Resenha de Banca: O bebê de Olívia

10/01/2012

 
Um futuro ameaçado pelo passado...

Olivia fica surpresa ao saber que seu pai lhe deixou em testamento a casa de veraneio. Um lugar agradável e acolhedor, mas que traz recordações agridoces para ela. Lembranças de Zach, seu grande amor e da criança que ela perdeu ao nascer. Mas o que começa como uma simples viagem para vistoriar sua nova propriedade, torna-se uma jornada de revelações... Olivia reencontra Zach... e a linda filhinha de ambos... Zach fica abalado ao saber que Olivia está de volta ao lugar onde se apaixonaram.

Mais chocante ainda é descobrir que foram as mentiras que o pai dela contou que os separaram por todos aqueles anos. Reconstruir o relacionamento é uma tentação à qual nenhum dos dois consegue resistir. No entanto, existe alguém disposto a destruir a felicidade de Zach e Olívia...

Em O bebê de Olívia, Olívia tenta seguir sua vida depois do que aconteceu com ela aos 16 anos. Seu bebê fruto do romance com Zach nasceu morto e ela quer apenas seguir em frente. Passados 10 anos do acontecido, ela agora trabalha em uma revista de moda e convive com a estranha sensação de algo está errado. Olivia sonha com crianças de várias idades todas as noites.

Na época que ficou grávida, o pai de Olivia a mandou pra um lar de adolescentes grávidas para que ela tivesse o bebê e desse para a adoção, eles nunca mais foram próximos depois disso. Por esse motivo, Olívia estranhou o fato de seu pai ter deixado uma herança para ela. Só que para conseguir essa herança, ela deveria volta a cidade onde conheceu Zach, seu grande amor e enfrentar o passado.

Chegando à cidade, Olívia se depara com a maior surpresa de sua vida, seu bebê, uma menina de 13 anos agora, está viva e morando com o pai, Zach. Ela descobre que foi tudo armação do seu pai, mentiras e mais mentiras para afastá-la de Zach. Agora ela precisa reorganizar sua vida e desvendar o mistério de quem é a pessoa que está invadindo a sua casa e deixando mensagens a ameaçando de morte.

Eu não sei o que aconteceu, acredito que seja a edição que a Nova Cultural fez (mais provável) porque eu me recuso a acreditar que uma autora tenha escrito um livro com tantos cortes em sequências de cenas ou até mesmo de falas. O livro é todo picotado e não flui, eu levei quase uma semana pra ler um livro de 200 páginas porque não conseguia vivenciar a história, me deixar levar. É tudo muito parado e mecânico. Nem me afeiçoar aos personagens eu consegui, é difícil entendê-los e sentir a estória... realmente acredito que partes do enredo foram arrancados, o que estragou tudo.

O livro tem um enredo bom: suspense com romance, mas acabou se perdendo em meio a uma edição mal feita que coloca pontinhos e asteriscos para separar, interromper cenas que percebemos que tinha uma continuação, mais escrita para envolver os leitores. Esse foi o primeiro livro de banca que não gostei. Adoro esse tipo de livro, pelo romance, finais felizes, são livros baratos e você consegue levar pra qualquer lugar. Mas esse, em especial, eu não recomendo.

O Bebê de Olívia - Sabrina 1496
Janelle Taylor
Nova Cultural

Um comentário:

  1. Oii, vim do blog Livros & Fuxicos.
    Estou participando da promoção.
    Adorei seu blog e o jeito como você escreve.
    Estarei sempre por aqui.
    Beijos

    Gabi
    http://opadezoitoanos.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.