Sorrisos Quebrados || Sofia Silva

15/12/2017


Preciso começar essa resenha dizendo o quanto eu fiquei empolgada quando a editora Valentina anunciou a publicação de Sorrisos Quebrados. Fui cheia de expectativas, achando que ia amar o livro e não me enganei.

Sorrisos Quebrados é narrado em primeira pessoa e os pontos de vista alternam entre Paola e André. Já no prólogo sofremos um baque com a situação da personagem. Ao tentar fugir de sua vida miserável ao lado de Roberto, um marido agressor, Paola acaba vendo seus planos frustrados e, pior que isso, depois de acordar de uma terrível atrocidade decorrida com ela, descobre que seu rosto está desfigurado.

Além do problema estético, em decorrência do mal que sofreu, ela também sofre problemas de saúde e carrega terríveis cicatrizes no coração. Seis anos depois, vemos Paola numa clínica. Lá, ela usa seu tempo com a pintura, com o que se ocupa na maior parte dos seus dias. Num dia especial de carnaval, na festa preparada para os pacientes pela clínica, ela conhece uma linda garotinha chamada de Sol. Logo de cara, Paola e a pequena Sol tornam-se grandes amigas. Em decorrência dessa amizade, Paola conhece André, o pai da garota.

Nesse momento somos duas almas perdidas que se encontraram, mas que receiam ser mais uma miragem no deserto que tem sido nossa caminhada.

André carrega muitos traumas e seu único objetivo na vida é cuidar de Sol. Quando, no entanto, ele conhece Paola e descobre a beleza que ela carrega por dentro, e todo o amor e cuidado que ela tem com sua filha, o tempo vai fazendo com que sentimentos fortes cresçam dentro dele. Como eu disse no início, peguei esse livro cheia de expectativas e amei. A Paola é uma personagem doce e forte. André é um pai amoroso e é tocante ver como ele se preocupa com o bem-estar da Sol e como faz tudo para protegê-la e ajudá-la a superar os obstáculos que sua doença lhe impõe.

Record vai lançar novo livro de Brittainy C. Cherry

A editora Record anunciou o lançamento por aqui do novo livro da autora Brittainy C. Cherry, conhecida pelo livro Sr. Daniels e a série Elementos.

O primeiro livro se chamará Pelos Bares da Vida e a capa original é essa abaixo.


Quando conheci Jasmine Greene, ela veio como pingos de chuva. Eu era o músico estranho, e ela era a rainha do ensino médio. As únicas coisas que tínhamos em comum eram a nossa música e a nossa solidão. Algo em seus olhos me disse que seu sorriso nem sempre era a verdade. Algo em sua voz me deu uma esperança que sempre desejei encontrar. E em um instante, ela se foi. Anos depois, ela estava parada na minha frente em uma rua em Nova Orleans.

Ela estava diferente, mas eu também estava. A vida nos fez ficar mais frios. Mais endurecidos. Isolados. Aprisionados. Mesmo que estivéssemos diferentes, os pedaços quebrados em mim reconheciam a tristeza nela. Agora ela estava de volta, e eu não cometeria o erro de deixá-la ir novamente. Quando conheci Jasmine Greene, ela veio como pingos de chuva. Quando nos encontramos novamente, ela era a mais escura tempestade.

Aproveitando. A Record também vai publicar o livro de Stuart Reardon e Jane Harvey-Berrick. Stuart é o modelo dessa capa abaixo e também do livro A força que nos atrai.

Ele esteve recentemente no Brasil junto com a autora Brittainy C. Cherry para divulgar o lançamento do livro.


Fonte.

Universo dos Livros abandona a publicação de três séries

Se você acompanha as séries Os Cárpatos (Christine Feehan), Novas Espécies (Laurann Dohner) e Os Reis do Bourbon (J.R. Ward) atenção, a Universo dos Livros não vai mais publicá-las.


A editora respondeu uma leitora e disse que o cancelamento dos Cárpatos e Novas Espécies é por causa da extensão da série, muito longa, e que as negociações com a autora de Os Reis do Bourbon para publicar o restante não deu certo.

Extraordinário || R. J. Palacio

13/12/2017

Extraordinário é o filme do momento. Para não perder a estreia, li o livro antes e assisti o longa. Confiram minhas impressões dos dois.


August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. 

Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros. R. J. Palacio criou uma história edificante, repleta de amor e esperança, em que um grupo de pessoas luta para espalhar compaixão, aceitação e gentileza. 

Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade. Um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo o tipo de leitor. 

Extraordinário
R. J. Palacio
Editora Intrínseca: Twitter/Facebook
 
Adquira o livro nos seguintes links e ajude o site: 

Lumière! A Aventura Começa

Lumière! A Aventura Começa || Estreia em 14 de dezembro de 2017 
Texto: Kamila Wozniak (blog 5 das Artes

Lumière! é um documentário que mostra o surgimento do cinema nas mãos dos irmãos Louis e Auguste Lumière. Sequências de 114 breves filmes, em preto e branco, restaurados e montados para homenageá-los.

Os filmes mostram imagens históricas, da França e da Era Moderna, pelo olhar dos irmãos. É um documentário muito interessante, que nos mostra a descoberta dos irmãos Lumière com o cinematógrafo na época de 1896 em diante. Em alguns momentos eles filmavam trabalhadores saindo de seus turnos ou fazendo suas atividades, em outras, pessoas por eles chamadas para "atuarem" em seus projetos, e em outros momentos, eram os próprios em cena com sua família e amigos.

Uma homenagem bem interessante de se conhecer, saber como surgiu a primeira gravação em filme e a forma como eles aos poucos iam descobrindo as noções de luz, enquadramento, espaço, etc. Para os curiosos e estudiosos de plantão é um material próprio para conhecimento e absorção da cultura cinematográfica.


Assim é a Vida

Assim é a Vida || Classificação: ★★★ (Bom) || Estreia em 14 de dezembro de 2017
Texto: Murilo Maximiano || Revisão: Kamila Wozniak 


E temos mais uma comédia da dupla de diretores Eric Toledano e Olivier Nakache, que estouraram com seu filme Intocáveis (filme francês mais visto de todos os tempos). Apesar de inferior ao seu trabalho mais conhecido, o filme mantém os debates acerca da nova França (com imigrantes e os problemas atuais que sobre), com bom humor e de maneira sutil. Max (Jean-Pierre Bacri), um organizador de eventos por trinta anos, está prestes a realizar um grande casamento, mas acredita que tudo irá correr como o planejado.

A equipe da festa, que será em um imponente castelo do século XVII, já foi selecionada por ele: garçons, cozinheiros, fotógrafo e músicos. Mas o que ele não imaginava era que, em uma noite repleta de emoções, algumas coisas sairiam do controle. O longa se esgueira pelas pequenas histórias daqueles envolvidos com a organização do tal casamento. Seguindo as complicações e correrias para entregar a festa, cada personagem tem um pequeno arco a se desenvolver e trazendo comicidade (nunca escrachada ou exagerada, temos um pequeno tour pelos bastidores do casamento).


Inclusive, a comédia do filme é situacional, surge não só nos momentos solo dos personagens, mas na junção completa de todas as histórias e situações, que montam uma narrativa divertida e fluida. Sobre as histórias, os roteiristas (que são os diretores), trazem uma boa quantidade de temas que refletem na França atual. Sobre o protagonista se fixa as partes mais importantes, como os direitos trabalhistas e a legalização, insatisfações dos envolvidos, a velocidade que é necessária para resolver os problemas (como esses problemas acabam vindo tão rápido quanto).

Tecnologia do Blogger.