, o Divino Amigo 
Romance histórico do Irmão Virgílio
Psicografado por Antonio Demarchi

Jesus, o Divino Amigo revela toda a verdade sobre o Messias, sua jornada de luz, seu exemplo de amor e fraternidade, sua coragem e determinação. Arrastando multidões, o Divino Rabi da Galileia transmitia inesquecíveis lições de espiritualidade: elas estão neste livro inédito, livre dos erros dos copistas e de adulterações cometidas por interesses religiosos. 

Siga os passos do Mestre, acompanhe o autor espiritual, Irmão Virgílio. Emocione-se com as palavras de Jesus. Entenda o real significado de suas parábolas. Desvende os mistérios do Evangelho: as curas, a multiplicação de pães e peixes, a caminhada sobre as águas e tantos outros fenômenos. 

Ouça-o e liberte-se da influência de espíritos malignos que pretendem dominar a todos. Em plena transição planetária, é tempo de contemplar o retrato vivo do Salvador: cure sua alma na companhia de Jesus, o Divino Amigo. 

Dois Pais Brasileiros - Raimundo Rocha

Dois Pais Brasileiros conta a trajetória de vida de Francisco Mariano e João Ubaldo Rezende, dois jovens que durante a infância sofreram com a intolerância do pai, Inácio. Ainda jovens juraram que seriam pessoas diferentes e que nunca seriam tiranos como o pai. 

O destino os separou e 20 anos depois se reencontraram. Ambos, na condição de pais solteiros, amargam o desafio de lidar com os conflitos na relação entre pai e filho. Enquanto João Ubaldo quer mudar o temperamento hostil do filho que o odeia, Francisco Mariano rejeita o filho, portador da Síndrome de Down, por atribui-lhe a culpa pela morte de outro filho e da sua esposa, tendo que deparar com a insatisfação de sua filha, que o enfrenta em defesa do irmão. É nesse contexto, sem o apoio de uma esposa na criação , que eles se perdem no desafio de educar e lidar com seus filhos. 

 Terão eles condições de cumprirem com a jura feita na infância? Conseguiram se tornar bons pais, diferentes de Inácio, o homem que os criou? “Você não é um mau pai, porque você quer o melhor para ele! Você reza sempre por ele; você torce por ele, porque ele é a razão de sua vida! Você é um bom pai sim, porque se pre­ciso fosse, você renunciaria a sua própria vida e felicidade para que ele fosse feliz sempre. Você é sem sombra de dúvida um bom pai... Porque você o ama!”. (trecho extraídos do livro)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.