Lançamentos de maio da editora Martin Claret

17/05/2012


Alguns lançamentos de clássicos nacionais na nova ortografia fazem parte dos livros que serão lançados esse mês pela eidora Martin Claret. Estou muito na fase de Sherlock Holmes, fiquem de olho que logo logo tem resenha dele aqui no blog. 

O Guarani n° 17 - José de Alencar
 Coleção A Obra-Prima de Cada Autor 


O guarani – romance mais famoso de José de Alencar – foi uma das primeiras obras criadas com o objetivo de fundar uma literatura brasileira autônoma de Portugal. Em meio à história de amor entre o índio Peri e a moça branca Ceci, José de Alencar cria uma narrativa épica, cheia de amor, aventura, traição, lutas e vingança, prendendo a atenção do leitor a cada nova página. O romance proclama a brasilidade, focando importantes aspectos da realidade brasileira do século XVII: o índio e o branco; a cidade e o campo; o sertão e o litoral. 


A doutrina de Buda nº 135 - Bukkyo Dendo Kyokai 
Coleção A Obra-Prima de Cada Autor 


O substantivo “buda” significa “iluminado” e é derivado do nome de uma árvore (bodhi). Como nome próprio refere-se ao príncipe Siddharta Gautama, fundador de uma das grandes religiões do mundo, e, para os budistas, modelo de perfeita virtude. A referência à árvore remete à história de que depois de anos de experiências ao noroeste da Índia, sentado embaixo de uma árvore, Buda alcançou finalmente o nirvana, isto é, o estado que permite contemplar o ciclo da reencarnação universal. Esta obra foi idealizada pela Fundação para a propagação do Budismo e possui distribuição mundial. Um verdadeiro alimento para o espírito, a tradução brasileira foi possível graças aos esforços do sr.Yehan Numata. 

A escrava Isaura n° 10 - Bernardo Guimarães 
Coleção A Obra-Prima de Cada Autor 


A campanha abolicionista de 1875 foi o pano de fundo perfeito para a publicação de A escrava Isaura. A obra narra as muitas desventuras de uma escrava branca, bela e de caráter nobre, que vive sob o jugo de um luxurioso e cruel senhor. O romance – folhetim anti-escravagista e libertário, com fortes traços de idealização romântica – foi um grande sucesso editorial, conquistando a imaginação popular ante as situações intoleráveis do cativeiro e transformando Bernardo Guimarães em um dos mais populares romancistas de sua época no Brasil. Além de retratar a realidade brasileira, A escrava Isaura ajudou a construir a identidade nacional do país recém-independente, mantendo-se como um clássico de leitura imperdível. 

Histórias extraordinárias n° 32 - Edgar Allan Poe
Coleção A Obra-Prima de Cada Autor


“Poe é uma influência determinante em toda a nossa modernidade, o criador das histórias de detetive e das tramas de ficção científica, presente nas atualíssimas tendências fantásticas, góticas e underground. Mas ele é, acima de tudo, um esteta de talento que abriu caminhos para todas as correntes literárias de linha subjetivista e barroca que vieram depois dele. Trata-se de um escritor-crítico que tem pleno domínio da arte retórica e da arte poética, um artífice que controla, com mão de ferro e cordas de alaúde, os efeitos que exerce em seu leitor. Um arquiteto do estilo que sabe estruturar um conto como poucos (...).” Eliane Fittipaldi 

Traduzido por Eliane Fittipaldi e Katia M. Or berg, Histórias extraordinárias reúne alguns dos mais conhecidos e importantes contos de Edgar Allan Poe: O gato preto, O enterro prematuro, A queda da casa de Usher, William Wilson e O poço e o pêndulo.

 Lira dos vinte anos n° 19 - Álvares de Azevedo 
Coleção A Obra-Prima de Cada Autor

Como todo romântico influenciado fortemente por Lord Byron, a poesia de Azevedo contém traços marcantes de desejo, decepções, morbidez, tédio, melancolia e vício. Mesmo muito jovem, Álvares de Azevedo se cansou da vida e dos dramas que todo adolescente enfrenta, usando esse descontentamento e a angústia da alma como combustível para suas criações. A Lira dos vinte anos é uma de suas obras mais célebres e inclui alguns de seus poemas mais famosos: “Idéias íntimas”,“Spleene charutos”,“Lembranças de morrer”,“É Ela! É Ela! É Ela! É Ela” e “Se eu morresse amanhã”.

