Resenha de Banca: Do jeito do Coração

22/02/2012


Ela só queria ter um filho dele. Mas ele exigia casar com ela! Meg McKettrick desejava ter um bebê. O marido seria opcional. E o homem perfeito para lhe dar um filho seria Brad O'Ballivan, uma paixão antiga e também o novo proprietário do rancho de sua família em Stone Creek. 

Tudo tinha de ser do jeito que ela queria. Mas Brad, tão teimoso e forte quanto ela, preferia à maneira dele. Primeiro vinha o amor, depois o casamento, os filhos e uma vida inteira pela frente. Nada de uma breve noite de paixão e “tchau”.

 Para um caubói de rodeio durão como ele, tratava-se de uma batalha de interesses que ele estava determinado a vencer. E seria um doce prazer ganhar o coração selvagem de Meg!

Comprei esse livro pela autora, a Linda escreveu outra série que eu gosto muito, os irmãos Creed. Geralmente na escolha de romances de banca é assim mesmo, você acha uma autora que gosta e compra livros dela para não errar. Com a Linda tenho essa certeza de que vou adorar seus romances e com Do jeito do Coração não foi diferente.

Fazia tempo que eu não lia um romance de banca bem estruturado como esse, com reencontros, drama, amor e perdão. Ás vezes acontece de pensarmos que por ter tão poucas páginas o romance de banca pode deixar a desejar, sim, isso acontece com alguns romances, mas com esse não. O enredo é fechado e na medida certa, não deixou nada ou nenhum personagem em aberto.

Sobre os personagens, a Meg e o Brad são aquele casal química mesmo depois de muitos anos. Brad abandona Meg para seguir a carreira de músico e depois de muito tempo volta para acertar as contas com ela. Já Meg não quer se deixar enganar por ele, mesmo sabendo que no fundo ainda o ama. Eles vão enfrentar uma série de dificuldades para ficarem juntos, sendo a narrativa alternando entre os dois.

O drama fica por conta de um personagem que volta para  vida da Meg e que faz parte de quem ela é. No começo é difícil para qualquer um aceitar e perdoar alguém que nos rejeita e abandona e para Meg não será diferente. Ela enfrenta essa raiva e tenta aproveitar o pouco tempo que resta ao lado desse personagem. O livro também tem um toque sobrenatural, isso é característico dessa série, As mulheres McKettrick, e esse toque sobrenatural também é o toque de comédia do livro.

A escrita da Linda é bem simples e gostosa, a estória dela não se perde em poucas páginas pois tudo se complementa. Gostei do enrendo, gostei dos personagens e principalmente, gostei do final. Ela faz uma ligação com essa série e outra que nossa... sacada de mestre. Se você não leu nada dela e gosta de romances e banca leia, as cenas hot dela são bem sutis, fica tudo pra você imaginar.

Do Jeito do Coração - (Rainhas do Romance 56)
Linda Lael Miller 
Harlequin

5 comentários:

  1. Oi Denise!
    Ainda não li nada da autora, mas já li outras resenhas de livros dela e realmente parece ser muito boa.
    Eu compro os livros de banca pela autora (se for da Nora, nem penso, compro) e pela capa também, tem tantas capas bonitas :)

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  2. Amiga: me indica algum livro de banca REALMENTE bom, o que vc acha O MELHOR. Queria perder o preconceito, sabe? =/

    Sua resenha ficou ótima, aliás. :)

    Beijos!

    Gleice
    @MPessoais
    www.murmuriospessoais.com

    ResponderExcluir
  3. EU QUERO LER ESSE LIVRO!! u_u
    Sério, amei a sinopse, capa, e a tua resenha!!!
    Pena que aqui não tem pra vendar ¬¬ (Raiva de morar em cidade pequena...)
    Mas parabéns, AMEI tua resenha!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não li nenhum romance de banca, mas desde que conheço vc gêmea e seu blog confesso que me interessei mto por esse gênero!! eu quero ler kkk!!
    gostei da estória e tbm da questão de ter algo sobrenatural! oh gêmea me dá esse livro!! kkkk
    vou procurá-lo!!
    Bjs
    Daiane
    nouniversodaliteratura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. O único romance de banca que li foi um western, mas faz tantoooo tempo que nem lembro do nome. Assumo que achei o enredo muito doce para mim, mas não acho que posso defini-lo como ruim sem ler.

    Abraços!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.