Resenha Nacional: Terra Ardente

26/03/2012


Karen tem má fama na cidade. Envolvida com corridas de cavalo, dívidas que podem levá-la à falência e uma vida afetiva que segue a regra dos três encontros e nunca mais, ela não pode fracassar. No seu encalço, dois fazendeiros ambicionando tomarem-lhe a propriedade. Com a vida em risco e sozinha num lugar hostil, ela tenta sobreviver e cuidar da avó e do filho. Se for preciso, seduzirá o delegado de polícia de Matarana para protegê-la – um caubói da lei que se comporta como um xerife durão do velho-oeste americano. Mas Karen não é a única mulher em apuros. 

A jornalista Nova Monteiro investiga um latifundiário suspeito de aliciar trabalhadores. Abandonou o sudeste para ficar ao lado do homem que ama desde a infância. Um amor que tem tudo para não se concretizar. O que Nova não sabe, porém, é que, segundo boatos, a chuva de cinzas na estação do estio não é somente das queimadas, mas também dos corpos dos forasteiros que se metem com os poderosos da região. Assim, ela faz duas descobertas: que luta pela causa errada e que o amor verdadeiro é um sentimento bruto que pode nascer do medo. 

Matarana, a cidade das aparências, onde nem sempre o mocinho é bom e o vilão, mau. Um faroeste moderno com mulheres fortes, homens destemidos, pistoleiros, matadores de aluguel e paixões devastadoras. A humanidade posta à prova em situações-limite. 

Matarana é o local onde a estória do livro se passa, uma cidade praticamente sem lei, onde tudo o que é ilícito acontece a olhos vistos. É nesse inóspito lugar que o delegado Rodrigo tenta botar ordem, eu disse praticamente sem lei, porque o delegado tenta de tudo para que a justiça e a lei se façam presentes nessa cidade. Muitos de seus problemas de baderna vem de Karen, uma mulher de má fama com muitos problemas financeiros e que tenta de tudo pra sair do buraco. Ela e Rodrigo são amigos de longa data, mas agora que Rodrigo não quer mais viver como um viúvo solitário e Karen precisa de um homem para protegê-la, a amizade deles pode seguir por um outro caminho.

-Faria amor com você a noite inteira, mas do que sexo. Entende a diferença, moça?
-Não, nunca fiz amor. Como é Rodrigo, como é isso?
-Um dia eu lhe mostro.

Nova foi parar em Matarana junto com seu amigo Cris porque decobriu que seu marido a estava traindo com a mulher do amigo. E claro, porque nutri um amor por ele de infância. Ela acreditava que com o tempo as coisas pudessem ser diferente e que Cris a visse como mulher e não amiga. Mas as coisas se complicam quando Nova se mete em assuntos dos peixes grandes e corre perigo. Um dos fazendeiros poderosos da cidade irá designar um segurança para ela e Nova descobrirá que o amor pode nascer de onde menos se espera, e ter a força necessária para mudar até o coração mais arisco.

No começo, eu fiquei um pouco perdida na narrativa, pois são vários pontos de vista, ou seja, vários personagens contando sobre a mesma estória. Mas depois que peguei ritmo (depois das 40 primeiras paginas) a leitura fluiu muito bem. A linguagem dele não é complicada, pelo contrário, é um livro bem simples de entender e que por isso vai ser fácil das pessoas se identificarem. Ele possui alguns palavrões e algumas cenas sensuais, mas sendo um livro de caubóis e que trata dos fatos de uma forma aberta (ríspida até), isso é totalmente compreensivel e não me desagradou nem um pouco.

Matarana é um vespeiro enevenenado. Só que quando a gente é picado não morre por causa do ferrão; a gente se torna outra vespa e passa também a espalhar o veneno.

Percebi o uso de ums estratégia literária muito comum em casos de livros com um pouco de suspense, o uso de capítulos em foma de novela. Quando estamos chegando ao desfecho de alguma cena, o próximo caítulo já é sobre outro ponto de vista. Isso ás vezes nos deixa com raiva, mas também cresce a curiosidade na leitura e o acelera. Você acaba lendo muito mais rápido para saber o que vai acontecer.

Embora o livro tenha vários personagens, 4 se destacam: Karen, Rodrigo, Nova e um personagem surpresa. Karen e Nova são as que mais narram e é com elas que acontecem os principais conflitos do livro. Particularmente me identifiquei mais com a Nova, mesmo querendo ser como a Karen. A Nova é sonhadora, e passou a vida toda querendo que um amigo se tornasse mais do que isso. Não aceita o que de errado acontece em Matarana e quer que tudo seja do jeito certo, mesmo que pra isso sua vida esteja em risco. O persnagem surpresa que fará par com Nova, é como o estou descrevendo, uma encantadora e desafiadora surpresa. Um personagem que chega de fininho e parece conquistar o coração de todas as leitoras (A fila é grande minha gente).

Nova era como um girassol em busca de luz. E ela, Karen, era mais como uma mariposa queimada. Verdade universal: luz demais cega ou feria.

Por fim só posso deixar os meu parabéns a autora Janice, pelos personagens maravilhosos, um enredo inteligente e que prende o leitor, e por me proporcionar ótimos momentos e porque não dizer sonhos, já que sempre me imagino na personagem que mais me identifico. Estou muito ansiosa pelo livro 2, Céu em Chamas e que ele siga essa mesma linha que deu muito certo, com romance, intrigas e muitos caubóis pra nos fazer suspirar.

Somente saberá se dormiu com o herói ou com o vilão quando já for tarde demais para se arrepender ... ou não.

5 comentários:

  1. Boa noite,

    Já estava curioso em relação a esse livro, agora com a sua resenha ela só aumentou...parabéns.

    Abraços.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Denise,

    Tentarei não exagerar nos adjetivos, mas também não posso apenas comentar que "adorei a sua resenha". Isso é pouco. Fiquei muito emocionada não só por você ter gostado de Terra Ardente, mas também por ter conseguido fazê-la sonhar, viver a história, se envolver como mais uma personagem ou, quem sabe, sendo a própria Nova Monteiro. Isso aconteceu. Assim, meu objetivo como escritora foi alcançado,e você me deixou muito feliz.

    Você não é uma parceira para um livro, e sim para uma série inteira! ♥

    Muito obrigada por ter escolhido participar desse sonho comigo.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. A capa me chamou bastante a atenção, e por sua resenha o livro parece ser bem interessante.
    *bye*

    loucaporromances.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Um western com mulheres como protagonistas? Uou! Interessante! Esse detalhe da linguagem que você citou é mesmo normal, basta ver por exemplo alguns filmes westerns clássicos. Quando lemos devemos levar em conta o contexto da história também. Esse jogo de dúvidas sobre quem é mocinho e vilão deixa a leitura mesmo muito prazerosa, já li alguns livros que fizeram isso.

    Beijos!
    http://policialdabiblioteca.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Ham... Sua resenha ficou ótima, mas não é meu estilo de livro. :)

    Tem um quote ali tenso hein? hahahahha

    Beijooos

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.