Power Rangers

24/03/2017

Power Rangers || Classificação: ★★★ (Bom) || Estreou em 23 de março de 2017 
Texto: Murilo Maximiano || Revisão: Kamila Wozniak

“Go, go, Power Rangers!”, um verso de uma música que para sempre marcou uma geração. 


Nesse novo filme, que refaz a história da primeira temporada da lendária série infantil, temos um respeito enorme pelos fãs ao mesmo tempo um respeito pelo próprio cinema. Redondo, fluído e divertido, é um alívio saber que Power Rangers é bom. A jornada de cinco adolescentes que devem buscar algo extraordinário quando eles tomam consciência que a sua pequena cidade Alameda dos Anjos – e o mundo – estão à beira de sofrer um ataque alienígena. Escolhidos pelo destino, eles irão descobrir que são os únicos que poderão salvar o planeta. Mas para isso, eles devem superar seus problemas pessoais e juntarem sua forças como os Power Rangers, antes que seja tarde demais.

O filme começa com uma pequena história – um pouco forçada – sobre os Rangers anteriores, que lutaram contra Rita há 65 milhões de anos – um pouco mais que os 10 mil da série original. Uma boa introdução que explica um pouco melhor, mas ainda fanfarronamente, como os morfadores estão na Terra, assim como Zordon e Rita. Mais precisamente, explica porque todo o enredo se passa numa pequena cidade como Alameda dos Anjos, algo que nem ao menos era pincelado na série original, que começava com Zordon pedindo a Alpha para “recrutar cinco jovens com garra”. Uma melhoria esperada ao se passar para o cinema mas que ainda não se rende a uma seriedade tão comum, ao longo do filme esse acerto é repetido.


O que se desenrola então é uma longa introdução de personagem, que vai durar, basicamente, todos os dois primeiros atos. Com um tempo tão longo de tela para desenvolvimento, os cinco atores conseguem fazer com que todos os personagens se tornem relevantes, tridimensionais e extremamente carismáticos, além de construir de maneira incrível – algo muito raro em filmes do tipo – o relacionamento entre eles. Ao final, não só conhecemos profundamente todos os anseios e medos dos rangers, conhecemos também o que fundamentou a amizade do grupo, algo importantíssimo para o desenrolar do filme. A capacidade de morfar e trabalhar em equipe está profundamente ligada à amizade dentro da equipe, e isso é muito bem desenvolvido, de maneira que quando os frutos de estarem bem integrados surgem na tela, não parece forçado.

Fragmentado

Fragmentado || Classificação: ★★★★ (Ótimo) || Estreou em 23 de março de 2017 
Texto: Ana Marta || Revisão: Kamila Wozniak 

“Será o grande retorno de M. Night Shyamalan?”


Depois de uma leva de filmes medianos, M. Night Shyamalan nos presenteia com uma ótima sessão de suspense e terror. Sem mencionar uma narrativa bem elaborada que tinha todas as chances de cair nos clichês comuns. O filme conta de três meninas que foram raptadas por Kevin (James McAvoy), que possui 23 personalidades e consegue trocá-las com a força do pensamento. E durante o cativeiro, elas precisam conhecer cada uma das personalidades para conseguir uma forma de fugirem. Vamos dizer que eu não esperava muito desse longa após as derrapadas feias de Shyamalan.

O que surpreendeu foi como a narrativa de forma simples e com alguns sub-tramas bem fortes, trouxeram com excelência os personagens e seus respectivos atores; e um tom de suspense e terror a história. É difícil dizer algo do filme que não possa revelar muito da história. Afinal a narrativa é rica de detalhes pequenos que depois serão o “grande desfecho” da história. Começando com a parte de apresentação de seus personagens, que vão crescendo durante o desenrolar da trama. E momento nenhum, o tom narrativo te traz uma expectativa que possa se tornar um “final feliz”. Apenas finalizando de uma forma aterrorizante e até mesmo com “fã-service” para aqueles que admiram os filmes do diretor.


A Bela e a Fera - Zahar || Especial 1/3

22/03/2017

Era para esse especial ser postado tem um tempinho, mas problemas familiares atrasaram o que seria uma série de três vídeos marcando a estreia do filme A Bela e a Fera. Mas, antes tarde do que nunca e hoje trago o primeiro vídeo do especial, com a resenha da edição da editora Zahar e suas duas versões do conto.

O próximo vídeo vai trazer os meus comentários sobre o filme, que estreou no último dia 16, e o último vídeo é sobre livros que são inspirados em A Bela e a Fera. Espero que vocês gostem e acompanhem todo o especial.


A Bela e a Fera
Jeanne-Marie Leprince de Beaumont...
Editora Zahar: Twitter/Facebook

Adquira o livro nos seguintes links e ajude o site: 

Primeiras artes de Tudo e Todas as coisas

A Warner Bros. Pictures divulgou as primeiras artes da adaptação de Tudo e Todas as coisas e confirmou que o filme estreia mesmo dia 15 de junho, na semana do dia dos namorados.

Para quem ainda não conhece o livro, gravei uma vídeo resenha dele e ainda comentei sobre o primeiro trailer, as minhas primeiras impressões. Acesse aqui para conferir.


Inspirado no best seller de Nicola Yoon, o longa tem estreia nacional prevista para 15 de junho e é estrelado por Amandla Stenberg e Nick Robinson

A Warner Bros. Pictures divulga as primeiras artes de Tudo e Todas as Coisas, drama romântico baseado no best-seller escrito por Nicola Yoon. As imagens destacam o casal protagonista, interpretado por Amandla Stenberg (“Jogos Vorazes”) e Nick Robinson (“Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros”).

