Resenha Nacional: Uma Aventura no Atlântico

01/04/2012


É possível alterar o genoma humano, criando um ser geneticamente modificado que possa respirar embaixo da água? Dennis Ventura é a prova viva que isso é possível. Ele está longe de ser um rapaz normal. O que o difere dos garotos da mesma idade além de sua estonteante beleza é sua inteligência acima da média e suas habilidades extraordinárias. O porquê dessas habilidades? Simples, ele é fruto de uma experiência genética feita pelo próprio pai biológico, que além de tudo é um cientista famoso reconhecido e premiado mundialmente. No decorrer da sua vida, nada comum, ele se envolve em pequenas e grandes aventuras, nas quais, tais habilidades vão ser necessárias e essenciais para salvar sua vida e de muitas outras pessoas, inclusive, da mulher que ama.

Como eu disse na caixinha de correio quando apresentei o livro, estava bem curiosa com a forma que a autora levaria um enredo tão diferente. Diferente pra mim, pois nunca havia lido nada sobre um humano genéticamente modificado vivendo entre os "normais". Porém, o livro não alcaçou as minhas expectativas e logo abaixo vocês vão saber porque.

Dr. Rômulo Ventura, famoso geneticista, perdeu seu filho pequeno afogando durante um passeio no mar, depois disso, ele passa seu tempo dedicando-se a criação de um ser gentéticamente modificado, e consegue. Ele altera seu gênoma, lhe dando algumas características especiais, como respirar em baixo d´água e espera que uma tragédia como aquela, nunca mais aconteça em sua vida. O óvulo genéticamente modificado é implantado em sua esposa e depois de nove meses um híbrido nasce.

O resultado dessa experiência é Dennis, um ser híbrido com poderes especiais e que terá de aprender a conviver com suas diferenças. A princípio ele não sabe o que é, mas ao encontrar o diário do pai, local esse onde ele anotava a evolução dele, ele entende que difere dos outros humanos não só na parte genética, mas também em algumas qualidades. Como Dennis lidará com essa descoberta e o fato de ser híbrido é a grande questão do livro. Aventuras, amor, descobertas, confusões ... tudo isso faz parte de Uma Aventura no Atlântico.

Usando um termo bastante popular: Sou um ser mutante. Uma espécie de humano híbrido, meio terrestre, meio aquático.

O livro é narrado em 3º pessoa, sendo assim, temos a perspectiva do enredo de vários personagens. Lógicamente que Dennis sendo o protaginsta, acompanharemos mais ele do que os outros. Dennis é como se fosse o super-herói da estória, descrito como extremamente lindo e inteligente. É ele quem livrará os amigos de algumas confusões e problemas que surgirão no livro, usando os poderes que o pai acrescentou em seu gênoma. A Alícia é seu par romântico, uma moça que ele salvou de um afogamento e que tiveram um pelo outro amor à primeira vista. Uma personagem no começo mais meiga e ingênua, mas que depois percebos bem apaixonada e que sabe o que quer.

Mesmo o casal principal apresentando caracteristicas que geralmente eu gosto, não consegui sentir empatia por eles. Me pareceu certinho demais o modo como eles se relacionam, no sentido de previsível. A forma como eles se falam e agem eu ja conseguia imaginar antes de ler a próxima cena. O personagem que eu gostei foi o Bartô, amigo do Dennis, tirando a parte cômica exagerada, consegui ver semelhanças entre ele e amigos meus. Isso acabou o tornando mais real pra mim e conseguiu fazer com que eu sentisse afeição por ele.

O modo como o livro terminou também não me agradou. Termina de um jeito que deixa o leitor perdido e que se ele não souber que terá continuação, achará que é algum erro na diagramação. Isso porque não há uma conclusão, mesmo que a ideia da autora fosse que o livro desse margem para o segundo, precisaria ter alguns indícios disso. Não sei se a intenção é começar o segundo exatamente da onde esse paro, fiquei com essa dúvida.

Uma Aventura no Atlântico é o primeiro de uma trilogia, sendo o segundo O Híbrido. Li em uma outra resenha que o Bartô será mais participativo nele, isso me deixou bem contente, pois ele foi o personagem que me chamou a atenção no primeiro e que aparecerá muito muito mais no segundo. O livro não funcionou muito pra mim, mas nada impede que um de vocês que estão lendo a resenha, leiam e achem maravilhoso.


Uma Aventura no Atlântico
Márcia Maria Almeida de Oliveira
Editora Barauna

4 comentários:

  1. Um enredo bem forte mesmo, pena que não foi tudo o que vc pensava, mas pelo menos foi um bom livro :)
    Rafa :)
    Blog Melody
    http://rafaacarvalho.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Depois dessa resenha vou passar longe desse livro, ou melhor, vou colocar no final da minha lista de leitura... 1º DE ABRIL! Brincadeirinha! Hehehehehe.

    Agora sério, adorei a resenha, O RESUMO (inédito), a opinião e as críticas. Ainda não tinha lido nada por esse ponto de vista. Por mais que mexa com o ego do autor (EU), são as críticas que indicam se o autor está no caminho certo ou não.
    Errei, admito, quando não informei ao leitor, no primeiro volume, que a trama seria uma trilogia, sabe como é: marinheira de primeira viagem, primeiro livro, nenhuma experiência... Mas consertei isso nos volumes seguintes, pode conferir.
    Sinto muito que o livro não atendeu as suas expectativas, mas faz parte do universo distinto de opiniões, e, respeito isso. Afinal, o que seria do azul se todos gostassem de vermelho? Até confesso que muitos livros, elogiados pela crítica, eu li e não gostei.

    Desejo muito sucesso para seu blog e... Muiiiiitas visitas e muiiiitos comentários.
    Beijinhos,
    A AUTORA.
    P.S.:Confiram a sinopse do segundo volume, outras resenhas, book trailer e muito mais no meu blog:

    www.marciaescritora.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Bela resenha, parabéns!
    A capa é linda, e apesar da sua resenha ser boa, eu não gostei muuito do livro, leria ele, claro, com certeza, mas só se ganhasse, kkkk.


    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Antes de tecer meus comentários...parabéns pela resenha! Você conseguiu falar bastante, mas revelar pontos desnecessários acerca da trama, falo isso porque já li outra resenha que continha um grande spoiler sobre o final do livro.
    O tema a partir do qual a história é desenvolvida para mim não é tão inusitado, afinal costumo ler algumas HQs às vezes e mutantes são uma das coisas que mais existem nos universos Marvel, DC, Vertigo etc. Às vezes me pergunto porque quase toda história ultimamente tem um romance. Acho muito bom histórias românticas, desde que bem construídas. Esse final abrupto, mencionado por você, nunca encontrei nos livros de série que já li. Normalmente os autores encerram o livro em momentos-chaves, mas sem ficar uma sensação de que tá faltando alguma página. Bem...quando ler vou saber ao certo o quão bom ou ruim é esse livro.

    Beijos!
    http://policialdabiblioteca.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.