Lançamentos da editora Martin Claret

19/03/2012


A editora Martin Claret está relançando obras primas de autores nacionais/internacionais com a nova ortográfia (vigente e obrigatória a partir do fim do ano), eles fazem parte da Coleção A Obra-Prima de Cada Autor".


Til - Jose de Alencar

Publicada pela primeira vez em 1872, Til pertence, ao lado de O gaúcho, O sertanejo e O tronco do Ipê, ao regionalismo de José de Alencar e retrata o interior paulista. Nesse romance, a idealização da natureza, a narrativa leve e o subjetivismo da linguagem criam uma atmosfera suave, em que a inocência dos personagens centrais contrasta com a trama emaranhada e sanguinolenta. A beleza da natureza, tão valorizada e enaltecida pelos contemporâneos de Alencar, divide lugar com a brutalidade da realidade regional.

Til é o apelido de Berta, moça “pequena, esbelta, ligeira, buliçosa” que se envolve nas mais intricadas tramas, sempre buscando ajudar os que precisam. Trata-se do ideal de heroína: doce, meiga, caridosa, mas também de coragem e impetuosidade únicas na literatura brasileira. Capaz de enfrentar jagunços, Berta não mede esforços ao buscar a realização de seus intentos. Violências, misté-rios e triângulos amorosos constituem esta complicada e bela história.



O Moço Loiro - Joaquim Manuel de Macedo

Honorina, uma jovem e bela dama, sempre cercada de ilustres admiradores — e por isso alvo de inveja das moças da Corte —, começa a ser cortejada por um homem misterioso, conhecido apenas pela alcunha de “o Moço Loiro”. 

Ele está sempre por perto, como que onipresente, valendo-se de uma série de artimanhas para ocultar sua identidade. No entanto, as atenções da dama a esse misterioso cavalheiro começam a causar ciúmes naqueles que nutrem esperanças em conquistar o seu amor. Por causa de um deles, o mais fervoroso e o mais desprezado, Honorina e sua família acabam sofrendo as consequências de um plano perverso.

Repleto de personagens charmosos e carismáticos, o romance de Joaquim Manuel de Macedo mistura doçura, ironia e comicidade. Trata-se de um belo retrato do Rio de Janeiro do século XIX.


Livro dos Provérbios

Provérbios são frases curtas, com a finalidade de exprimir sabedoria e fruto de uma verdade adquirida através da experiência de Salomão, filho de Davi e terceiro rei de Israel, ficou conhecido — durante milênios — por suas decisões justas e sábias. Nada mais natural, portanto, do que um Livro dos Provérbios de Salomão.

Ele é indicado: “para conhecer sabedoria e disciplina, para penetrar as sentenças profundas, para adquirir disciplina e sensatez — justiça, direito e retidão —, para ensinar sagacidade aos ingênuos, conhecimento e reflexão ao jovem.” O diferencial desta edição é a tradução de Ivo Storniolo, filósofo, teólogo, escritor, estudioso da psicologia junguiana e biblista formado no Pontifício Instituto Bíblico de Roma. É para ler, deliciar-se e aprender.


Triste Fim de Policarpo Quaresma - Lima Barreto

Policarpo Quaresma ama o Brasil. Ama porque é a terra mais fértil do mundo, porque tem a fauna e a flora mais lindas e exuberantes, porque é a cultura mais rica, a melhor comida, em variedade e sabores, porque possui as mulheres mais belas e, segundo ele, até mesmo... os melhores governantes. Funcionário público, fluente em tupi, estudioso da cultura indígena e grande apreciador das modinhas de violão — para ele, o único estilo de música verdadeiramente nacional —, Policarpo, como Dom Quixote de La Mancha, enfrenta moinhos de vento para provar a todos o seu ponto de vista, bradar ao mundo o amor por sua musa, não a Srta. Dulcineia de Toboso, mas a mui amada pátria brasileira.

Mas, afinal, que fim poderia ter a aventura de Policarpo? Repleto de personagens fortes e carismáticos, o romance de Lima Barreto é, ao mesmo tempo, um ensaio sobre o idealismo, uma crítica profunda, mas permeada de comicidade, da realidade brasileira do fim do século XIX e início do XX e um retrato das mudanças pelas quais o Brasil passava naquele momento, como o despertar do feminismo. Lindo, inteligente, comovente! Um clássico da literatura nacional.


O Cristo Cósmico e os Essênios - Huberto Rohden

Jesus, o Cristo, é o personagem mais misterioso, enigmático e fascinante da História. Ninguém fica indiferente diante de sua força avassaladora. O Cristo Cósmico e os Essênios é uma feliz tentativa do filósofo e educador Huberto Rohden de esclarecer pontos obscuros da vida de Jesus, o Cristo. Milhares e milhares de livros foram escritos sobre o “Homem de Nazaré”.

O período menos conhecido de sua vida abrange 18 anos — dos 12 aos 30 — , sobre os quais os evangelhos canônicos nada dizem. Publicada postumamente — a 1a edição é de 1993 —, a obra também traz textos de outros autores, os quais ajudam a iluminar certas passagens pouco conhecidas da vida de Cristo.


Roteiro Cósmico - Huberto Rohden


A mais alta vocação e missão de todo ser humano é encontrar a si mesmo. Nesta busca evolutiva o homem tem sentido frustração e desespero, e poucos têm encontrado o verdadeiro rumo para sua autorrealização. Aqui, pensadores, antigos e modernos, por meio de Rohden, são convidados a nos dizer o que sabem sobre o Universo, Deus, ciência, religião e o homem. Os leitores que sabem poderão saber mais, e os que sofrem sofrerão menos. Este livro é um claro roteiro para o “cosmo interior e exterior” de cada um de nós.

2 comentários:

  1. Não gosto muito de livros brasileiros antigos, mas eu gosto muito dos antigos estrangeiros.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  2. Não costumo comprar os livros da Martin Claret devido à não recomendação de amigos que dizem que a tradução deles não é boa, além de às vezes não traduzirem da língua original em que o livro foi publicado. Não sei se isso é verdade, mas mesmo assim não costumo comprar os exemplares da Martin Claret também porque não gosto muito do trabalho deles com os livros e sempre acabo achando editorar que fazem um trabalho mais elaborado.

    Abraços!
    @cyberlivingdead
    http://policialdabiblioteca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.