Sobre o filme:


O drama romântico “Tudo e Todas as Coisas”, baseado no best-seller escrito por Nicola Yoon e ainda sem título em português, chega às telas com direção de Stella Meghie, uma realização da Warner Bros. Pictures em parceria com a Metro-Goldwyn-Mayer Pictures.

E se você não pudesse tocar absolutamente em nada do mundo? E se não pudesse respirar ar fresco, sentir o sol quente em seu rosto… ou beijar seu vizinho?

“Tudo e Todas as Coisas” narra a improvável história de amor de Maddy, uma garota de 18 anos, inteligente, curiosa e cheia de imaginação, vítima de uma doença raríssima que a impede de abandonar a proteção do ambiente hermeticamente fechado no qual vive dentro de sua casa, e Olly, o vizinho da casa ao lado que não está disposto a deixar que a condição de Maddy os afaste um do outro.

Maddy está desesperada para experimentar o desejado e estimulante mundo além das paredes de seu quarto – e a promessa de seu primeiro amor. Os olhares trocados apenas pelo vidro das janelas e as conversas por textos criaram um profundo laço entre Maddy e Olly, que os leva a arriscar tudo para ficarem juntos… ainda que eles possam perder absolutamente tudo.

Faro anuncia o lançamento de romance de época brasileiro

Em junho, a editora Faro Editorial lançará o romance de época brasileiro O escravo de Capela. O livro é um romance de época, que conta com a ação de um thriller contemporâneo.

Comentários do Editor:

O cenário do livro é o Brasil do século XVIII, numa fazenda de cana-de-açucar onde todos os trabalhadores são escravos. Após um evento cruel acontece um tipo de rebelião, o que gera um caos incontrolável.

Acrescente nesse cenário de casarões, canaviais, matas fechadas, neblina, sangue, matança, violência de um filme de Tarantino. E, mesmo com fortes cenas, suspense e arrepios, você torce para que continue. Tem mais... um romance lindo, "puro", desses de nos fazeem torcer pelos personagens. Eis O escravo de capela.

Marcos DeBrito é o diretor e cineasta que está investindo alto na renovação do cinema de terror nacional. Já assistiram Condado Macabro? Está no Telecine. Com um orçamento muito baixo ganhou inúmeros prêmios no Brasil e pelo mundo, sendo exibido em todos os continentes. E para quem não sabe, ele vai filmar o Spin Off da Saga As Cronicas dos Mortos, de Rodrigo de Oliveira, Elevador 16.

Marcos é autor também de Condado Macabro (Ed Simonsen) e, A Sombra da Lua, seu livro de estreia publicado pela Rocco e, para quem leu, dá uma dimensão da sua qualidade como escritor. O escravo de Capela tem muitas histórias, muitas reviravoltas - a marca pessoal da escrita de DeBrito. Quando você acha que entendeu, ele te surpreende. Raphael Montes, ao ler, escreveu o seguinte:


“Cada página é como um golpe cruel de chicote. E sai muito sangue!”
Raphael Montes - Autor de Dias Perfeitos e Jantar Secreto

Eventos:

O lançamento será em SP e no RJ.

-RJ no dia 7 de junho (local ainda em confirmação) 
-São Paulo na Livraria Cultura, dia 8 de junho, quinta-feira. 

Texto que abre o livro:

 QUANDO A MORTE É APENAS O COMEÇO PARA ALGO ASSUSTADOR

Durante a cruel época escravocrata do Brasil-Colônia, histórias aterrorizantes baseadas em crenças africanas e portuguesas deram origem a algumas das lendas mais populares de nosso folclore. Com o passar dos séculos, o horror de mitos assustadores foi sendo substituído por versões mais brandas. Em O Escravo de Capela, uma de nossas fábulas foi recriada desde a origem. Partindo de registros históricos para reconstruir sua mitologia de forma adulta, o autor criou uma narrativa tenebrosa de vingança com elementos mais reais e perversos.

Isla e o Final Feliz || Stephanie Perkins

20/03/2017


Depois daquele bafafá da Novo Conceito perdendo os direitos da Stephanie Perkins, achei que esse livro nunca fosse ser lançado por aqui. Mas eis que a Intrínseca lançou o livro, já tem um tempinho é verdade, e consegui ler ele por agora. As minhas expectativas em relação a Isla e o final feliz não eram altas, mas eu não esperava achar o livro tão mais ou menos, visto que Anna e o beijo francês foi fofo e perfeito, enquanto Lola e o garoto da casa ao lado foi ótimo. Acontece que eu não consegui me conectar com os personagens principais e me prendi aos secundários.

Isla e o final feliz termina a trilogia da autora que contou com personagens femininas como protagonistas e em algum momento se passa na França. Os livros não são ligados e nem precisam ser lidos na ordem, mas os protagonistas aparecem nas estórias uns dos outros. Aqui nós vamos acompanhar a estória de Isla, uma jovem com aquele padrão perfeito: fofa, meiga, com a voz baixa e pequena. Em uma noite, depois de ter tirado o siso, ela conhece Josh, um menino que estuda na escola dela e por quem ela sempre teve uma queda.

Como é possível que o cara por quem estou a fim há tanto tempo (três anos) esteja a fim de mim também? isso não acontece na vida real.


Tecnologia do Blogger.