O Último Adeus de Sherlock Holmes - Sir Arthur Conan Doyle 
Coleção A Obra-Prima de Cada Autor

Mais famoso do que seu próprio criador, o detetive retorna em mais uma série de contos em O último adeus de Sherlock Holmes. Vendido em forma de livro em 1917, os contos foram originalmente publicados na revista StrandMagazine, entre os anos de 1893, 1908 e 1917. Sherlock havia se aposentado no volume anterior, mas os fãs do detetive não deixaram Conan Doyle em paz e, com a eclosão da Primeira Guerra Mundial, o detetive volta à ativa como um agente secreto. Aqui, você pode ler e se deliciar com os novos casos emocionantes narrados por Watson: “Vila Glicínia”, “O círculo vermelho”, “Os planos do Bruce-Partington”, “O detetive moribundo”, “O desaparecimento de Lady Frances Carfax”, “O pé do diabo” e “Seu último adeus”. 

Contos Fluminenses - Machado de Assis
Coleção A Obra-Prima de Cada Autor


Machado de Assis é o maior nome do conto brasileiro em seus moldes clássicos. Contos fluminensesé composto de sete histórias, e representa a estreiado escritor como contista. As narrativas revelam algumas das marcas registradas do autor, com personagens complexos e passagens recheadas de ironias e críticas à sociedade fluminense. Organizada por Machado em 1870, a obra contém os contos “Miss Dolar”, “Luís Soares”, “A mulher de preto”, “O segredo de Augusta”, “Confissões de uma viúva moça”, “Linha reta e linha curva” e “Frei Simão”. 

 O Primo Basílio - Eça de Queirós 
Coleção A Obra-Prima de Cada Autor - Série Ouro


Na segunda metade do século XIX, os ideais liberais consolidavam-se sobre os defensores da monarquia em Portugal, e o país vivia relativo progresso. Todavia, velhos costumes permaneciam entranhados na sociedade portuguesa, ocultos sob o véu tênue da moralidade. Em meio a esse conflito entre progresso e atraso, surge a chamada geração de 1870. Dessa geração, provêm alguns dos maiores nomes do pensamento português, dentre os quais Antero de Quental, mentor intelectual do grupo, e Eça de Queirós, o mais importe prosador realista em Portugal. Em O primo Basílio, Eça nos apresenta uma típica família burguesa de Lisboa, por meio da qual exporá a fragilidade de algumas das instituições mais caras aos portugueses – o casamento. 

Bhagavad Gita - Krishna 
Coleção A Obra Prima de Cada Autor


O BhagavadGita(A sublime canção), poema místico-filosófico, é o episódio mais célebre do Mahabharatae o texto mais venerado pelos hindus. Um manual de assertividade, ele nos aponta que a humanidade encontra-se perdida entre dois caminhos: o da passividade, em que o homem, consciente das leis do karma, opta por não agir; e o da agressividade, de acordo com o qual o homem age movido pelo ego, pelos próprios interesses. O Bhagavad Gitaentão aponta um novo caminho, o caminho do sábio: o reto-agir, o agir de acordo com a essência suprema do ser, agir segundo os mais nobres valores. Traduzido e comentado pelo filósofo e educador HubertoHoden, este livro é um verdadeiro compêndio das ideiasdo hinduísmo.

3 comentários:

  1. ual, super legal vc colocar um clássico aqui, hehe

    beijinhos

    http://blogcharmeeestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Também gosto muito de Sherlock Holmes! Vou aguardar a resenha ... os livros da MArtin Claret sempre me lembram meu tempo de escola. Dá muita saudade!

    ResponderExcluir
  3. Não compro livros da Martin Claret. Prefiro os da L&PM Pockets.

    Beijos!
    http://policialdabiblioteca.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.